Pravda.ru

Notícias » Portugal


Coimbra 2003

02.12.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

A Cena Lusófona - Associação Portuguesa de Intercâmbio Teatral, em conjunto com Coimbra, Capital Nacional da Cultura e com a Câmara Municipal de Coimbra, enche a cidade, entre 5 e 15 de Dezembro, com mais uma Estação da Cena Lusófona. A programação divide-se pelo Teatro Académico Gil Vicente, Oficina Municipal do Teatro, Museu dos Transportes e outros espaços, representando uma aposta na diversidade artística, trazendo a Coimbra companhias e criadores de vários países. Teatro, Música, Espaços de Refexão e Debate inundarão, assim, a cidade de Coimbra. Uma oportunidade a não perder...

Lunário Perpétuo - António Nóbrega | Música | Estação da Cena Lusófona de 5/12/2003 a 6/12/2003

A Cena Lusófona organiza, desde 1995, encontros teatrais nos vários países lusófonos. As Estações da Cena Lusófona, nome dos encontros anuais mais representativos, realizaram-se já em Moçambique, Brasil, Cabo Verde, em Portugal e em São Tomé e Príncipe. Ao longo destas cinco Estações traçou-se um perfil para estes encontros: não uma montra massificada de espectáculos e grupos, mas um momento para apresentar resultados das acções que se vão desenvolvendo ao longo do ano, aprofundar experiências, debater metodologias e encontrar novos caminhos. Para estas Estações são convidados ainda ... O Horácio | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 5/12/2003 a 6/12/2003 O Horácio é o espectáculo de apresentação do trabalho final do Estágio Internacional de Actores Lusófonos, que subirá ao palco da Oficina Municipal do Teatro nos dias 5 e 6 de Dezembro. Esta formação, iniciada em Setembro em co-produção com A Escola da Noite, é uma das iniciativas mais importantes da Cena Lusófona visto que pretende fomentar a troca de experiências e saberes de jovens actores da CPLP em áreas específicas. A maioria dos estagiários já participou em outras acções de intercâmbio ou pertencem a grupos que desenvolveram colaboração regular na rede da Cena A Bota e Sua Meia - Face&Carretos (Rio Grande do Sul) | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 7/12/2003 a 8/12/2003 A Bota e Sua Meia é um espectáculo que a companhia Face&Carretos mantém em circulação desde 1997, tendo sido galardoado com vários prémios, incluindo o de melhor peça. Nos dias 7 e 8 de Dezembro, este espectáculo subirá ao palco do Teatro Académico de Gil Vicente. Desde 1993 que a Face&Carretos tem vindo a desenvolver trabalhos na área da dramaturgia alemã. A Bota e Sua Meia foi a peça escolhida entre as restantes obras do alemão Herbert Achternbusch. Dramaturgo e cineasta, Achternbusch reflecte nos seus trabalhos (Ella, Susn, Gust,...) a influência da Baviera, região rural Cabaré da Rrrrraça - Bando de Teatro Olodum (Bahia) | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 7/12/2003 a 8/12/2003 O Bando de Teatro Olodum é a companhia mais importante da Bahia e uma das mais importantes do Brasil. Criada no início dos anos noventa, surgiu com a proposta de trabalhar a linguagem teatral a partir de elementos do quotidiano da cultura afro. Desenvolvendo uma linguagem muito própria, tem transposto para cena características da sua cultura e realidades sócio-económicas do seu país. A peça que se propõem a apresentar nos dias 7 e 8 de Dezembro, na Oficina Municipal do Teatro, foi escrita por Marcio Meireles e pelo próprio grupo a partir de uma discussão sobre a revista “Raça” Aula Espectáculo - António Nóbrega | Espaço Brincante | Estação da Cena Lusófona 8/12/2003 Integrada na Estação da Cena Lusófona, o Espaço Brincante é um espaço dedicado à troca prática de saberes, onde estarão presentes cordelistas e contadores de estórias e onde se convidam os participantes da Estação a partilhar o seu trabalho e os seus métodos. No