Pravda.ru

Notícias » CPLP


Eu quero o milhão de James Randi

06.04.2007 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 

Por Fernando Soares Campos

Corre por aí a informação de que o milionário James Randi lançou um desafio. Ele se propõe a pagar U$ 1.000.000,00 (um milhão de dólares) para quem conseguir mostrar fenômenos chamados de paranormais os quais venham a ser provados. Aí se incluem as materializações, encarnações, conversas com espíritos, mesas falantes, telepatia, etc. O desafio está feito há mais de 10 anos, o dinheiro depositado num banco (rendendo juros), porém, até o momento, ninguém conseguiu faturar o prêmio. Mas a partir de 1º de abril de 2007 (domingo passado) não são mais aceitas propostas espontâneas. A própria organização do “concurso” vai tomar a iniciativa de chamar aqueles que mais aparecem na mídia e que se dizem possuidores desses "poderes”.

Eu daria até comissão a um espírito que se dispusesse a fazer o espetáculo para James Randi e assim faturar a grana. O problema é que os espíritos não estão disponíveis para o que eu bem entenda e queira.

Muita gente pensa que espírito desencarnado é um ser diferente de um ser encarnado em todos os aspectos. A maior das diferenças está exatamente em que um (o desencarnado) está livre do uso do corpo humano, está habitando um mundo de matéria quintessenciada, e o outro está aqui na condição que nós estamos, esta condição de necessitar de um corpo de matéria compacta para nos comunicarmos uns com os outros.

Outra diferença, e essa abrange a condição de encarnado ou desencarnado, é o estado evolutivo.

Existem espíritos desencarnados moralmente evoluídos, também detentores de avançados conhecimentos científicos, em estado de evolução tal que podem, em sintonia com espíritos encarnados, produzir certos efeitos que aqui muita gente chama de paranormal, mas que, na verdade, tudo ocorre de maneira natural, atendendo às leis da natureza. Enquanto isso, ações e reações ainda desconhecidas dos que se encontram encarnados acontecem sem que possamos explicá-las à luz da ciência, baseados nos conhecimentos científicos que hoje dominamos.

Existem espíritos desencarnados, de pouca elevação moral, mas que já dominam o campo da ciência espiritual desconhecida dos encarnados, em razoável grau de conhecimento científico. São capazes de, em sintonia com espíritos encarnados, promover igualmente certos fenômenos que a ciência no mundo material ainda desconhece as causas, os mecanismo, as energias que as provocam; apenas podemos observar os efeitos.

Nem os primeiros nem os segundos são marionetes de ninguém. Ambos vivem no universo organizados em escala hierárquica. Esta escala pode ser atribuída aos avanços morais e científicos, no caso dos primeiros; ou apenas submetidos ao domínio baseado nos conhecimentos, “nas riquezas”, no patrimônio de conhecimento cientifico. É o caso dos segundos.

Os primeiros refletem a sua própria luz com muita intensidade; os segundos, mesmo com muito conhecimento científico, refletem pouca luz, por isso os mais inferiores não passam de vultos.

Os primeiros conhecem muitos segredos do universo, sobre os quais ainda buscamos conhecimentos. Eles sabem que a evolução é inevitável e que todos os espíritos pensantes atingirão o grau de iluminação que eles já alcançaram, e todos evoluirão infinitamente.

Os segundos são espíritos apegados à vida na Terra, no mundo dos encarnados, estacionados nos seus mais mesquinhos sentimentos: vingança, egoísmo, orgulho arrogante, gozo material. Estes, como ocorre com muitos cientistas encarnados, pretendem fazer da Terra um ambiente de seus domínios.

Se eu me apegar aos primeiros e lhes pedir ajuda a fim de ganhar o dinheiro que James Randi está oferecendo para provar um fenômeno “paranormal”, eles se negarão, pois sabem que James Randi, hoje, está a serviço dos segundos, mesmo que ele não tenha consciência disso.

