Pravda.ru

Notícias » Negόcios


Revolução nos teatros de Lisboa levanta críticas

20.12.2017 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Revolução nos teatros de Lisboa levanta críticas. 27885.jpeg

O anúncio sobre mudanças nos teatros municipais é feito pela vereadora da cultura, Catarina Vaz Pinto, numa entrevista ao Público. A concessão do Teatro Municipal Maria Matos é uma das questões que já suscitaram críticas.

Na dita entrevista, a vereadora da cultura da Câmara Municipal de Lisboa fez saber que o Teatro Municipal Maria Matos seria concessionado por cinco anos, a partir de Setembro de 2018, através de um concurso a lançar em Janeiro. Entre outras questões, também deu a conhecer o uso conceptual que seria dado ao Teatro Luís de Camões e ao Teatro do Bairro Alto nas próximas temporadas.

O Teatro Maria Matos está hoje sobre gestão directa da Empresa Municipal de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), cujo conselho de administração já afirmou que a decisão passa pela manutenção dos trabalhadores do teatro, mas através da sua redistribuição por equipamentos da EGEAC. Estes não foram no entanto considerados para a definição colectiva do projecto artístico do teatro.

O PCP, através de um comunicado da célula dos trabalhadores do município de Lisboa, questiona o facto de, «sobre um equipamento de tutela da EGEAC, com um conselho de administração, seja a vereadora da cultura a anunciar modificações», acrescentando que o executivo municipal lida com a EGEAC «como uma mera extensão dos seus interesses e objectivos».

A célula do PCP defende que a programação do Maria Matos não deve ser «subordinada a interesses comerciais» e lembra que «em nenhum órgão municipal tais ideias foram objecto de discussão e aprovação». Considerando que «se impõe a discussão e definição de uma política cultural para cidade nos seus diversos campos e expressões», o PCP também entende que «não é por via de concessões que se garantem as políticas que melhor servem a cidade e o País».

O Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa (STML/CGTP-IN) também se manifestou hoje surpreendido com o novo plano da autarquia para os teatros municipais, afirmando que vai pedir esclarecimentos sobre o assunto.

«Não nos foi dada informação oficialmente, não tínhamos indicação nenhuma, por isso estamos a preparar um ofício para questionar a administração da EGEAC e a câmara, e vamos também pedir uma reunião» às duas entidades, afirmou Vítor Reis, dirigente do sindicato, em declarações à Lusa, citadas pelo Diário de Notícias.

A estrutura sindical quer saber «o propósito desta decisão, o que significa e qual a situação dos trabalhadores», considerando que, quanto à concessão, «é uma externalização de um serviço público».

Segundo o dirigente sindical, está agendado para esta semana um plenário com os trabalhadores para analisar que medidas tomar em relação a esta situação.

Foto Por Bznein - Obra do próprio, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1957869

in

 
3878
Loading. Please wait...

Fotos popular