Pravda.ru

Mundo

Palavras de Iván Márquez no lançamento da candidatura de Timo em Ciudade Bolívar

31.01.2018
 
Palavras de Iván Márquez no lançamento da candidatura de Timo em Ciudade Bolívar. 28135.jpeg

Companheiro Timochenko, candidato da gente do comum à Presidência da República e, candidato de todo aquele e aquela que, sem importar se estrato social anseie com seu coração Paz para Colômbia, com justiça social e democracia verdadeira. Companheira Imelda, candidata à Vice-presidência da Colômbia Nova, contumaz lutadora pela paz e a liberdade.

Companheiro Jairo González, Byron, candidato à Câmara de Representantes pela cidade de Bogotá, ex-comandante guerrilheiro que saberá escutar as angustias da gente dos bairros mais humildes da Capital da República para lutar pelas transformações que os pobres necessitam.

Companheiros entranháveis de Cidade Bolívar, nosso afeto os cumprimenta. Na montanha sempre levamos presente a dura vida dos pobres da Colômbia

"Tenho conservado intata a lei das leis: a igualdade. Sem ela perecem todas as garantias, todos os direitos. A ela devemos dedicar todos os nossos sacrifícios" (Simón Bolívar no Congresso Constituinte de Bolívia, em 25 de maio de 1826

Não deve ser motivo de orgulho para Presidente algum, ter convertido a Colômbia no segundo país mais desigual do mundo. Quê vergonha!, Quê horror, Quê falta de humanidade!!!, sobretudo quando se constata que todo tem sido friamente calculado e planificado para enriquecer mais e mais uma insaciável e egoísta casta dominante. Jamais pensaram no sofrimento das grandes massas de seres humanos que agonizam na pobreza, nos bairros, nos povoados pequenos e nos campos da Colômbia. Governaram o pais para se tragar eles sozinhos o bolo e o sorvete.

Todos somos testemunhas de como as ratas transitam pelos corredores da institucionalidade roubando os dinheiro do Estado para se enriquecer eles e fazer mais pobres aos pobres. Como feras famintas correm atrás de contratos para pular na sua jugular com o grito animal del CVY "como voy yo", quer dizer "quanto tem para mim"

Companheiras e Companheiros: desta forma a corrupção tem-lhe arrebatado a nosso povo, mais de 50 bilhões de pesos, que é a cifra estabelecida pela Promotoria Geral da Nação. Quantas investimentos poderíamos ter feito com esse dinheiro para transformar a vida dos pobres e acabar com a miséria que tantas pessoas padecem.

Há Presidentes que enriqueceram-se eles e seus filhos da noite para o dia e, a justiça não estava nem aí, sempre cega e surda. Por isso na Colômbia a impunidade ri de todos nós todo o santo dia. Perguntemos-lhe com um grito de indignação que suba desde embaixo até as alturas do poder: O quê passou com os envolvidos nos contratos com Odebrechet; onde estão os ladrões de Reficar? Quem são os responsáveis de que os colombianos não tenham saúde digna nem educação gratuita no ensino fundamental, meio e na universidade?. Quem são? Aqui poderíamos enumerar inúmeros casos da mais escancarada corrupção de colarinho branco.

Timochenko e sua rebeldia têm saído da montanha insurgente, trás a firma do Acordo de Paz de La Habana e, a deixação das armas, a fazer política, a convocar os colombianos à unidade, porque sabemos que nela está a mega força que necessitamos para transformar nosso país, Colômbia.

Gostaríamos de colocar nas mãos de todas y todos vocês a potência transformadora que construímos com seu apoio durante mais de meio século de exercício do direito universal que assiste a todos os povos do mundo de se levantar contra a opressão e a injustiça e, contra a maldita corrupção que nos está destruindo como país.

Timochenko e Imelda: Tomem nas suas mãos a bandeira da causa do povo e de todos os colombianos de bem. Botemos o país nos trilhos do desenvolvimento justo e para todos, consolidemos a paz elegendo um presidente que cumpra os Acordos assinados, um presidente que não faça armadilhas nem promessas falsas, que trabalhe pelo melhor estar de todos os cidadãos, que não permita que se instale o paraíso dos corrutos protegidos pela justiça parcializada e inútil. Timo pode fazer isso. Temos que oferecer-lhe o nosso apoio firme e permanente.

Não podemos dilapidar este momento que nos está oferecendo a história para construir nosso futuro de vida digna, de paz e inclusão para todos. Podemos fazer da Colômbia uma república de irmãos que unidos pela solidariedade, garantice nosso progresso y o respeito diante das nações do mundo.

É por isso que já estamos aqui em Bogotá. Somos soldados de Manuel Marulanda y de Jacobo Arenas, nossos pais fundadores e, juramos não retroceder na luta pela implementação dos Acordos porque ela é a base da construção de uma paz estável e duradoura.

O mais importante para ganhar a presente batalha é que todos lutemos sem trégua como um só homem, pois a unidade é definitiva para converter em realidade o sono de ter uma Nova Colômbia justa e soberana.

Não queremos ser oposição de ninguém. Não vamos a participar no pleito eleitoral entrando pelo caminho de uma disputa inútil e estéril com outros partidos, pois, a nossa Plataforma é o Acordo Final e sua implementação. Nosso interesse supremo é criar as condições necessárias para trabalhar com o povo na derrota da pobreza e a miséria em que ele se encontra.

Queremos participar do diálogo entre todos os candidatos que pensam e sonham uma Colômbia mais compreensível e humana. Esse é o caminho.

Também, sonhamos trabalhar unidos com os nossos antigos adversários na guerra (soldados, polícias e seus mandos) para levar assistência, desenvolvimento e progresso aos pobres do campo e da cidade.

Pa´lante Comandante.

Timochenko, Presidente.

Somos o futuro; somos a esperança.

Com a rosa vermelha em nosso coração, VENCEREMOS.

 


Loading. Please wait...

Fotos popular