dia 8 de Dezembro, esse espaço estará entregue a António Nóbrega Niketche - Hala Ni Hala | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 8/12/2003 a 9/12/2003 Niketche é o primeiro espectáculo de “Hala ni Hala”, um grupo de artistas moçambicanos que vive em Portugal e em Moçambique. A escolha do nome “Hala ni Hala” (“Cá e Lá”, na língua xangana, do sul de Moçambique), traduz a vontade de lançar pontes entre as gentes de teatro dos diversos espaços lusófonos, congregando o trabalho de actores, criadores e técnicos africanos com o dos seus colegas de outras paragens. “Hala ni Hala” assume a vocação de dar a conhecer em Portugal as dramaturgias e as formas de fazer teatro em África. A sua primeira criação, “Niketche”, é uma versão cénica Tertúlia dos Dramaturgos | Estação da Cena Lusófona de 8/12/2003 a 15/12/2003 Neste espaço, os dramaturgos serão observadores interessados, implicados no debate geral que se estabelecerá com os participantes sobre os espectáculos apresentados e discutirão entre si a escrita para Teatro tendo como ponto de partida o conjunto das suas próprias obras. As sessões serão abertas ao público que disporá da meia hora final para interpolar os dramaturgos. A Tertúlia dos Dramaturgos decorrerá nos dias 8, 9, 10, 11, 12 e 15 de Dezembro Aos que estão por vir - Cida Moreira | Música | Estação da Cena Lusófona 9/12/2003 Nas palavras de Cida Moreira, “a ideia é um espectáculo emblemático, com o melhor da música de cabaret filtrada pela personalidade de uma artista que não se dobra, não se dobra...”. Neste espectáculo, que decorrerá no Teatro Académico de Gil Vicente, no dia 9 de Dezembro, a cantora narrará “estórias que falam dos excluídos, dos menos afortunados, mais consciente e mágicos talvez, porque sabem do estranhamento que os consome”. Cida Moreira iniciou a sua carreira como cantora em 1981 com o disco “Summertime” onde cantava grandes clássicos do Blues e do Jazz norte- americano Oxente, Cordel de Novo? - Bando de Teatro Olodum - Bahia | Espaço Brincante | Estação da Cena Lusófona 9/12/2003 Integrado no Espaço Brincante, terá lugar no dia 9 de Dezembro, o espectáculo Oxente, Cordel de Novo?. Há cerca de cinco anos, o encenador Marcio Meirelles pensou em trabalhar com a linguagem do cordel, acompanhando a sua actualização através da utilização de elementos urbanos e contemporâneos nas montagens. O objectivo era dar continuidade ao trabalho iniciado pelo dramaturgo João Augusto, que entre 1958 e 1974, encenou peças de cordel da sua autoria no Teatro Vila Velha. Oxente, Cordel de Novo?, veio consolidar este anseio artístico. Mortu Nega - Ciclo Flora Gomes | Estação da Cena Lusófona 10/12/2003 O Ciclo Flora Gomes será dedicado à exibição de filmes do cineasta guineense Flora Gomes e incluirá um debate sobre a evolução cultural e social da Guiné-Bissau desde a proclamação da independência, em colaboração com o Centro de Estudos Interdisciplinar do século 20 (CEIS 20). No final de cada projecção haverá um pequeno debate com a presença do realizador. No dia 10 de Dezembro, o filme a exibir será Mortu Nega. Sinopse: 1973 - Diminga, uma mulher guineense de 30 anos, reencontra o seu marido Sako na frente de guerra. Ao lado dos soldados, no mato, ela descobre ... Histórias que o povo conta - António Vieira | Espaço Brincante | Estação da Cena Lusófona 10/12/2003 Integrado no Espaço Brincante, António Vieira estará na Oficina Municipal do Teatro no dia 10 de Dezembro. Compositor e poeta de bancada (cordelista), António Vieira apresenta num formato de recital a história da Literatura de Cordel no Brasil e a sua importância na formação do carácter e personalidade do povo brasileiro, exemplificando com alguns clássicos do cordel brasileiro como “Debate de Romano da Mãe D’Água com Inácio da Catingueira”. Alguns historiadores dizem que a designação