Pravda.ru

Mundo

Os manipuláveis e os médicos cubanos

31.08.2013
 
Os manipuláveis e os médicos cubanos. 18806.jpeg

Valter Xéu*

Aquelas manifestações de alguns brasileiros em todo território nacional e em algumas cidades do mundo, não foi assim uma coisa espontânea como muitos acreditam. A convocação foi jogada nas redes por quem tinha interesse e o povo (não o povão, pois esse não participou) muito bem vestido, com roupas de grifes atenderam ao pedido.

Você leitor acha que, por mais eficientes que sejam as redes na internet, elas têm a capacidade e condições de organizar em menos de 24 horas, depois da manipulação/manifestação em São Paulo, manifestações em Tóquio, Londres, Paris, Berlim, Nova Iorque?

Não tem!

 Elas já estavam prontas, organizadas no gatilho para acontecer.

E isso foi só um ensaio geral do que vem por aí um pouco mais perto das eleições.

Veja que os manifestantes gritavam palavras de ordem contra a corrupção, mas genericamente, pois tanto eu como você, sabemos que o nosso Congresso é formado na sua maioria por corruptos e o nosso Judiciário deixa muito a desejar.

Não se ouviu um pio nas ruas contra Sarney, Maluf, Barbalho. O fora Renan foi muito mais em função das estripulias dele com a Monica Veloso. Ele é um peixinho em comparação a muitos que lá estão.

O tal movimento do passe livre é outra cortina de um peça mais trágica. Acreditam que conseguindo isso terão um mundo e uma vida melhor.  Não enxergam que o que Brasil paga de juros aos bancos em um mês, daria para resolver de uma vez por todas os problemas crônicos da educação e da saúde, mas isso é uma caixa preta e ninguém toca, nem mesmo os manifestantes/manipuláveis.

 

Os médicos cubanos.

A medicina cubana sempre foi elogiada ate por quem não nutria nenhuma simpatia pelo socialismo, mas bastou o Brasil mostrar interesse em contratar médicos da Ilha, para que as entidades medicas protestassem e tentasse desmerecer uma medicina que tratou o pessoal de Chernobyl, um contingente de 1300 médicos, postados no Aeroporto de Havana, com capacidade de chegar e prestar ajuda à população afetada pelo furacão Katrina aguardavam apenas autorização para o embarque, e em questão de 3 horas de vôo estariam em Nova Orleans salvando vidas. Esta autorização nunca chegou da Casa Branca.  A resposta animalesca do presidente George Bush foi um sonoro NÃO à oferta de Cuba, (1) que tem médicos cuidando dos haitianos com a coordenação da ONU, médicos na África, Ásia e ate mesmo em países europeus como Portugal, Espanha e Áustria. A Organização Mundial de Saúde reconhece o sistema cubano como referência para outros países, incluindo aí o próprio EUAguardavam

Pelo mundo

Atualmente, quase 40% dos quase 235 mil médicos registrados no Reino Unido são estrangeiros. Grande parte deles vem das 20 nações mais pobres do mundo, incluindo a Libéria - que possuiu 0,014 médico por mil moradores - e o Haiti. A Índia é o principal fornecedor para os ingleses, com 25 mil profissionais.

Os Estados Unidos também são um grande importador. Em 2006, a cota de profissionais estrangeiros era de 25,9%. Uma grande parte deles vem de países como a Índia, que oferece apenas 0,6 médico por mil habitantes, do Canadá e do México.

A Noruega é outro exemplo de país que atrai mão de obra do mundo menos desenvolvido. Seu programa de importação de médicos é considerado um exemplo.

A parcela de médicos estrangeiros no país é de 16,3%. Com 4,2 médicos por mil habitantes, a Noruega também importa de países com um déficit maior que o seu. A maioria dos profissionais são da Alemanha (3,7), da Suécia (3,8), mas também da Polônia e do Iraque - com índices de 2,2 e 0,6 respectivamente.(2)

Curativa contra a preventiva

A ilha caribenha possui um dos maiores índice do mundo - são 6,7 médicos por mil habitantes. Somente neste ano, afirma o Ministério de Relações Exteriores, 10 mil estudantes de medicina estão concluindo o curso no país.

No Brasil onde a medicina praticada é a curativa e que faz a felicidade da indústria farmacêutica, vai na contra mão do modelo cubano cuja medicna é preventiva, ou seja. Faz de tudo para que ninguém fique doente e é ai que o bicho pega, pois e ninguém ficar doente, como é que a indústria vai vender remédio? Como é que o medico e familiares vão viajar para Europa com despesas bancadas pelo laboratório o que vendeu milhões e milhões de remédios receitados por esses médicos?

Segundo dados recentes do Ministério do Trabalho, existem hoje trabalhando no Brasil cerca de 70 mil engenheiros estrangeiros. Nenhuma gritaria foi feita. Neste caso, trata-se de petróleo e outros projetos, muito lucrativos para as multinacionais. Mas, quando se trata de salvar vidas, acendem-se todas as fogueiras do inferno da nova inquisição

Na reunião da Comissão de Educação da Câmara em Brasília quando se discutia uma maneira de revalidar o diploma dos estudantes brasileiros formados em medicina em Cuba, os maiores lobistas, eram os diretores das escolas particulares de medicina, e sisudos diretores da indústria farmacêutica que tem um lobby poderosíssimo dentro do Congresso e não eleições estão sempre apoiando pelos caixas 1, 2,3... aqueles que sempre votaram lá dentro de acordo os interesses dessas entidades.

Portanto meu caro. Não se iluda com essas manifestaçõezinhas de ruas, achando que o "gigante acordou" como muitos apregoam.

O gigante continua dormindo e para lhe provar isso, lhe digo que aguarde as eleições de 2014, quando esse povo vão mandar pra Brasília os pilantras de sempre e que em um país serio, estariam todos mofando nas prisões.

Alias o grande e genial Millôr Fernandez já dizia que o motivo de o melhor da nossa sociedade não estar atrás das grandes, são as péssimas condições carcerarias do país.

Notas

1 - Beto Almeida: Médicos cubanos: avança a integração da América Latina (www.patrialatina.com.br)

2 - DW: Planejada pelo Brasil, "importação" de médicos é fenômeno mundial (www.dw.de)

 

*Valter Xéu é jornalista e editor de Pátria Latina e Irã News

 


Loading. Please wait...

Fotos popular