Pravda.ru

Notícias » Negόcios


Petroleira do ex-homem mais rico do Brasil dá calote

08.10.2013 | Fonte de informações:

Pravda.ru

 
Petroleira do ex-homem mais rico do Brasil dá calote. 18971.jpeg

Por ANTONIO CARLOS LACERDA

PRAVDA.RU

RIO DE JANEIRO/BRASIL - No Brasil, o que era apenas uma expectativa e especulação do mercado financeiro se tornou uma verdade: A petroleira OGX, do empresário Eike Batista, optou por não pagar juros sobre bônus no exterior que venceriam nesta terça-feira (1º/10), no primeiro passo do que pode vir a ser o maior calote da história por uma empresa latino-americana.

 

"A companhia optou pelo não pagamento das parcelas referentes aos juros remuneratórios, no valor aproximado de US$ 45 milhões, decorrentes das Senior Notes emitidas pela OGX Austria, controlada da companhia, as quais venceriam na data de hoje", informou a petroleira, em fato relevante.

 

O não pagamento dos juros referentes à dívida de US$ 1,1 bilhão em bônus com vencimento em 2022 já era amplamente esperado, diante da crítica situação de caixa da petroleira.

 

O bônus possui, entretanto, cláusula que dá ao emissor prazo de 30 dias para honrar o compromisso, como havia antecipado reportagem do Broadcast com fontes, ontem. Depois desse prazo, a empresa está sujeita à aceleração do pagamento de outras dívidas, especialmente as bancárias, e pode ser levada à falência. No final de junho, a dívida da OGX com bancos somava R$ 8,7 bilhões, de acordo com o balanço da companhia.

 

Em fato relevante enviado há pouco ao mercado, a petroleira do grupo do empresário Eike Batista diz que se encontra "em processo de revisão de sua estrutura de capital relacionada, por sua vez, à revisão do seu plano de negócios", o que teria motivado a opção pelo não pagamento das parcelas referentes aos juros remuneratórios dos bônus no exterior.

 

Os banco de investimentos contratados para discussões com os detentores desses títulos são Lazard e o Blackstone.

 

No mercado. Após abrirem com queda de quase 5% e renovarem a mínima histórica ao bater R$ 0,20, as ações da OGX inverteram o sinal e há instantes subiam 9,52%, cotadas a R$ 0,22, liderando as maiores altas do Ibovespa. No mesmo momento, o índice subia 0,63%, aos 52.669 pontos.

 

Segundo operadores, a alta pode ser classificada como "short squeeze" no jargão do mercado, quando investidores correm para zerar posições vendidas no papel, para fugir dos riscos de uma potencial suspensão da negociação com as ações da petroleira, caso a empresa entre com pedido de recuperação judicial.

 

Entenda o Caso. Eike Batista é um empresário brasileiro, amigo pessoal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff, já foi o homem mais rico do Brasil e o sétimo do mundo. Ana passado, Eike cantou aos quatros cantos do mundo que este ano seria o mais rico do planeta, o que não ocorreu, dando tudo errado em seus negócios, levando-o a ser excluído da lista do bilionário do planeta.

 

Eduardo Boccuzzi, da Boccuzzi Associados, explica que, em geral, os contratos de financiamento, especialmente de bancos, possuem cláusulas de "cross default", ou seja, se uma dívida não é paga, as demais dívidas também vencem antecipadamente.

 

"Diante do cenário desenhado até agora, pode-se deduzir que o caminho natural é o pedido de recuperação judicial, para que a companhia renegocie toda a dívida, no atacado, e evite o pedido de falência pelos credores."

 

Por isso, a OGX já teria tomado algumas atitudes recentemente, como a nomeação do novo diretor financeiro e de Relações com Investidores, Paulo Narcélio Simões Amaral, no último dia 23, e a contratação da consultoria financeira independente Lazard para trabalhar junto com a Blackstone na reestruturação o passivo.

 

Uma fonte do mercado de dívida com proximidade aos credores externos disse na sexta-feira que a renegociação dos US$ 3,6 bilhões em dívida externa da OGX acontecerá durante o processo de recuperação judicial e que as discussões da empresa com os credores externos continuam em fase inicial.

 

A mesma fonte disse ainda que a proposta de transformar em capital acionário o passivo de bônus externos não é descartada, mas precisa ser trabalhada. Segundo um advogado, essa opção é uma "cortina de fumaça" e não teria sentido porque seria difícil converter toda a dívida e se, apenas parte dela fosse trocada, continuaria não existindo a garantia do pagamento dos bônus.

 

Para um profissional de dívida isso também traria muita resistência dos detentores de ações que procurariam conturbar as negociações com ações judiciais para impedir a diluição das ações.

 

"O maior desafio nesse momento é conseguir que o campo de Tubarão Martelo produza o mais rápido possível, o que traria benefício aos credores da OGX e aos credores da OSX", disse um outro profissional do mercado de dívida. O campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos, é o único em fase de desenvolvimento que teve seu cronograma mantido pela petroleira de Eike Batista.

 

Para conseguir viabilizar a operação, a companhia precisa renegociar sua dívida e de uma injeção de dinheiro novo, talvez por meio da petrolífera malaia Petronas, acrescentou a fonte, lembrando que os processos de renegociação de dívida que envolvem muitos credores, normalmente, são longos. Entre os maiores credores externos da OGX estão Pimco e BlackRock, que têm papéis da companhia distribuídos em fundos. Com informações da Agência de Notícias Estado.



ANTONIO CARLOS LACERDA é Correspondente Internacional do PRAVDA.RU.

 

 
7120
Loading. Please wait...

Fotos popular