Literatura de Cordel é, entre outras, originada pela forma como habitualmente os folhetos eram ... Comédia na Estação - Companhia de Teatro de Braga | Teatro | Estação da Cena Lusófona 10/12/2003 A Companhia de Teatro de Braga existente desde 1980, tem participado activamente ao longo dos anos em várias actividades promovidas pela Cena Lusófona, mas esta é a primeira vez que um dos seus espectáculos faz parte do programa de uma Estação. Comédia na Estação foi a peça de estreia do jovem dramaturgo francês Samuel Benchetrit, sendo apresentada pela primeira vez em França, sob a sua direcção, em 2001. Com mais de oitenta espectáculos no seu percurso, a Companhia de Teatro de Braga apresenta um espectáculo passado numa estação onde se encontram três pessoas que não se conhecem Pedro Andrade, a Tartaruga e o Gigante - Cena Só | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 10/12/2003 a 11/12/2003 O Cena Só é um grupo que se reuniu após um curso de formação na área teatral em S. Tomé coordenado por Rogério de Carvalho, no âmbito da V Estação da Cena Lusófona. Após a aprendizagem, surgiu a necessidade de apresentar ao público aquilo que tinham aprendido. O resultado transformou-se no espectáculo Pedro Andrade, a Tartaruga e o Gigante. Rogério de Carvalho, um dos responsáveis pela encenação desta peça, conta com mais de trinta espectáculos na sua carreira. Tchekov, Jaime Salazar Sampaio, Jean Cocteau, Strindberg, José Mena Abrantes, Harold Pinter e Howard Baker Os olhos azuis de Yonta - Ciclo Flora Gomes | Estação da Cena Lusófona 11/12/2003 Os olhos azuis de Yonta será o filme a exibir no dia 11 de Dezembro. A acção desenvolve-se em Bissau. Em forma de comédia dramática, veremos todos os pequenos nadas, o amor, o medo, o desejo, tudo o que forma a vida de um ser humano, aqui ou noutro lugar qualquer. Trata-se de uma rapariga, muito bonita, apaixonada por um homem muito triste, que não se apercebe desse amor, enquanto que um rapaz tímido sonha com ela, sem que ela o note. Nada mais banal, Admitamos, somente, que África não é só aquela que chora, mas a que ri e chora. Há nesta história um quarto personagem Mário Lúcio - "Luso-mestiçagem" | Espaço Brincante | Estação da Cena Lusófona 11/12/2003 Integrado no Espaço Brincante, Mário Lúcio estará na Oficina Municipal do Teatro no dia 11 de Dezembro, pelas 15h00, onde profere uma conferência Nojo - Quinta Parede | Teatro | Estação da Cena Lusófona 11/12/2003 A Quinta Parede, companhia fundada pelo encenador José Caldas com um percurso de mais de vinte anos de espectáculos, apresenta-se pela primeira vez no programa da Estação, no dia 11 de Dezembro. O monólogo Nojo do dramaturgo austríaco Robert Schneider, será interpretado por Dom Petro Dikota, actor angolano residente em Portugal, com uma carreira internacional. Em teatro já trabalhou com encenadores como Luis Miguel Cintra, João Brites e Rogério de Carvalho. Das suas participações em cinema, destaque para o recentemente estreado “Os Imortais” de António Pedro Vasconcelos. A Força do Hábito - Mais! Produções Artísticas (Porto Alegre) | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 11/12/2003 a 12/12/2003 “Se ao menos uma vez/ uma vez que fosse/ se conseguisse levar o Quinteto/ até ao fim/ uma vez que fosse/ música na perfeição” é uma das frases do personagem Garibaldi, o director de um circo decadente e que resume este espectáculo. A Força do Hábito, que subirá ao palco do Teatro Académico de Gil Vicente nos dias 11 e 12 de Dezembro, é uma peça da autoria do dramaturgo austríaco Thomas Bernhard, uma das figuras literárias mais emblemáticas do pós-guerra na Áustria. O discurso deste autor é caracterizado, segundo Orlando Groessegesse, pela estupidez, brutalidade, infâmia, demência Pó di Sangue e A Máscara - Ciclo Flora Gomes | Estação da Cena Lusófona 12/12/2003 