Pravda.ru

Notícias » Negόcios


França à beira de uma recessão sem precedentes

14.06.2020 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
França à beira de uma recessão sem precedentes. 33412.jpeg

França à beira de uma recessão sem precedentes

 


Por Waldo Mendiluza Paris, 13 de junho (Prensa Latina) Com o Covid-19 declarado sob controle e altas expectativas para a fase final da falta de confiança, a França está entrando em um cenário econômico marcado pelas consequências devastadoras da pandemia, com uma recessão sem precedentes à vista.

 



A queda do Produto Interno Bruto (PIB) de 11%, um déficit público de 246 bilhões de euros - 11,4% do PIB -, uma dívida de 120,9% e a perda de pelo menos um Um milhão de empregos compõem o cenário mais do que preocupante projetado para 2020.

Após três meses, com atenção voltada para a luta contra um vírus responsável por quase 30.000 mortes em solo francês, seu impacto econômico começa a ser um tema dominante na opinião pública.

Para alguns, a terrível sequência já é uma realidade, considerando o anúncio, esta semana, pelo Instituto Nacional de Estatística e Estudos Econômicos (Insee), da supressão de 502.400 empregos no primeiro trimestre.

A cifra é extremamente preocupante, levando em consideração que a quarentena geral para interromper o spread do Covid-19 começou em 17 de março, quando faltavam apenas duas semanas para o trimestre, o que sugere que a estimativa divulgada na terça-feira pelo Banco A perda de um milhão de empregos na França este ano pode ficar aquém.

O ministro da Economia e Finanças, Bruno Le Maire, reconheceu que tempos difíceis virão, com falências e empregos eliminados.

'A seriedade da crise exige uma resposta massiva e imediata', disse o funcionário, que apresentou quarta-feira, juntamente com o chefe de Ação Pública e Contas, Gérald Darmanin, um terceiro orçamento revisado para 2020, a fim de enfrentar as conseqüências da crise. pandemia.

Após as correções de março e abril, a iniciativa inclui ajuda de 460 bilhões de euros, um quinto da riqueza nacional.

O colapso projetado do PIB e o déficit em relação a ele supunham um cenário sem precedentes desde a Segunda Guerra Mundial no país, que já está tecnicamente em recessão, após -5,3 no primeiro trimestre e -0,1 no período de outubro -Dezembro do ano passado.

Medidas de recuperação, resgate de setores estratégicos, proteção ao emprego e auxílio a pequenas empresas levantam expectativas e dúvidas, em meio às pressões do poder econômico para acelerar o retorno à normalidade.

Os sindicatos e as forças progressistas exigem que as graves consequências do Covid-19 caiam de maneira distribuída na sociedade, e não apenas nas costas dos trabalhadores e dos mais vulneráveis, como costuma acontecer.

Nesse sentido, eles criticam que gigantes como a Air France ou a Renault respondam aos pedidos de rentabilidade feitos pelo governo para conceder-lhes resgates de sete bilhões de euros e cinco bilhões, respectivamente, com a abolição de empregos e o fechamento ou realocação de instalações.

Para o Partido Comunista Francês, o problema é estrutural, e o Covid-19 só veio a despi-lo e agravá-lo.

Segundo a organização política, a dura crise econômica e social resultante da pandemia já estava presente, porque muito antes, poder de compra, saúde, emprego e respeito à dignidade estavam no centro das preocupações populares.

Ontem, os comunistas realizaram um Conselho Nacional, no qual aprovaram uma proposta para um projeto nacional baseado na justiça social e no respeito aos direitos humanos e ao meio ambiente.

Chamada 'Let's Build France Together', a plataforma oferece uma solução coletiva para a crise socioeconômica decorrente da pandemia de Covid-19, com medidas nos setores de saúde, educação, poder de compra e emprego. , a transição ecológica, política externa, finanças, serviços públicos e desenvolvimento em geral.

rgh / wmr

 

 

https://www.prensalatina.com.br/index.php?o=rn&id=31789&SEO=franca-a-beira-de-uma-recessao-sem-precedentes

 

 
5059

Fotos popular