Pravda.ru

Notícias » Brasil


Perseguição

21.06.2005 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Entidades presentes na reunião: Federação Democrática dos Metalúrgicos/MG; ANDES/SN; ADUnB – ANDES/SN; FENAL; SINDIPETRO SE/AL; FENAFISCO; UNAFISCO; SINDILEGIS; SINASEFE; Gab. dep. Luciana Genro.

A pauta da reunião foi assim definida: 1 – Conjuntura / Calendário de Lutas 2 – Seminário convocado pelo ANDES/SN

1 - Conjuntura e Calendário de Lutas

Os motivos da antecipação da reunião da coordenação nacional, antes prevista para 5 de julho, foram justamente as mudanças ocorridas na conjuntura nos últimos dias. Estamos vivendo uma grave crise política no país, aberta com as denuncias de corrupção envolvendo, entre outros, o governo e o PT. A discussão feita na coordenação apontou para algumas conclusões que resumimos aqui para ajudar nos debates em cada entidade:

- É grave a crise e atinge em cheio o governo lula e o PT. A política da oposição burguesa (PSDB/PFL) até gora não é a de levar este processo até a derrubada do governo. Querem desgasta-lo ao máximo, deixa-lo na “UTI” até o ano que vem, visando a disputa eleitoral de 2006. Há ainda outras duas razões para esta postura do bloco PSDB/PFL: os banqueiros e grandes empresários querem preservar o governo Lula, pois sua política econômica é amplamente favorável a estes setores; e o fato de que eles também seriam alcançados caso as investigações sejam realmente levadas a sério. É importante ressaltar, no entanto, que não se pode descartar que este processo venha a “fugir do controle” e ir para mais alem do que eles estão planejando.

- Esta situação gera um importante enfraquecimento do governo, com implicações em nossa luta. Aumenta muito, por exemplo, a dificuldade que o governo já vinha enfrentando, para aprovar a Reforma Sindical no Congresso Nacional. Abrem-se brechas por onde os movimentos sociais podem e devem avançar em suas lutas.

- As denuncias tem tido impacto muito grande na consciência de amplas parcelas da classe trabalhadora e da população em geral. Parece ter funcionado como uma grande “gota d’agua” que fez transbordar de vez a decepção e o desencanto com o PT e com o governo. Há um profundo repúdio à toda esta podridão que está aí, uma revolta latente contra os políticos. Mas também há confusão, um sentimento de impotência, de que não dá para fazer nada para mudar o que está aí.

- Essa situação tende a polarizar o quadro político entre duas alternativas contrárias aos interesses da classe trabalhadora. De um lado, o pólo Lula/PT/Governo e de outro o pólo PSDB/PFL. Ambas alternativas comprometidas até os fios de cabelo com o modelo neoliberal e as políticas do FMI e afundadas até o pescoço na corrupção.

A CUT, o PCdoB, a CMS, anunciam uma campanha “contra a corrupção e contra o golpismo” que na verdade visa mais defender o governo do que combater a corrupção, São satélites do pólo representado pelo governo Lula, tentando dar-lhe uma cobertura “de esquerda”. Por outro lado, não se pode encarar a luta contra a corrupção apenas como uma defesa da “ética na política”, como se a política não fosse determinada pelos interesses de classe, como se a corrupção não fosse inerente ao sistema de dominação que submete a classe trabalhadora e o povo em geral aos interesses dos banqueiros e grandes empresários.

- Precisamos construir, então, um terceiro pólo neste cenário político, que expresse os interesses dos trabalhadores. Um pólo de luta contra o governo (que utiliza a corrupção como forma de governar e aplicar políticas neoliberais), mas também contra os interesses representados pelo pólo PSDB/PFL (que quando estavam no governo também chafurdavam na corrupção para aplicar as mesmas políticas neoliberais que Lula aplica hoje). Um pólo que represente os interesses da classe trabalhadora. Para isso é necessário MOBILIZAÇÃO SOCIAL, é preciso que os trabalhadores e o povo tomem as ruas, para manifestar sua indignação e levantar suas bandeiras.

