Pravda.ru

Notícias » CPLP


Milhares de professores enchem a Avenida da Liberdade

19.05.2018 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Milhares de professores enchem a Avenida da Liberdade. 28797.jpeg

Milhares de professores enchem a Avenida da Liberdade

Dezenas de milhares de professores e educadores de todo o País vieram este sábado até Lisboa, para participar na manifestação nacional, em que exigem a contagem de todo o tempo de serviço congelado.

Do Marquês de Pombal até ao Rossio, dezenas de milhares de professores e educadores responderam ao apelo da frente sindical e marcharam em Lisboa para «exigir respeito» do Governo, a quem acusam de não honrar a sua palavra.

A manifestação nacional foi convocada por uma ampla frente de dez estruturas sindicais, entre as quais a Federação Nacional de Professores (Fenprof/CGTP-IN e a Federação Nacional da Educação (FNE/UGT).

Entre as muitas bandeiras e placartas com emojis zangados, «9A-4M-2D» é a uma das mensagens replicada em cartazes, folhetos e t-shirts, referindo-se aos nove anos, quatro meses e dois dias de serviço congelado que os professores exigem que seja contabilizado.

Em causa está a intransigência do Governo e a sua intenção em apagar cerca de 70% do tempo de serviço congelado, insistindo nos dois anos e dez meses, uma perda que, para os professores, é «inaceitável». Estes exigem a contagem dos mais de nove anos, de forma faseada, seguindo a resolução aprovada na Assembleia da República, que recomenda a contabilização de todo o tempo de serviço congelado nas carreiras da Administração Pública, inclusive previsto no Orçamento do Estado para 2018.

Outros motivos são os carregados horários de trabalho, que não cumprem a duração legal semanal e infligem «grande desgaste» sobre os docentes, o acelerado envelhecimento dos professores e a ausência de medidas por parte do Ministério para contrariar os efeitos, tal como discutir a aposentação e os elevados níveis de precariedade nas escolas.

Os professores exigem um regime especial de aposentação, ao fim de 36 anos de serviço, uma revisão dos horários de trabalho no que diz respeito ao que é considerado componente lectiva e não lectiva e medidas que combatam o desgaste físico e psicológico causado pela profissão.

Caso o governo não ouça as reivindicações, os sindicatos admitem a realização de uma greve em época de provas nacionais, como disse à Lusa o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, em vésperas da manifestação.

 

 

https://www.abrilabril.pt/trabalho/milhares-de-professores-enchem-avenida-da-liberdade

Foto CC BY 3.0 br, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=671377

 

 
3339
Loading. Please wait...

Fotos popular