Pravda.ru

Notícias » Brasil


A Voz da Oposição

12.12.2003 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

As costuras políticas e a comunicação do partido serão intensificadas neste início de ano. Até março de 2004, representantes da Executiva Nacional visitarão os 150 maiores municípios do país. SOCIAL-DEMOCRATA - A meta foi estabele-cida em reunião coordenada pelo senador Leonel Pavan (PSDB-SC), que contou com a presença do 1º vice-presidente do partido, senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), do ex-senador Geraldo Melo (PSDB-RN) e dos deputados tucanos Eduardo Gomes (TO), Bismarck Maia (CE), além do novo presidente do Instituto Teotonio Vilela (ITV), Sebastião Madeira (MA). No encontro, ficou acertado também que o ITV vai desenvolver cursos de formação para candidatos e capacitar quadros técnicos e políticos para o partido.

A comissão resolveu também trabalhar para aumentar o número de filiados e de diretórios municipais. Outro desafio é fortalecer a presença tucana nas capitais. "Até agora, o PSDB investiu pouco em comunicação. Sempre nos preocupamos em fazer, mas não em divulgar ", declarou Pavan.

A comissão decidiu também construir uma plataforma comum para programas de governo dos candidatos tucanos e integrar a bancada federal nas eleições municipais. "É preciso unificar os discursos.

Para isso, teremos reuniões constantes com as executivas estaduais e municipais. A idéia é garantir identidade social- democrata aos candidatos, como é a orientação do presidente do PSDB, José Serra", concluiu.

Tucanos pedem degravações sobre caso Celso Daniel

Os tucanos Mendes Thame (SP) e Luiz Carlos Hauly (PR) apresentaram requerimentos em duas comissões diferentes com o mesmo objetivo: ter acesso às cópias junto ao jornal Folha de S. Paulo da degravação oficial e integral das 42 fitas de conversas telefônicas relativas ao assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, ocorrido em janeiro do ano passado.

Thame entregou o documento à Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e o deputado Hauly para a de Relações Exteriores e de Defesa Nacional. "O Congresso precisa ter acesso às conversas telefônicas que podem esclarecer o crime e as supostas motivações que levaram à morte de Celso Daniel", disse Thame.

Para Virgílio, com a PEC 77 governo admite que errou

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse ontem, durante o primeiro dia de discussão da PEC 77, que a emenda batizada de PEC paralela é um "mea-culpa" do governo, que assim admite ser sua proposta de reforma da Previdência "cruel e incompleta".

VITÓRIA - "Com a PEC paralela, houve vitória da oposição sim, porque forçamos o governo a reconhecer que a oposição existe. Lá está a paridade e a regra de transição que o governo queria negar", afirmou.

Virgílio disse ainda que essa não é a reforma ideal, mas contém algumas conquistas que amenizam a "crueldade" do governo Lula com os servidores. "Reconhecemos nossa deficiência numérica e, por outro lado, a deficiência política do governo. Para a oposição, agora a ordem do dia é a reforma tributária", declarou.

Arthur Virgílio disse que a reforma tributária era "muito ruim no começo", mas foi aperfeiçoada pela oposição. "O governo está cedendo, entre outras coisas, porque sabe que a nossa proposta é melhor, e que na votação da tributária faltariam votos para aprová-la. Aqui não existe rolo compressor. O governo foi obrigado a reconhecer a oposição. Criticamos, logo existimos. Somos fortes aqui no Senado e temos demonstrado densidade para criticar os inúmeros equívocos que o dia-a-dia desse governo representa", concluiu.

Lúcia Vânia acusa PT de tentar reescrever a história

A senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) lamentou a prática do governo Lula de se apropriar de progra-mas e bandeiras de governos passados , a exemplo do que fez com a Lei Orgânica de Assistência Social. A Loas foi criada há dez anos durante o governo Itamar Franco e sancionada pelo então ministro do Bem- Estar Social e atual líder do PSDB na Câmara, deputado Jutahy Junior (BA).

GARANTIAS - Segundo a presidente da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), a Loas garantiu às pessoas com mais de 68 anos e aos portadores de deficiência física, que tinham renda familiar insuficiente para sua manutenção, o direito a um salário mínimo. "Tive a honra e a emoção de executar o primeiro pagamento desse benefício, garantido pela Constituição Federal, e lembro que o decreto que regulamenta o Fundo Nacional de Assistência Social foi assinado pelo presidente Fernando Henrique, como comprovam as publicações da época. Mas tem sido prática do atual governo publicar leis e decretos eliminando as referências aos governos anteriores, como se estivessem reescrevendo a história social do país", afirmou a senadora tucana.

Cambraia denuncia uso político da CGU

O deputado Antonio Cambraia (PSDB-CE) denunciou que petistas estão fazendo uso político de relatórios da Controladoria Geral da União (CGU). "Os documentos são entregues para vereadores do PT que então atacam os seus adversários com base em dados preliminares. É uma distorção do trabalho simpático realizado pela Controladoria", explicou. Ele citou o caso de Crateús (CE), governado pelo PSDB. "Neste município, o prefeito está sendo atacado por causa de uma investigação de supostas obras paralisadas. É um condenável uso político da fiscalização da CGU", disse Cambraia.

Gomes exige regras claras para setor elétrico

O deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO) exigiu ontem da ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, regras claras e bem definidas para o novo marco regulatório do setor elétrico, que deve ser anunciado hoje. "É preciso que as regras sejam claras, pois trata-se de uma área de investimento a médio e longo prazos", disse. Gomes também manifestou preocupação com a possibilidade de o Planalto enviar o novo modelo ao Congresso sob a forma de medida provisória. "Considero um desrespeito o Executivo enviar à Câmara no apagar das luzes do ano legislativo um assunto debatido há 11 meses no ministério", avaliou.