- O grande desafio agora é buscar desencadear um grande processo de mobilização social cuja bandeira central deve ser a DENÚNCIA DA CORRUPÇÃO / EXIGENCIA DE APURAÇÃO RIGOROSA E PUNIÇÃO PARA CORRUPTOS E CORRUPTORES. Sem isso não aproveitaremos o potencial de mobilização existente em função da revolta contra a roubalheira. Mas devemos manter também as bandeiras CONTRA REFORMA SINDICAL/TRABALHISTA E DEMAIS REFORMAS NEOLIBERAIS, CONTRA ESSA POLÍTICA ECONOMICA DO FMI, e em DEFESA DO EMPREGO, SALÁRIO DIGNO, MORADIA, REFORMA AGRÁRIA, ETC.

Partindo destas conclusões, a reunião aprovou os seguintes encaminhamentos:

a) Aprovar um manifesto da CONLUTAS conclamando os trabalhadores brasileiros e suas organizações à TOMAR AS RUAS contra a corrupção, as reformas neoliberais e a política econômica do governo. O manifesto vai definir com clareza que esta luta é contra o governo Lula, mas é também contra a alternativa PSDB/PFL. E que os trabalhadores devem buscar afirmar, como saída para a crise que o país vive, uma alternativa de classe, dos próprios trabalhadores.

b) Marcar uma Grande Manifestação de caráter nacional em Brasília, em 17 de agosto, para trazer à capital federal a indignação dos trabalhadores brasileiros contra tudo isso que aí está. À luz dessa decisão rever a data (5 de outubro) que havíamos proposto anteriormente para a marcha à Brasília.

c) Orientar e estimular as coordenações estaduais e entidades a adotarem todas as iniciativas ao seu alcance para realizar atos de rua, manifestações em todas as cidades. A organizar protestos que irão somando-se, em todo o país, na mobilização nacional que deverá desembocar na Manifestação de 17 de agosto em Brasília. Já há notícias de atividades realizadas ou em preparação, em Sergipe, Goiânia, Belo Horizonte, Brasília (convocada pela CNESF para o dia 21), etc.

ARRAIAL DO “MENSALÃO” / QUADRILHA DO “MENSALÃO”: usar a criatividade, neste momento de festas juninas, pode resultar em uma excelente forma de participação popular no processo de mobilização. Sugerimos a todos que levem essa idéia para seus sindicatos e comunidades. UNIDADE: é importante também buscar (em todos os estados, cidades, categorias, etc) todos os parceiros possíveis para fazermos juntos estas atividades. A Secretaria Executiva da coordenação vai fazer contato com os parceiros que estão na luta contra a Reforma Sindical conosco, para chamá-los a encaminharmos juntos este processo.

ESTUDANTES: na busca de parceiros para levar adiante este processo é importante dar atenção especial aos estudantes, que já tem tradição em mobilizações destra natureza.

d) Buscar fazer com que as categorias que estão em luta (como os SPFs, as diversas campanhas salariais que estão em preparação no setor privado, etc) incorporem a luta contra a corrupção, com o enfoque aqui definido.

e) Organizar um Ato Político, com representantes das entidades, no Congresso Nacional (uma audiência com os presidentes da Câmara e do Senado), para repercutir esta luta e abrir espaço na imprensa.

f) Editar um novo Jornal da CONLUTAS, que já faça a convocação da Manifestação de 17/8. A proposta aprovada é imprimir 1,5 milhão de exemplares. Será enviada proposta às entidades com orçamento e proposta de rateio, para confirmar a tiragem. Será também enviado às entidades, na semana que vem, uma proposta de textos para o jornal.

g) Durante este processo, a Coordenação Nacional da CONLUTAS vai funcionar numa espécie de regime de plantão, ou seja, novas reuniões poderão ser convocadas extraordinariamente sempre que necessário. Os contatos serão feitos via e-mail.

h) Na medida em que a Manifestação acontecerá em 17 de agosto, o Encontro Nacional da CONLUTAS que discutirá a data e critérios para o Congresso previsto para o ano que vem, acontecerá no dia seguinte, dia 18. O Encontro será aberto, como definido em Porto Alegre, e foi definida uma comissão para assumir sua organização (composta pelo SINASEFE, FENAFISCO, UNAFISCO e CONLUTAS/DF).

2 – Seminário convocado pelo ANDES/SN

Anexamos abaixo a nota-convocatória do ANDES/SN que convoca o Seminário e ao mesmo tempo explica seu caráter, objetivos, e como a entidade interessada em participar poderá fazer a sua inscrição (esclarecemos que todas as despesas de transporte, alojamento e alimentação correrão por conta de cada entidade). A idéia dos companheiros não é fazer uma atividade de massas, e sim um evento com representação de entidades, com cerca de 200 pessoas.

