Pravda.ru

Notícias » CPLP


Para inglês ver

08.05.2013 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Para inglês ver. 18176.jpeg

Tradicional expressão usada pelo povo brasileiro, 'para inglês ver' nada é mais do que uma mostra clara do espírito de enganar.

            Segundo os mais respeitados linguistas do país, os ingleses exigiram leis que proibissem o tráfico de escravos, quando a Abolição ainda não tinha sido proclamada.  Ora, sabia-se que tal não ocorreria, mas a Inglaterra era a maior potência mundial.  Votaram as leis, sabendo que as mesmas não seriam cumpridas.  O ato era apenas 'para inglês ver'.

            Querendo unir forças em torno de interesses desenvolvimentistas, brasileiros, russos, indianos, chineses, agora com a inclusão de sul-africanos, uniram-se num bloco que a imprensa mundial tem chamado BRICs.  A ideia é constituir um complexo forte, capaz de enfrentar economicamente os países europeus e americanos do norte.

            Os resultados alcançados por esta união são fracos, inexpressivos.  A China é destaque no cenário internacional, sempre com produto interno bruto em expansão anual por volta de 7%, seguida da Rússia, com aumento bem menor.  O Brasil, em 2012, cresceu apenas 0,9%, aqui jocosamente chamado 'pibinho', palavra inexistente na língua portuguesa.

            Os jornais nada noticiam sobre o BRIC.  Os resultados não aparecem, não existe uma consciência entre os países formadores do bloco que a ajuda mútua, especialmente em tecnologia, é essencial e indispensável.  A última medida tomada foi na reunião feita na África do Sul, onde compareceram os principais dirigentes das nações do grupo.  Decidiu-se, naquela ocasião, constituir um fundo com grande capacidade de reserva monetária, caso seja necessária à ajuda a qualquer país do BRIC.  Ótima medida, fora de dúvida, mas ainda insuficiente para o fortalecimento do grupo.

            Proteção sempre é necessária, mas a proposta é desenvolvimento econômico, que vai gerar melhores condições sociais para os povos dos países-membros.  Neste plano, não estamos vendo resultados.  Está mais do que na hora de objetivos sejam traçados e postos em execução, todos temos a ganhar com medidas positivas e determinadas.

            Afinal, o BRIC não foi criado 'para inglês ver'.

 

 

Jorge Cortás Sader Filho  é escritor

 

 
3213
Loading. Please wait...

Fotos popular