Denise Frossard critica política de segurança pública no Rio

A deputada Juíza Denise Frossard (PSDB-RJ) criticou ontem a ineficiência administrativa e o descaso das autoridades com a segurança pública no Rio de Janeiro. A parlamentar manifestou preocupação com a ausência de políticas públicas nesse setor que, segundo ela, podem transformar a cidade em uma "meca" do crime.

COMPLEXO DA MARÉ - "Ao governo estadual e à prefeitura do cidade do Rio de Janeiro faltam autoridade, eficiência, e competência para lidar com o crime. Mas, acima de tudo, faltam respeito e paixão pela população, que lhes paga salários e lhes concede as prerrogativas para administrar a região", constatou a deputada. A deputada também manifestou indignação com a recusa da governadora e do prefeito de assumirem publicamente o incidente ocorrido com traficantes de drogas do Complexo da Maré. Os criminosos exigiram das autoridades cariocas a liberação de recursos para contratação da mão-de-obra que iria reformar a Vila Olímpica da favela.

"Nenhum dos dois, governo e prefeitura, falam a verdade. A Vila Olímpica da Maré foi fechada pelo tráfico, às barbas de um batalhão da PM ali construído. É bom lembrar, contra a vontade da população, que queria apenas uma extensão da Vila Olímpica", afirmou. Segundo ela, a comunidade, melhor do que qualquer governo, "sabe que, na linha de combate ao crime, a construção de batalhões de nada adianta". Popularidade de Aécio supera a de Lula em pesquisa

O primeiro vice-líder do PSDB na Câmara, deputado Custódio Mattos (MG), afirmou que os resultados da pesquisa de opinião divulgada ontem - na qual Aécio Neves é mais bem avaliado pela população de Belo Horizonte que o prefeito do PT e o presidente Lula - são "uma prova do estilo tucano de administrar cultivado pelo governador mineiro". "Aécio mostrou que além de grande talento político, face já conhecida por todos nós, também possui grande capacidade de liderança e gestão da coisa pública ", disse Custódio Mattos

AUSTERIDADE - De acordo com o Instituto EM Data, o governador mineiro foi aprovado por 76% dos entrevistados, contra 68% atribuídos ao presidente Lula e 63% ao prefeito petista Fernando Pimentel. O índice de desaprovação de Aécio também é inferior ao dos outros dois avaliados. "Ele assumiu o estado em uma situação financeira difícil e com sobriedade, competência, espírito público e austeridade já conseguiu resultados positivos e reconhecimento da população, em menos de um ano de mandato", ressaltou o vice-líder.

Aposentados entregam diploma a senadores

O Movimento Nacional dos Servidores Aposentados e Pensionistas outorgou ontem a cada um dos senadores tucanos o título de Persona Grata da entidade, em reconhecimento à defesa que a bancada tucana fez da categoria no decorrer da tramitação da reforma da Previdência.

O diploma foi entregue por uma comissão de aposentados e pensionistas, chefiados pelo presidente da entidade, Edson Haubert. No documento, está escrito: "Reconhecimento pela sua luta na defesa dos servidores públicos ativos, aposentados e pensionistas, com o voto na reforma da Previdência, honrando o juramento de respeito ao Estado Democrático de Direito e aos princípios fundamentais da Constituição Federal".

Fogo Amigo

"Neste ano avançamos muito pouco. Houve mesmo até uma certa reversão de expectativas e quem quiser elencar qualquer área da atuação governamental poderá descobrir problemas e dificuldades. Vimos isso na própria área tributária. Prorrogar apenas a alíquota do Imposto de Renda e não fazer profunda revisão quanto à correção da tabela é uma frustração."

- Deputado Chico Alencar (PT-RJ), fazendo um balanço "da reversão das expectativas" no governo Lula.

Eu sei o que vocês prometeram na eleição passada

"Não permitiremos jamais que o Fundo Monetário Internacional determine o tipo de política e o ajuste fiscal que vamos fazer aqui porque, se a gente não tomar conta do nosso nariz, colocam uma cangalha do nosso pescoço."

- Candidato Luiz Inácio Lula da Silva, em 21 de maio de 2002, traçando as linhas gerais do relação entre seu governo e o capital internacional. No entanto, a obediência restrita a todas as exigências do FMI, um arrocho no setor público jamais visto e o pagamento de R$ 123 bilhões em juros garantiram a assinatura de um acordo no valor de US$ 14 bilhões a ser formalizado neste mês.

Números

8,5 % Foi, segundo a Fundação Getúlio Vargas, a queda no setor de construção civil em 2003 - o pior desempenho em 13 anos. A FGV aponta a falta de investimentos públicos, a elevação da taxa de juros e a alta carga tributária como as causas da crise nesse segmento.

35 Pessoas já morreram em virtude de conflitos no campo somente no estado do Pará em 2003. Os números jogam por terra a "maior e mais pacífica reforma agrária do mundo", prometida por Lula durante a campanha eleitoral.

57,79% Foi a queda nas vendas de carros importados nos 11 meses de governo petista, segundo a Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores.

R$ 570 mi É quanto o governo Lula deve aos anistiados em indenizações atrasadas. Segundo o ministro do Planejamento, Guido Mantega, o valor "será administrado futuramente e pago de acordo com as possibilidades".

PSDB

 
11625
Loading. Please wait...

Fotos popular