Pravda.ru

Notícias » CPLP


Bestiário jornalístico de 2015 a 2018

15.01.2018 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Bestiário jornalístico de 2015 a 2018. 28040.jpeg

Bestiário jornalístico de 2015 a 2018

por Fábio de Oliveira Ribeiro

As opiniões expressadas pelos jornalistas durante o governo Dilma Rousseff mudaram um pouco desde que começou o desgoverno Michel Temer. Por isso resolvi fazer esse bestiário.

Governo Dilma Rousseff

Gasolina 2,50: isso é inadmissível, alguma coisa tem que ser feita, o povo não aguenta mais pagar a gasolina mais cara do planeta.

Pedaladas Fiscais: isso é crime de responsabilidade, o motivo para o impedimento existe e a presidenta deve ser afastada do cargo.

Política Externa: o imperialismo canarinho é ridículo, o Brasil não pode se alinhar ao BRICS

Cotas Raciais: não somos racistas, a política de cotas é uma aberração.

Rombo orçamentário: o país tem que cortar gastos sociais, em razão do rombo orçamentários teremos uma nova década perdida.

Juros: a taxa de juros está muito alta e isso impede os empresários de modernizar suas fábricas.

Juízes: o aumento que eles querem é justo e deve ser concedido, Dilma Rousseff criou um conflito entre os poderes ao vetar o reajuste dos juízes.

Bolsa Família: o PT está comprando os votos dos pobres, isso é um incentivo absurdo à procuração dos pobres e faz mal a economia do Brasil.

Bolsonaro: ele pode ser uma alternativa para barrar um terceiro mandato de Lula.

Lula: ele sabia de tudo e será condenado, a popularidade dele é fruto do populismo.

Planeta Terra: é redonda.

Modernidade: aquilo que não temos com o PT.

Desemprego: a redução do desemprego pressiona os salários para cima e prejudica a economia.

Salário Mínimo: está muito alto, prejudica os empresários e arrebenta com a previdência.

Eduardo Cunha: ele deve iniciar o processo de Impedimento, somos milhões de Cunhas.

Manifestações de rua: não é só pelos 30 centavos.

Desgoverno Michel Temer

Gasolina 5,00: os preços estão sendo realinhados, pois o combustível estava sendo subsidiado pelo governo.

Pedaladas Fiscais: o presidente pode fazer ajustes orçamentários, nenhuma irregularidade está sendo cometida.

Política Externa: o alinhamento do Brasil aos EUA é natural, nosso país deveria intervir na Venezuela e na Bolívia.

Cotas Raciais: o fato da maioria dos presidiários e desempregados serem negros e pardos não quer dizer que somos racistas.

Rombo orçamentário: o déficit orçamentário aumentou, mas os bancos estão tendo lucros excepcionais e isso é muito bom para a economia.

Juros: a taxa de juros está elevada, mas isso é culpa da herança maldita do PT.

Juízes: eles tiveram reajuste, mas estão ganhando pouco, o governo deve pagar o auxílio-moradia dos juízes.

Bolsa Família: Japão e Itália estão adotando o programa do bolsa-família e isso fará bem à economia daqueles países.

Bolsonaro: ele não está em condições de ser presidente.

Lula: ele foi condenado e não deve retornar ao poder, a popularidade dele é fruto de uma patologia luso-brasileira (o sebastianismo).

Planeta Terra: tem gente dizendo que a terra é chata.

Modernidade: aquilo que teremos após o fim do governo Temer, mas só se Lula não for eleito.

Desemprego: o aumento do desemprego faz bem para a economia porque acarreta redução de salários.

Salário Mínimo: a redução não prejudica o comércio, mas não vai salvar a previdência.

Eduardo Cunha: ele é um criminoso, está preso e é melhor vocês esquecerem dele (pois só assim ele poderá continuar interferindo no governo Temer).

Manifestações de rua: a passagem está mais cara porque o combustível subiu e o povo deve ficar tranquilo porque a economia vai melhorar.

Os jornalistas brasileiros não apuram fatos. Eles apenas emitem opiniões. O critério utilizado para a construção da notícia não é científico e sim político-partidário e ideológico. Milhares de jornalistas fazem o que é necessário para manter o emprego. Alguns puxam descaradamente o saco do dono da empresa. Há profissionais movidos pelo preconceito de classe ou pelo cinismo, mas também há fanáticos religiosos e racistas despudorados.

Durante o governo Dilma Rousseff a economia do Brasil afundou por causa da crise política amplificada pela imprensa. A situação econômica do país não vai melhorar porque os jornalistas minimizam a imbecilidade da política econômica do desgoverno Temer. Estamos sendo condenados a viver no pior dos mundos. A imprensa fez o país perder a oportunidade de desenvolver sob um governo desenvolvimentista moderadamente nacionalista. E agora apoia um governo que fará o Brasil perder tudo o que tinha de bom e de valioso em troca de uma terra arrasada que garante apenas os lucros dos banqueiros e dos especuladores internacionais.

A reforma que precisamos não é política. O Brasil precisa desesperadamente de uma reforma jornalística. O poder dos donos das empresas de comunicação tem que ser reduzido, a liberdade profissional dos jornalistas deve aumentar. Mas eles devem usar a liberdade jornalística para apurar fatos. Quando se limitarem a emitir opiniões baseadas em critérios político-partidários e ideológicos os jornalistas devem dizer claramente no texto que partido político defendem e que ideologia prestigiaram, caso contrário eles devem ser punidos por um órgão estatal.

Jornal GGN

N2

 

 
7269
Loading. Please wait...

Fotos popular