“... Considerando a deliberação congressual que determina a realização no primeiro semestre de 2005, de um evento de discussão – sobre concepção sindical, balanço da experiência da CUT e propostas de alternativas organizativas – em articulação com a Conlutas, incorporando sindicatos do funcionalismo que compõem a CNESF, mas não aderiram à Conlutas, bem como reunindo os setores da esquerda da CUT que assumiram a luta contra as políticas governamentais, estamos convocando as seções sindicais para o seminário ALTERNATIVAS DE ORGANIZAÇÃO DOS TRABALHADORES, a ser realizado nos dias 1º e 2 de julho, em Niterói.

Esse evento, organizado com a Secretaria Regional Rio de Janeiro e ADUFF S.Sind., tem a seguinte programação:

Dia: 1º de julho Horário: 19h

Local: Instituto de Geociências da Universidade Federal Fluminense, Auditório Milton Santos, Praia Vermelha, Niterói - RJ. Debate: Concepção sindical, balanço da experiência da CUT e propostas de alternativas organizativas. Representantes do ANDES-SN, da CONLUTAS, da CNESF e da esquerda da CUT.

Dia: 2 de julho Horário: 9h às 13h Local: Instituto de Geociências da Universidade Federal Fluminense, Auditório Milton Santos, Praia Vermelha, Niterói - RJ.

Grupos Mistos de Discussão

Intervalo para o almoço

Horário: 15 às 18h Local: Instituto de Geociências da Universidade Federal Fluminense, Auditório Milton Santos, Praia Vermelha, Niterói - RJ. Plenária Final ....”

Para quem quiser hospedar-se em hotel, segue relação de hotéis que deverão ser procurados para hospedagem, chamando a atenção para o período do bloqueio feito pela ADUFF S.Sind que tem limite diferente para cada um dos hotéis e, portanto, as seções sindicais devem estar atentas ao fazerem suas reservas. Informamos, também, que, ao fazer a reserva, a seção sindical deverá identificar o evento para que o hotel libere a reserva bloqueada.

1- Hotel Village Contato: Nycole Mattar Tels.(21) 2610-8504 e-mail: hotelvillage@zipmail.com Reservas até 20/06 - 08 suítes bloqueadas Tarifa acordo empresa: Diária suíte solteiro - R$100,00 Diária suíte casal/dupla - R$125,00

2- Tower Hotel Contato: Andrea Diniz Tels.: (21) 2612-2121 ou 8753-9790 e-mail: andreadiniz1@hotmail.com Diária aptº stantard single - R$120,00 Diária aptº stantard duplo - R$147,00 Reservas até 17/06 Café da manhã e estacionamento Sem taxa de hospedagem

3- Hotel Solar do Amanhecer Contato: Roberto/Wilson Tels.(21) 2610-5221 Fax (21) 2621-6545 e-mail: reservas@solardoamanhecer.com.br Reservas até o dia 25/06 - 20 Aptº bloqueados Aptº standard single - R$110,00 - Double - R$140,00 Aptº standard sgl executivo - R$125,00 - Double - R$160,00 Aptº standard luxo executivo - R$140,00 - Double - R$180,00 Aptº standard luxo single - R$170,00 - Double - R$210,00 Com café da manhã e garagem Sem taxa de hospedagem

INFORMES:

1- Foi dado informe sobre as atividades dos SPFs em Brasília na próxima semana (20 a 25). A coordenação definiu então que devemos levar à CNESF e às entidades dos SPFs e à Plenária dos federais, as propostas que definimos na reunião, para convidar os companheiros a participar da manifestação de agosto (e, na medida que haja acordo com isso, a organizar conjuntamente com a CONLUTAS esta manifestação) e todo este processo de mobilização.

2 – Foi dado informe do Congresso Nacional da FENAL, que aconteceu recentemente no Maranhão. O Congresso referendou decisão que havia sido tomada na direção da entidade de integrar a CONLUTAS. Também o SINDICAL, de Brasília definiu por aderir ao calendário da CONLUTAS e abriu discussão para definir se continua ou não, filiado à CUT.

 
12490
Loading. Please wait...

Fotos popular