Pravda.ru

Notícias » Portugal


Reorganização da rede nacional de urgências fecha 15 serviços eabre um básico

02.02.2007 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Depois de dois meses de discussão pública, os especialistas apresentaram ontem a proposta final de reorganização da rede nacional de urgências que tem como principais alterações o fecho da urgência de Peniche (totalizando 15 serviços a encerrar) e a abertura de uma urgência básica em Cinfães, escreve Diário de Notícias.

De acordo com o relatório final, o número de portugueses que vão ficar a mais de uma hora de distância de uma urgência (mesmo que de nível básico) é de 60 mil, o que representa uma redução "drástica" em relação à realidade actual (450 mil ).

Além das urgências hospitalares, a proposta final dos peritos apresentou ainda alterações nos vários tipos de urgências.

Por exemplo, o serviço de urgência básica previsto para Valença irá ficar em Monção. Segundo a proposta, o distrito de Viana do Castelo passa a ficar com um serviço de urgência médico-cirúrgico no Centro Hospitalar do Alto Minho e com dois serviços de urgência básica: um em Ponte de Lima e outro em Monção. O presidente da Câmara de Valença, José Luís Serra (PS), reagiu de imediato: disse que a eliminação do seu concelho da rede de urgências “só pode ser brincadeira de mau gosto”.

A proposta inicial defendia 13 serviços de urgência polivalente (SUP), 29 serviços de urgência médico-cirúrgica (SUMC) e 41 serviços de urgência básica (SUB). A mais recente proposta aponta para 14 SUP, 27 SUMC e 42 SUB. Em relação às urgências básicas, o número aumentou com Cinfães.

 De acordo com as contas dos peritos, esta reestruturação irá permitir que a maioria dos portugueses (51,6 por cento) fique a menos de dez minutos de um serviço de urgência. A cerca de 30 minutos de um serviço de urgência ficará 90,1 por cento da população (9,887.835) e 99,4 por cento (9,809.402) a 60 minutos.

 
1846
Loading. Please wait...

Fotos popular