Se eu me apegar aos segundos, estes atenderão. Eles farão de mim um charlatão que será desmascarado, pois é esta a função do grupo que usa Randi: fazer muita gente descrer dos fenômenos que a cada dia, gradativamente, vêm ocorrendo na Terra e ocorrerão com maior freqüência, passo a passo, unindo os dois mundos e fazendo a Terra atingir o grau de outros planetas regenerados e transformados em mundos superiores. É o que muita gente chama de Paraíso. Paraísos existem muitos no universo, assim como mundos inferiores, dominados por gente como Randi e sua turma equivocada, que inveja a condição de espíritos iluminados, superiores, que detêm o conhecimento que eles não dominam.

Os espíritos de baixa vibração mas de certo conhecimento científico ainda encontram na Terra um ambiente apropriado para agir. Eles se negam a se submeter a hierarquias sob as quais recomeçariam como simples trabalhadores. Estão acostumados a lidar com laboratórios, política, governo, megaempresas, guerras, portanto acreditam (ou fazem o possível para acreditar) mais na força material que na espiritual como forma de domínio. Acreditam que poderão manter o nosso planeta nesse estado, eternamente.

Conseguem colocar determinados espíritos encarnados nos governos de nações e, principalmente, na administração de certas empresas.

Os espíritos de luz conseguem influenciar alguns espíritos encarnados que decidiram deixar esse ciclo de reencarnações e se encontram em condições muitas elevadas, no que diz respeito ao conhecimento científico (são espíritos que decidiram recomeçar como trabalhadores simples na escala hierárquica mais evoluída moralmente) e fazem com que também esses assumam comandos idênticos, em diversos empreendimentos na Terra. Porém, aqui na Terra prevalece o esquecimento de vidas passadas, e muitas vezes, em meio às suas provas, esses espíritos cometem falhas. Tudo isso faz parte do processo evolutivo.

Momento chegará em que os espíritos evoluídos assumirão o comando direto da Terra. Haverá muita guerra (haverá?!). Inclusive no mundo espiritual há guerras. Se um espírito muito evoluído quiser entrar no mundo de baixa vibração, ele terá que baixar a sua freqüência e se disfarçar; pois, para adentrar nesses ambientes, exige-se até mesmo uma espécie de identidade energética, visto que os espíritos de baixa vibração vivem em grupos que se digladiam.

Todas as armas que se conhece hoje na Terra, assim como todo o conhecimento científico, tudo é inspirado no que ocorre nos mundos quintessenciados.

O sistema Solar é organizado e governado por grupos de espíritos muito evoluídos, e tudo funciona como em qualquer organização que se possa encontrar na Terra: líder (presidente, deus, allah, pai, criador, como queria chamar), assessores (Jesus, Sidharta Gautama, santos, departamentos, divisões, grupos, e tudo mais que se possa imaginar como funcionam as grandes corporações). O comando trabalha pela evolução do mundo material e espiritual. O “palácio” mais importante dessa organização é o Sol (neste sistema específico). As vibrações dos seus habitantes são tão intensas que recebemos toda aquela energia concentrada da forma como recebemos. Em todos os recantos do universo solar (universo limitado) existem espíritos em diversos graus de evolução trabalhando para dar continuidade a essa criação inteligente.

Um espírito que saia do “palácio” principal e queira habitar entre nós em missão, como aconteceu com Jesus, precisa se preparar para isso. Somente com a ajuda dos mais evoluídos ele consegue. Ele teria que baixar de forma incomensurável a sua freqüência vibratória, do contrário não teria como ocupar um corpo material compacto como o nosso.

Entre nós, este espírito não poderia falar de tudo que ocorre no “palácio”, pois muito ainda precisaríamos avançar no campo científico para entender como ocorrem certos fenômenos. Entretanto ele orientaria a todos nós, que estamos baseados em conhecimentos muito limitados, a fim de que aprendêssemos gradativamente e alcançássemos o seu grau de evolução.

