Pravda.ru

Notícias » Brasil


Discurso de Heloisa Helena no encontro do PDT

08.12.2004 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Lembro que um mês antes de Brizola ir para o céu fazer parte do exército dos guerreiros celestiais, e com certeza está nos ajudando aqui, uma das últimas conversas que a gente teve com ele, estava junto com Lupi, que sabe como ele me sensibilizou. Em todos os momentos das gigantescas dificuldades que nós passamos enfrentando o ' tribunal do santo ofício', o tribunal que criaram dentro do partido que passamos os melhores anos das nossas vidas para ajudar a construir e Brizola não só foi uma presença marcante na Historia desse país, um guerreiro, um lutador, um homem generoso e valente que dedicou a sua vida para ajudar a fazer deste país maravilhoso uma pátria justa, soberana, igualitária e fraterna - em um momento dos mais difíceis de nossas vidas ele nos ofertou o PDT como um abrigo. E esse momento, sem dúvida, a gente jamais esquecerá.

E fico muito feliz que nesta reunião, a primeira reunião onde Brizola renasce com mais força em cada um de nós, esteja recebendo de vocês uma acolhida tão importante como esta. Eu tenho dito várias vezes - não vou me estender para não atrapalhar a reunião de vocês - quero dizer da minha alegria muito grande de estar aqui com vocês todos nesta luta para a construção de uma estrutura que represente a esquerda socialista e democrática, o nosso PSOL, tanto eu quanto Milton Temer, quanto Jefferson, estamos aqui fazendo a saudação em nome da nossa tentativa de construção de um novo partido - mas acima de tudo quero estar aqui para saudar o PDT.

Para abraçar a todas as mulheres e homens que fazem esse partido. Esse momento da vida nacional é de muita dificuldade. Muita. O Collares sabe, junto com a sua brincadeira sobre a crítica contundente que Milton fazia, das alianças que foram feitas, mas a gente sabe o quanto esse momento da vida nacional que ao mesmo tempo é um momento precioso, porque foi capaz de desvendar os mistérios sujos da alma de alguns, por outro lado é um momento de muitas dificuldades para todos nós. "Sabemos o quanto de amor, de esperança, de dedicação, foi dado pelo povo brasileiro para a eleição de Lula. Sabemos exatamente o que isto significou inclusive no imaginário popular, já que foi a primeira vez que um filho do povo, operário, retirante nordestino, pela vontade do povo - chega a instancia de decisão política mais importante do país. E por que a dificuldade?

Porque depois de um momento tão bonito como este, momento em que o povo brasileiro revelou a sua capacidade de luta, a sua capacidade de trabalho, a sua esperança em apostar em um projeto novo. E quando esse projeto ao invés de ser o projeto novo que possibilite mudanças estruturais profundas, faz a opção, covarde e medíocre de aprofundar o projeto neoliberal.

E ninguém na historia da vida, nas disputas políticas, ninguém pode sair por aí ludibriando mentes e corações. E podem menos ainda fazer tocando mentes e corações dos pobres, dos excluídos e dos marginalizados. Eles não tinham o direito nem de fazer o estelionato eleitoral nem trair as concepções programáticas que foram acumuladas não pelo Lula ou outra pessoa, mas pelo sangue, pelo suor, pelo trabalho, pelas lágrimas, de milhões de trabalhadores no Brasil, na América Latina e no mundo.

Por ultimo: mudar de lado alguém pode faze-lo, mas que fosse respeitando a tradição da esquerda, que se convocasse um congresso quem quisesse ficar ficava, quem quisesse sair, saísse. Mas não tinham o direito de transformar o governo Lula na mais medíocre propaganda triunfalista do neoliberalismo.

Não tinham esse direito. Eles não tem o direito de a custa do sangue, da dor, da miséria, do sofrimento de milhões de pessoas neste país - jogar 70% do orçamento público na lama da especulação enchendo a pança dos banqueiros e esvaziando o prato, o emprego e tranqüilidade do povo brasileiro. Eles não tinham esse direito!

Agora, o mais importante é que se alguém fez estelionato eleitoral, se o governo traiu o povo brasileiro, o mais importante deste encontro e o mais importante de tantos outros encontros que acontecem e acontecerão pelo Brasil afora, é que se alguém pensava - se alguém ousou pensar que era dono da cabeça e dos corações dos outros, se alguém ousou pensar isto por estar se lambuzando no banquete farto do poder, ou chafurdando com desenvoltura na pocilga do capital, se alguém achou que assim fazendo ia conseguir sepultar, soterrar, as bandeiras da classe trabalhadora - se enganou.

Porque esse momento, é uma prova disto. E eu tenho certeza, querido Lupi, minhas queridas lutadoras, meus queridos lutadores: só o povo não se deixa seduzir pelo banquete farto do poder. Fácil não é estar aqui. Fácil é estar lá... Disputando cargos, prestígio, poder se lambuzando no balcão dos negócios sujos, vendendo concepções, votos e outras coisas mais... Fácil é estar lá do outro lado - lado do pensamento único, do cinismo, da vigarice e da dissimulação...

E os que aqui estão não apenas estão fazendo a alegria do guerreiro Brizola que está lá no céu, como estão, acima de tudo, dando uma demonstração maravilhosa ao povo brasileiro: porque aqui, no PDT, como em algumas outras poucas organizações que sobrevivem, aqui estão os que não se dobram, os que não se curvam, os que não se ajoelham covardemente. Portanto, deixo meu abraço, apertado. Quero saudar a todos, especialmente ao senador Augusto Botelho, que está ali e tem sido resistente, combativo lá, sofrendo pressões como vocês sabem... Deixo aqui meu abraço apertado, fraterno, e tenham certeza do orgulho que tenho.

Quero saudar a todos, especialmente ao senador Augusto Botelho, que está ali e tem sido resistente, combativo lá, sofrendo pressões como vocês sabem... Deixo aqui meu abraço apertado, fraterno, e tenham certeza do orgulho que tenho - e tenho certeza que todos os militantes... Tenham certeza de que uma das coisas mais bonitas e emocionantes que já vi foi no dia do enterro do nosso Brizola, mulheres e homens, ou na chuva fina ou no Sol, que ardiam o juízo da gente - elas estavam lá, eles estavam lá com a rosa vermelha, símbolo da luta, símbolo da fraternidade, símbolo da solidariedade. E é por isso que estou muito feliz de estar aqui, prestando esta simples e humilde homenagem de todos nós que fazemos o PSOL.

Espero que a gente consiga caminhar muitos caminhos juntos! Mas independente de qualquer futuro político, que estaremos trabalhar muito para estarmos juntos, a certeza que tenho é que posso olhar olho no olho das companheiras e companheiros do PDT, querido Lupi, e dizer: me orgulho como brasileira de que vocês estão aí. Firmes, para o triunfo que mais cedo ou mais tarde virá. Por mais que a lide política e econômica decadente, cínica, insensível faça com que a realidade implacável diga para a gente "não"; a gente continua dizendo "sim" a vida, a esperança, renascendo todos os dias em coragem, em solidariedade e esperança para fazer deste país a pátria que o povo brasileiro realmente merece.

Beijo para todos vocês. Socialismo

Liberdade

Heloisa Helena

 
7171
Loading. Please wait...

Fotos popular