No dia 12 de Dezembro serão exibidos dois filmes de Flora Gomes: Pó di Sangue Na Aldeia de Amanha Lundju planta-se uma árvore sempre que nasce uma criança. Essas árvores crescem com a criança, ultrapassam-na, sobrevivem-lhe e tornam-se a alma dos habitantes da aldeia. Dia após dia, cortam-se as árvores... Há-de vir o dia da seca e da morte. Hami acaba de morrer quando Dou, o seu gémeo, regressa encontrando a aldeia extremamente tensa. De que morreu Hami? Que mal corrói Amanha Lundju?... Aos olhos da comunidade, Dou deve casar com a viúva do irmão e tornar-se um pai para a sobrinha. Lena Wild . Kiko Cadaval . Cándido Pazó | Espaço Brincante | Estação da Cena Lusófona 12/12/2003 "O Conto na Cuia" é o resultado de uma pesquisa de mais de vinte anos sobre a cultura amazónica, em que Lena Wild narra o mito da criação do mundo, segundo os Dessana, índios que vivem na região do Rio Waupés. Neste trabalho transpõe os seus conhecimentos e experiências enquanto actriz, cantora, dançarina e artista plástica à disposição de contos, lendas, cantos e mitos da sua terra natal, a Amazónia. Para a concretização deste espectáculo, Lena Wild utiliza a cuia, um objecto quotidiano muito utilizado tanto pelas populações indígenas quanto ribeirinhas Yerma - Elinga Teatro | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 12/12/2003 a 13/12/2003 O Elinga Teatro é considerado o grupo de teatro mais importante de Angola. Criado em 1988, o Elinga tem acompanhado ao longo do seu percurso as actividades da Cena Lusófona e tem sido uma das presenças habituais nas Estações. Depois de mais dez anos de espectáculos, propõe-se a apresentar uma peça de Federico Garcia Lorca, um dos mais importantes poetas e dramaturgos espanhóis do século XX. Yerma conta a história de uma mulher que procura que o seu marido lhe dê um filho mas que acaba por destruir aquela que é a única possibilidade da realização do seu sonho. José Mena Abrantes O Lutador - Os Fidalgos | Teatro | Estação da Cena Lusófona 12/12/2003 Os Fidalgos, grupo de teatro formado em 2002, regressa ao programa da Estação depois de ter marcado presença na V Estação em S. Tomé e Príncipe com a peça O Lutador, uma co-produção com Cena Lusófona. O espectáculo volta a surgir nesta edição e resulta de uma Oficina de Formação Teatral orientada por Andrzej Kowalski em 2002 Nha Fala - Ciclo Flora Gomes | Estação da Cena Lusófona 13/12/2003 Vita tem 20 anos quando deixa a sua cidade na Guiné-Bissau para estudar em Paris. Antes de partir promete à sua mãe que nunca cantará porque existe uma maldição ancestral na sua família que conta que a morte atingirá as mulheres da família que ousem cantar. Em Paris, Vita conhece Pierre, um jovem musico e, apaixonada, começa a cantar. Grava um disco, o sucesso é imediato. Esta é a sinopse de Nha Fala, o filme a exibir no dia 13 de Dezembro Daqui... Dali... D'acolá... - O Teatrão | Teatro | Estação da Cena Lusófona 13/12/2003 A partir da recolha de histórias tradicionais da literatura oral dos países lusófonos, o Teatrão propõe-se a apresentar em Daqui... Dali... D'acolá... três histórias: “Ano de Sol” (Moçambique); “Porque é Que os Galos Cantam de Madrugada”(Brasil); e “Ti Lobo e o Chibinho” (Cabo Verde). Este espectáculo está inserido no Espaço Brincante. Os sons do korá, instrumento musical da Guiné-Bissau, acompanham Daqui...Dali...D’acolá... pelas mãos do Mestre Braima Galissa. Similarmente ao fazer teatral, em que o actor se explora a si mesmo enquanto instrumento para comunicar... Virgínia Rodrigues | Música | Estação da Cena Lusófona 13/12/2003 Virgínia Rodrigues é um talento da música brasileira descoberto por Caetano Veloso. O encontro surgiu durante “Verónica”, um espectáculo da companhia de teatro bahiana Bando de Teatro Olodum onde a cantora participava. Com a colaboração de Marcio Meireles, encenador