Para que um espírito alcance o grau de evolução tal que possa fazer parte da equipe do Palácio Solar, ele passa desde as funções de energia mineral, cuidando diretamente do mundo mineral (milhões de trabalhadores estão nessa condição), ao reino vegetal (outros tantos milhões aí se encontram), reino animal (mais outros milhões), empresas terrenas, organizações terrenas, ciclo de reencarnações, muitas reencarnações, aprendizado gradativo; habitam mundos que nós não estamos enxergando com os recursos do corpo material, não têm poder de se unir e formar um corpo celestial com tanta intensidade quanto o sol, nem há necessidade de que o forme.

Enfim, tudo ocorre do outro lado como ocorre aqui, a diferença está no grau evolutivo, que passa da mais densa matéria até a mais sutil, a matéria quintessenciada.

Por isso as religiões estão aí falando de Deus cada uma de uma maneira e no final das contas todos estão falando do mesmo Deus.

Acima da organização que mantém o comando e responsabilidade sobre a evolução no sistema solar, existem organizações que comandam constelações, galáxias, grupo de galáxias, universos... tudo hierarquicamente organizado. Em todos os mundos, onde se possa observar a matéria compacta, o grau de evolução parte do mesmo princípio aqui exposto.
Enquanto a energia dos espíritos muitos evoluídos produziram e alimentam aquele astro imensamente luminoso, que por sua vez alimenta a vida aqui na terra, o conhecimento evoluído em mentes moralmente apegadas ao domínio pela força não deixa de ser um passo na evolução do universo, mas essa energia inferior se concentra no centro da Terra, no miolo da Terra. Desencarnados muito evoluídos em conhecimento científico, mas apegados ao egoísmo e arrogância, concentram suas energias no centro dos globos.

Lá no Sol, além de emanar os seus raios de luz, a força dos "deuses" explode em quilométricas "chamas", irradiando vida.

Lá no miolo da terra, as energias evoluídas em ciências e moralmente atrasadas explodem em diversos pontos da Terra, provocando a morte, a dor, o desespero.

Mas saibam que os que habitam o mundo dessa forma inferiorizada nem sempre sabem onde se encontram, muitos acreditam até que estão aqui ao nosso lado. Porém isso é outra história, isso exige conhecimentos profundos, conhecimentos científicos sobre dimensão, matéria quintessenciada, capaz de atravessar a matéria compacta. Isso muitos espíritos evoluídos apenas em ciência não têm a menor noção de como funciona. Precisariam se despojar do orgulho arrogante, do egoísmo e de tantos sentimentos inferiores, mesquinhos.
Mas aqueles espíritos evoluídos (encarnados ou desencarnados) que estão organizados no mundo espiritual, na Terra, no espaço sideral, no éter, no Sol, nos demais planetas, sejam aparentes ou ocultos aos nossos olhos orgânicos, estes sabem muito mais sobre ciência do que qualquer um de nós possa imaginar.

Voltemos a falar do grupo que exerce influências sobre James Randi.

Espíritos em geral se dispõem ou não a colaborar no que acham que devam colaborar ou não. Como ocorre com qualquer pessoa.

Eles sabem que eu preciso desse dinheiro, mas espírito nenhum está aí para fazer a gente ganhar dinheiro com espetáculos “paranormais”, mesmo porque não existem fenômenos paranormais no sentido de sobrenatural, ou seja, que extrapolem as leis da natureza. Tudo é normal, no sentido de que tudo é natural, tudo ocorre conforme as leis naturais.
US$1 milhão (um milhão de dólares) é uma quantia muito elevada pra mim, porém, para pagar o trabalho de espíritos desencarnados EVOLUÍDOS, não representa nada. Até para fazer caridade, daria pra comprar pão e peixe para uma única refeição de um milhão de pessoas, entre os 6 bilhões de habitantes da Terra. Daria para alimentar, com uma única refeição, um milhão de miseráveis de uma grande metrópole (ainda ficariam alguns milhões sem nem mesmo essa refeição). E olha que seria uma refeiçãozinha pouco farta: US$1,00 por prato (num restaurante de R$1,00, daria pra duas refeições; mas o restaurante de R$1,00 é subsidiado, e cada refeição custa, em média, R$4,50, o restante o Estado banca. Portanto, com U$1 milhão não bancaríamos nem mesmo aquelas refeiçõezinhas de que já falamos. Isso não contribuiria em nada para a evolução do planeta.

