Pravda.ru

Notícias » Brasil


PSDB: Governo sofre primeira grande derrota

28.10.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Governo sofre 1ª grande derrota no Congresso A Frente Parlamentar da Saúde, presidida pelo deputado Rafael Guerra (PSDB-MG), realizou ontem no plenário da Câmara um grande ato em protesto contra o retrocesso promovido pelo governo Lula no setor. A manifestação "SOS Saúde - Em defesa do SUS" foi até o momento a maior derrota obtida pelo presidente Lula no Congresso. O assunto foi o principal tema do dia nos plenários da Câmara e do Senado. Centenas de parlamen-tares de todos os partidos vestiram máscaras, toucas e aventais cirúrgicos para manifestar repúdio contra o corte dos recursos orçamentários da Saúde assegurados pela Emenda Serra .

"O evento contou com apoio de representantes de todos os partidos políticos. Foi uma grande vitória da Saúde e uma expressão autêntica da classe política em defesa de um sistema universal e de qualidade para a população brasileira. O governo não pode priorizar apenas um setor. Em vez de tirar verbas da Saúde, o governo deveria fortalecer os investimentos tanto para saúde como para saneamento e combate à fome", avaliou Guerra.

Ontem o dia foi marcado por derrotas do governo. O procurador-geral da República, Cláudio Fontelles, recomendou ao presidente Lula a inclusão de R$ 4,02 bilhões referentes à Saúde no orçamento de 2004. A decisão de Fonteles reforça o parecer de outros dois procuradores que nesta semana pediram a retirada de recursos do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza do orçamento da Saúde.

Virgílio aceita desculpas da senadora Ideli Salvatti

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), aceitou ontem as desculpas formais da senadora Ideli Salvatti (PT-SC), que na sessão da última terça-feira declarou da tribuna que Virgílio não teria moral para criticar a viagem de Benedita da Silva à Argentina porque o líder tucano "brincou o Carnaval de 2002 no Rio de Janeiro num camarote", insinuando que a viagem teria sido paga pelo governo Fernando Henrique. Na época, Virgílio ocupava a Secretaria- Geral da Presidência.

BRINCADEIRA - Segundo Ideli, sua acusação foi uma brincadeira. "Não estou aqui para brincar com nenhum senador e não toleraria a idéia de algum parlamentar brincar comigo, até porque eu não sirvo para isso. Esse episódio citado pela senadora, de uma viagem que fiz, às minhas custas, não tem nada a ver com esse caso da ministra Benedita que, a meu ver, coloca em xeque o governo Lula", declarou Virgílio.

O líder tucano aceitou as explicações de Ideli Salvatti e disse que o episódio deve servir para o amadurecimento da senadora. "Até porque com o tempo as pessoas vão conhecendo melhor o terreno onde pisam. E o meu é movediço", concluiu.

Mercadante condena

O líder do PT no Senado, Aloízio Mercadante (SP), condenou o discurso da colega de partido e disse que o debate político deve ser feito no campo da idéias. "Nós não podemos caminhar na direção de agredir o interlocutor.A honra do senador Arthur Virgílio nunca esteve em discussão nesta Casa", declarou.

Fraco desempenho da economia

O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) alertou ontem sobre as conseqüências do fraco desempenho da economia brasileira no primeiro ano do governo Lula. "A expectativa é de que o crescimento não passe de 0,6%. Como a população do país cresce a 1,4% ao ano, teremos em 2003 um crescimento negativo na economia brasileira, infelicitando milhões de brasileiros que são pobres, miseráveis, desempregados", advertiu o tucano.

Hauly defendeu um sistema tributário enxuto, baseado no IR progressivo, num imposto seletivo e na CPMF para deduzir as contribuições previdenciárias do INSS.

Alvaro representa Senado na Assembléia da ONU

O vice-líder do PSDB no Senado Alvaro Dias (PR) representa o Senado até o dia 2 /11 como observador parlamentar na Assembléia Geral das Nações Unidas. A participação do tucano acontece no momento em que o Brasil se candidata a uma cadeira permanente no Conselho de Segurança. "Não se trata de uma simples conquista dessa cadeira. O pleito brasileiro se insere no espírito de reformulação da própria ONU, quando a correlação de forças começa a se alterar. Já se fala num quarto poder emergente, representado pelo bloco latino-americano, o que influenciará o equilíbrio de poder no mundo", destacou.

Para Thame, falta articulação internacional ao governo Lula O plenário da Câmara transformou-se ontem em Comissão Geral para discutir as negociações comerciais internacionais. Para o deputado tucano Antonio Carlos Mendes Thame (SP), o debate em torno da participação do país no comércio global deve também incluir uma definição clara sobre o papel do Itamaraty. "Falta ao governo Lula articulação na área internacional", constatou Thame.

ÓRGÃO-MEIO - "O Planalto tem que decidir se o Ministério das Relações Exteriores é um órgão meio - como defendo - ou fim. Não tem sentido o Itamaraty comandar políticas, sejam elas econômicas ou agrícolas. Estas decisões devem ser tomadas de forma colegiada", destacou.

Mendes Thame acredita que o sucesso das negociações em fóruns comerciais está relacionada à coordenação entre as áreas envolvidas. "Por isso acordos conduzidos pela diplomacia brasileira na OMC durante o governo Fernando Henrique Cardoso foram bem-sucedidas e as ocorridas em Trinidad e Tobago, no início do mês, duramente criticadas", ressaltou Mendes Thame.

Tucanos criticam manutenção de referendo em Estatuto

O Estatuto do Desarmamento perdeu a coerência. A afirmação é do deputado Antonio Carlos Pannunzio (PSDB-SP), ao comentar ontem a rejeição ao destaque mais polêmico na CCJ: o do PSDB, que exigia a proibição automática da comercialização de armas de fogo em todo o país, sem a realização de referendo. O destaque tucano foi rejeitado por 33 votos a 21, o que manteve o texto do relator Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP), que prevê a realização do referendo, mas sem data definida. Já o texto principal do Estatuto recebeu apenas oito contrários.

O deputado Zenaldo Coutinho (PSDB-PA) compartilha a mesma opinião. "A consulta popular será um tiro de morte ao desarmamento." Já o deputado Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) lamentou a insensibilidade de alguns integrantes da CCJ com as manifestações a favor da paz que acontecem em todo o país desde 1997. "É uma pena que não tenham incorporado o movimento amplo da sociedade civil, que já demonstrou ser contrária à disponibilidade das armas de fogo no país." O texto será apreciado hoje no Plenário da Câmara.

Site antilula é a nova sensação da internet

O mais novo sucesso da internet é o Mela 2006 (www.mela2006.com.br) - o Movimento dos Eleitores Arrependidos do Lula. O site, lançado há menos de dois meses, já recebeu quase 115 mil visitantes e tornou-se um endereço obrigatório para aqueles que nas últimas eleições presidenciais deixaram-se levar pelas promessas petistas.

PESQUISA - Entre as atrações do Mela 2006 estão charges, sala de bate-papo e até uma pesquisa sobre o desempenho do governo - que recebeu 72% de votos 'ruim' é 'péssimo'. No Mela 2006 também é possível comparar promessas de campanha feitas nos últimos anos com ações tomadas depois da posse de Lula.

 
7404
Loading. Please wait...

Fotos popular