do grupo, Caetano Veloso produziu o álbum de estreia de Virgínia Rodrigues “Sol Negro”, uma mistura de samba, jazz, percussão e violinos, que conta com as participações de Milton Nascimento, Gilberto Gil e Djavan. Comparada por muitos a grandes divas do Jazz como Sarah Vaughn, Nina Simone e Bessie Smith, Virgínia Rodrigues ... Makbunhe - Os Fidalgos | Teatro | Estação da Cena Lusófona de 13/12/2003 a 14/12/2003 Makbunhe é a segunda peça apresentada por este grupo e representa uma das estreias na programação teatral. A encenação é uma adaptação africanizada de “Macbeth” de William Shakespeare e é a quarta apresentação deste grupo. Os Fidalgos é formado pelo elenco de actores e bailarinos que trabalham com o cineasta guineense Flora ... Así que pasen 5 anos - Sarabela Teatro (Galiza) | Teatro | Estação da Cena Lusófona 14/12/2003 Estendendo o programa à Galiza, o Sarabela Teatro apresenta-se como um dos projectos de maior experimentalidade e interesse da região. Com mais de vinte anos de existência, cada novo espectáculo representa para a companhia um desafio que procura a coerência, tentando estabelecer pontes para encontrar a cumplicidade com o público. Así que pasen cinco anos é considerado por muitos como um dos melhores dramas do teatro espanhol do século XX, mas também como uma das peças mais importantes e mais polémicas da obra de Frederico Garcia Lorca. A Companhia Sarabela Teatro Ná Ozzetti, Luiz Tatit e Zé Miguel Wisnik | Música | Estação da Cena Lusófona 14/12/2003 Ná Ozzetti, Luiz Tatit e Zé Miguel Wisnik, companheiros de composição e de espectáculos em teatros brasileiros, reúnem-se para mostrar canções que, ao longo dos últimos dez anos, deram origem aos discos “Nᔠe “Estopim” de Ná Ozzetti, “Felicidade” e “O Meio” de Luiz Tatit e “José Miguel Wisnik” e “São Paulo Rio” de Wisnik. O espectáculo terá lugar no dia 14 de Dezembro. A colaboração destes músicos começou há muitos anos. Ná e Tatit iniciaram as suas carreiras no Grupo Rumo, representante da vanguarda paulista dos anos oitenta, e Wisnik lançou as suas primeiras canções Identificação de um país . Debate final - Ciclo Flora Gomes | Estação da Cena Lusófona 15/12/2003 Este documentário, a exibir no dia 15 de Dezembro, centra-se na figura do realizador Guineense Flora Gomes. O documentário foi realizado durante a rodagem do filme "Po de Sangui", na Guiné-Bissau. A seguir à exibição filme Identificação de um País terá lugar um debate sobre a Guiné-Bissau, com coordenação do Grupo CEIS As Águas - Burbur | Teatro | Estação da Cena Lusófona 15/12/2003 Burbur é um grupo de jovens actores cabo-verdianos residentes em Portugal unidos pela cumplicidade cultural – cabo-verdiana – e por objectivos comuns – trazer à tona aspectos de um inequívoco valor cultural de raiz africana e lusófona. As Águas é o resultado da adaptação do mais importante romance cabo-verdiano Chiquinho do escritor Baltazar Lopes da Silva. Segundo José Carretas,“ adaptar o Chiquinho de Baltasar Lopes para o teatro é levar o público português a descobrir ou relembrar uma cultura riquíssima nascida da mestiçagem. Tradi-Sons - Mário Lúcio (Simentera) | Música | Estação da Cena Lusófona 15/12/2003 Tradi-Sons é para Mário Lúcio, “um concerto concebido como uma opereta, um espectáculo vivo e moderno, mas também didáctico e com o mais alto sentido de performance para pequenos e grandes ambientes. A ideia é oferecer num concerto a essência de um país”. Um espectáculo cheio de música, dança e poesia sobre as ilhas que proporcionará uma visão sobre a cultura e tradições cabo-verdianas e uma possibilidade de a compreender e questionar sobre os elementos comuns à do espectador. “Tradi-Sons de Cabo Verde” dividir-se-á em três partes: Mornas de Amor, Tradi-Sons e Modernidade. www.Coimbra2003.pt

 
19355
Loading. Please wait...

Fotos popular