Pravda.ru

Notícias » CPLP


Brasil: Pecuária cresce no primeiro trimestre de 2007 em relação a 2006

29.06.2007 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

No primeiro trimestre de 2007, houve um aumento de 11,3% no abate de bovinos em relação ao mesmo período de 2006. No abate de frangos, o aumento foi de 2,1%. Já os suínos registraram 11,1%. A aquisição de leite cresceu 2,0%, a aquisição de couro 8,0% e a produção de ovos de galinha 1,4%. No abate de animais bovinos, o Mato Grosso concentrou 15,4%. Na categoria de frangos, o Sul foi responsável por 60% da produção nacional, com destaque para o Paraná (24,9% do total). A região também se destaca no abate de suínos com 69,1% de participação. Minas Gerais atingiu 25,3% da aquisição de leite nacional.

No primeiro trimestre de 2007, houve um aumento de 11,3% no abate de bovinos em relação ao mesmo período de 2006. No abate de frangos, o aumento foi de 2,1%. Já os suínos registraram 11,1%. A aquisição de leite cresceu 2,0%, a aquisição de couro 8,0% e a produção de ovos de galinha 1,4%. No abate de animais bovinos, o Mato Grosso concentrou 15,4%. Na categoria de frangos, o Sul foi responsável por 60% da produção nacional, com destaque para o Paraná (24,9% do total). A região também se destaca no abate de suínos com 69,1% de participação. Minas Gerais atingiu 25,3% da aquisição de leite nacional.

A aquisição de couro foi de 10,8 milhões de peças. Foram produzidas 523,6 milhões de dúzias de ovos.

No primeiro trimestre de 2007, do total de animais abatidos, 45,9% correspondia a bois, 38,6% a vacas, 9,0% a novilhos e 6,4% a novilhas. Dentre as categorias investigadas, as de animais jovens teve a maior variação positiva (17,8% para novilhos e 15,3% para novilhas abatidas). Bois registraram aumento no abate de 15,4% e vitelos marcaram queda de 2,4%.

Comparando o número de bovinos abatidos no primeiro trimestre de 2007 e no quarto trimestre de 2006, observa-se aumento de 0,9%, o que representa cerca de 69 mil cabeças. Esta variação aconteceu devido ao aumento do abate de vacas (394 mil) e novilhas (39,4 mil), compensando a redução do abate de bois e novilhos (367,4 mil).

Peso da carcaça bovina tem aumento de 13,5%

Quanto ao peso de carcaça de bovinos, foram registradas 213,4 mil toneladas no primeiro trimestre de 2007, um crescimento de 13,5% em relação ao mesmo período de 2006, ligeiramente superior à variação do número de animais abatidos, em função do maior peso médio animal em 2007. Bois, vacas, novilhos e novilhas apresentaram variação positiva de 16,9%, 6,2%, 19,7% e 16,5% respectivamente, enquanto a de vitelos teve queda de 1,8%.

Comparado ao quarto trimestre de 2006, observou-se um aumento de 17,4 mil toneladas de carcaça bovina no primeiro trimestre de 2007 (1%). Este resultado foi, principalmente, saldo do aumento em 89,6 mil toneladas de carcaça de vacas e da queda em 72,5 mil toneladas de carcaça de bois. A redução no peso de carcaça de novilhos no período foi semelhante ao aumento do peso de carcaça de novilhas (8,3 e 8,1 mil toneladas, respectivamente).

O Centro-Oeste concentrou a maior proporção no abate com 37,9%, enquanto o Sudeste e o Norte marcaram 22,5% e 19,8%, respectivamente. Dentre os estados, Mato Grosso abateu 15,4% do total nacional, São Paulo 13,4% e Mato Grosso do Sul 13,3%.

Região Sul concentra 60% do abate de frangos

No primeiro trimestre de 2007, foram abatidas 1,0 bilhão de unidades frangos. Comparando com o mesmo período do ano anterior, observa-se aumento no abate de 2,1%. Quanto a variável peso de carcaça, houve queda de 0,3%. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, o número de animais abatidos teve aumento de 1,9%, e o peso de carcaça de 1,8%.

A distribuição da produção segue com o Sul concentrando 60,0% do abate de frangos. O Sudeste respondeu por 24,3% e o Centro-Oeste 11,3%. O Paraná abateu isoladamente 24,9% do total nacional, enquanto Santa Catarina contribuiu com 18,8% e o Rio Grande do Sul, 17,2% .