Os espíritos de baixa vibração, esses que se contentam com um mundo de prazeres carnais, satisfação dos sentidos ainda tão animalizados, sentimento de domínio pela força, sentimento de poder pela guerra, criam religiões institucionais que pregam a existência de um deus criador e fora de nós, como se nós fôssemos apenas objetos desse deus e nunca pudéssemos atingir o grau de evolução que esse deus a quem podemos imaginar atingiu.

Qualquer deus personalizado sobre o qual um ser humano possa imaginar e formar uma imagem à sua própria semelhança é um ser que já passou por esse estágio: “imperfeito”, como espírito pensante, e “perfeito”, como criatura de si mesmo, de suas conquistas.

Mas existe um bando de espíritos desencarnados que influencia James Randi, Bush, Sadam, Hitler, e tantos outros. Eles são mentores de alguns papas, bispos, sacerdotes e de muitos “religiosos”, empresários, escritores... Controlam certas empresas, a fabricação e desenvolvimento de certas armas, de drogas, o comércio escravo e tantas atividades e conhecimentos científicos. Eles influenciam os ignorantes transformando em dogmas o que poderia ser esclarecido pelo conhecimento científico. Fazem muita gente crer em milagres, acaso e crendices. Eles manterão o domínio sobre a humanidade por um certo tempo, até que muitos deles se cansem e briguem entre si, abandonem o propósito de manter a Terra sob esse domínio e ciclo de reencarnações. Aos que persistirem, pois têm o livre-arbítrio, será oferecido novo mundo, novo planeta em condições ainda muito atrasadas, para que continuem seus processos evolutivos.

Livre–arbítrio todos têm, mas liberdade de ação não. Se grande parte dos espíritos encarnados conquistarem um grau evolutivo e suas energias somadas se tornarem mais poderosas do que a dos que pretendem manter o ciclo de reencarnações, os outros terão que se render, terão que obrigatoriamente abandonar o Planeta. Por isso muitas vezes nos falam que, se todos vibrassem em função do Bem do Planeta, tais e quais acontecimentos ocorreriam. Claro! Mas os que estão vibrando em função do Bem precisariam estar realmente despojados de boa parte de sentimentos inferiores.

Vejam: existem milhões de espíritos vibrando em busca de subsistência no plano material; milhões de pessoas querendo ganhar dinheiro. Seus interesses estão voltados para o conforto material, observe como oscilam as bolsas de valores. Milhões de pessoas vibrando pelo interesse pessoal, cria-se o caos, as forças de vibração mais poderosas vencem. Mas isso é só um aspecto da guerra.

James Randi não passa de um dos muitos que estão involuntariamente (considerando o esquecimento de vidas passadas que a reencarnação promove) a serviço daqueles que querem manter a ignorância sobre a Terra.

Mas se um espírito muito elevado resolvesse me ajudar a produzir o tal fenômeno que ele pagaria US$1 milhão para assistir, eu toparia. Pô! pra mim, é muita grana! E minhas vibrações inferiores não esquecem o que eu poderia fazer com ela. O problema é que Randi e os seus “provariam”, mesmo que a gente conseguisse produzir o tal fenômeno, que nada ocorreu de forma paranormal. E ele tem razão, não seria mesmo, tudo ocorre de forma natural. O problema é que eles também podem “provar” que houve fraude. E muita gente acreditaria neles. E eu ou qualquer um que se dispusesse a ser protagonista do espetáculo passaria por um dos milhões de espíritos gananciosos, capazes de fazer qualquer coisa por dinheiro. Seria apenas mais um charlatão.


.

 
16065
Loading. Please wait...

Fotos popular