Primeiro trimestre registra abate de 6,5 milhões de suínos

No primeiro trimestre de 2007, 6,5 milhões de unidades de suínos foram abatidas no Brasil. Este número representou um aumento de 11,1% em relação ao mesmo período de 2006, e de 2,6% frente ao quarto trimestre do mesmo ano.

Quanto ao peso de carcaça suína, houve um aumento de 11,3% em relação a igual período de 2006 e queda de 1,4% frente ao trimestre anterior. No total, foram registradas 590,0 mil toneladas de carcaças.

Em volume abatido, o Sul continua com a maior participação (69,1%). Em seguida, vem o Sudeste (17,1%) e o Centro-Oeste (11,9%). O principal estado abatedor de suínos é Santa Catarina, com 27,1% do total nacional. Destaque também para o Rio Grande do Sul (25,8%) e Paraná (16,1%).

Em todo Brasil, 4,3 bilhões de litros de leite produzidos no primeiro trimestre

A aquisição de leite, no primeiro trimestre de 2007, foi de 4,3 bilhões de litros, indicando aumento de 2,0 % sobre o primeiro trimestre de 2006 e queda de 7,1% comparado ao quarto trimestre de 2006. Janeiro apresentou a maior aquisição, indicando um aumento de 4,3% com relação ao mesmo mês do ano anterior. Os principais estados que adquiriram o leite no primeiro trimestre de 2007 foram Minas Gerais (25,3%), Rio Grande do Sul (14,2%) e Goiás (14,0%).

Quanto ao leite efetivamente industrializado, a variação foi de 1,9% frente ao primeiro trimestre de 2006 e queda de 7,0% em relação ao quarto trimestre do mesmo ano.

Aumento de 8,0% na aquisição de couro

A aquisição de peças de couro de bovinos, no primeiro trimestre de 2007, foi de 10,8 milhões de unidades, segundo a Pesquisa Trimestral de Couro. Houve aumento de 8,0% sobre o mesmo período de 2006. Quanto ao trimestre anterior, houve redução de 1,0%. A maior aquisição foi em março.

Os matadouros frigoríficos foram as principais origens de couro, registrando participação de 61,1% no total adquirido. O fornecimento de terceiros, para curtumes cadastrados na pesquisa, representou 22,1% do total, e os adquiridos de intermediários e salgadores, 14,2%. No período analisado, não houve entrada de couro importado, considerando que a metodologia da pesquisa abrange estabelecimentos que adquirem acima de 5.000 peças anualmente.

O volume adquirido de couro inteiro de bovino foi 37,6% maior do que o abate de bovinos registrado pela Pesquisa Trimestral do Abate. Tal diferença representa aproximadamente 3,0 milhões de animais abatidos no período. Considerando-se que não houve importação de peças de couro e os estoques dos curtumes cadastrados serem de pequeno volume, esta diferença indica que o volume de abate de bovinos pode estar captando 73% do volume real abatido. O volume não captado de animais abatidos é de animais não fiscalizados e/ou não contabilizados pela pesquisa.

Quanto ao couro curtido ou industrializado, foram registradas 10,2 milhões de peças, o que indica a existência de estoques anteriores utilizados no período, mesmo que num volume de 60.960 peças.

Primeiro trimestre de 2007 registra produção de 523,6 milhões de dúzias de ovos

No primeiro trimestre de 2007, foram produzidas 523,6 milhões de dúzias de ovos de galinha, indicando variação positiva de 1,4% sobre o primeiro trimestre de 2006 e variação negativa de 1,8% sobre o trimestre anterior. Os estados de Rondônia, Acre, Amapá, Tocantins e Maranhão não foram pesquisados, já que nestes locais não há estabelecimentos que se enquadrem na metodologia proposta.

Em termos de produção, as variações do primeiro trimestre de 2007 e 2006 por estado, os maiores crescimentos aconteceram no Amazonas, Goiás e Mato Grosso. Foram pesquisadas quedas na Bahia, Piauí e Rio Grande do Norte.

Ricardo Bergamini
ricoberga@terra.com.br
rbfln@terra.com.br
http://paginas.terra.com.br/noticias/ricardobergamini

 
7989
Loading. Please wait...

Fotos popular