Pravda.ru

Mundo

62 pessoas detêm a riqueza correspondente à de 3.5 BILIÕES de pessoas

29.12.2019
 
62 pessoas detêm a riqueza correspondente à de 3.5 BILIÕES de pessoas. 32380.jpeg

Sessenta e duas (62) pessoas detêm a riqueza correspondente à de 3.5 BILIÕES de pessoas.

Queremos desejar-lhes os nossos votos de Bom Natal e Feliz Ano Novo?

 

    Os Estados Unidos da América declararam publicamente que têm uma missão no mundo e que, por esse motivo, nenhum outro país deve pensar apenas em afrontar esse destino manifesto e divino que se traduz:

 

a)    na presença de bases militares dos EUA em todo o mundo (mais de 800, com ou sem o consentimento dos respectivos povos, ver Guantánamo);

 

b) na presença permanente de frotas militares, incluindo porta-aviões, submarinos, bombardeiros e drones em cada uma das seis áreas de controlo nas quais os Estados Unidos dividiram o mundo inteiro (incluindo o gelo dos pólos e a atmosfera que cerca e protege a Terra);

 

c)   de longe, a maior despesa militar (700 biliões de dólares por ano - 35 biliões a Rússia e 49.5 biliões a China). A notícia de hoje é que também excederam esta cifra.

 

Queremos desejar um Feliz Ano Novo a todos aqueles que criaram esse mecanismo de guerra e de destruição dos recursos da Terra?

 

    Desde o final da Segunda Guerra Mundial, os governos italianos que se sucederam, abriram mão de cada vez mais partes da soberania e da riqueza do nosso país a outros - com a adesão, cada vez mais convencida e não debatida, à NATO - que levaram a cabo, de facto, a ocupação do nosso país (113 bases), a participação  da Itália em actos de guerra que nada tinham a ver com a defesa do nosso território e a exposição desnecessária a represálias nucleares devido à presença de 70 bombas nucleares, violando os tratados internacionais assinados pelo nosso país e, sobretudo, violaram a nossa Lei Fundamental da Constituição que não se limita a condenar as guerras, mas que as REPUDIA, como meio de solucionar conflitos internacionais.

 

Também queremos desejar um Feliz Ano Novo a todos os parlamentares actuais que continuam a apoiar essa escolha política, económica e militar, suicida?

 

      Os mercados considerados lei natural, absoluta e indiscutível para a regulação das actividades económicas, na realidade o que é que produziram? Tomando o exemplo do golpe no Chile, de 11 de Setembro de 1973, considerado o baptismo de fogo do neoliberalismo que prevalece agora universalmente, descobrimos que o mundo foi verdadeiramente unificado na economia, na informação e no tipo de consumo, mas que, simultaneamente, viu o crescimento das desigualdades entre os seres humanos como nunca na História: não apenas entre os países pobres e ricos, mas também entre os países mais ricos. Quais são então esses mercados? São presenças automáticas, autónomas, extraterrestres ou são governados por pessoas físicas e jurídicas bem definidas e bem delimitadas? São aquelas famosas 62 pessoas que, através de empresas multinacionais e instituições financeiras estritamente privadas e opacas, controlam uma economia que não tem nada a ver com as necessidades básicas dos 7.5 biliões de pessoas que, actualmente, habitam o nosso pequeno e circunscrito planeta? Seguramente, eles não nos consideram seus "iguais".

 

Também queremos desejar a esses indivíduos um Feliz Ano Novo?

 

      Confesso que não me importo nem um pouco; os melhores votos desejo a todos vós, que nos seguem há algum tempo e que compreendem a seriedade e consistência com que agimos; desejamos votos de felicidades  aos 6 biliões de seres humanos que vivem no planeta, mas não contam com um acidente (independentemente de viverem nos chamados países democráticos ou não, pois os que decidem fazem-no noutro lugar, sem o controlo de ninguém). As condições sociais, culturais, técnicas e científicas da actualidade, podem garantir a todos uma vida decente e digna, não precisamos mais de lutar contra feras ou matar para conseguir comida, mas, sim e tumultuosamente, contra aqueles que estão indiscriminadamente a destruir os recursos disponíveis para produzir o supérfluo.

Por isso, desejo tudo de melhor, não às pessoas, mas aos objectivos de que, como pessoas, nos devemos empenhar para realmente defender a sobrevivência do género humano e da justiça, na sua existência conjunta.

 

       Primeiro objectivo: esperamos evitar definitivamente o risco de uma guerra nuclear, não vejo a Rússia, o Irão e a China como inimigos que nos estão a ameaçar e dos quais nos devemos defender; no nosso país, isto significa sair de qualquer aliança militar, para uma neutralidade activa com todos os povos do mundo; significa devolver as bombas nucleares, que estão instaladas, ilegal e ilegitimamente, no nosso território, ao seu "legítimo" proprietário; significa trabalhar para garantir que a Itália respeite o Tratado de Não Proliferação e ratifique o novo Tratado ONU proposto por 113 países às Nações Unidas para proibir completamente as armas nucleares. O nosso país, através da sua Constituição, nascida no final de uma guerra mundial devastadora, não se limita a rejeitar a guerra, mas REPUDIA-A como instrumento para regular as relações internacionais.

 

       A nossa Comissão (Comitato NoGuerraNoNato) e a nossa associação sem fins lucrativos "Per um Mondo Senza Guerre" estão em acção em todo o país e há dois anos também na Europa para informar, documentar, organizar reuniões, promover iniciativas conjuntas contra a guerra, contra o trafico de armas, contra a participação da Itália na presença agressiva da NATO, agora em todo o mundo.

 

      Finalmente, desejamos felicidades a nós mesmos (o nosso apelo original e, portanto, as actualizações semanais que fazemos aos signatários do mesmo, hoje são assinadas por cerca de 40 mil pessoas) pelo nosso trabalho totalmente voluntário, absolutamente desligado de qualquer objectivo eleitoral - ou directa ou indirectamente, de qualquer partido. Não temos nenhum financiamento ou apoio institucional, podemos contar exclusivamente com o vosso apoio operacional (organizem, sempre que possível, momentos de reuniões de discussão para debater os nossos problemas e dar-vos-emos todo o apoio e suporte possível); mas, acima de tudo, precisamos do vosso apoio financeiro (fundamental para continuar).

 

        Os melhores votos possíveis seriam desfrutar a plataforma que construímos recentemente NATOEXIT.IT, para utilizar a avalanche de documentos, artigos, vídeos, informações que encontrarão (todas facilmente acessíveis para download) e usando o botão DOAÇÕES - na página principal e sem cobranças - permite, por meio do PayPal, oferecer doações mínimas, inclusive mensais, como o valor de um 'cappuccino' e um bolo, de vez em quando; ou doações únicas ainda mais substanciais (à espera do mecanismo gratuito de 5 por mil), que podemos certificar como associação (basta ter o vosso endereço de email) para que possam integrar na vossa declaração de impostos. Nota curta: o dinheiro que vocês pagam no Change.org para a nossa campanha vai inteiramente para o Change e não para nós. Todo o dinheiro proveniente das doações será usado na íntegra para organizar eventos e produzir documentos; não temos funcionários ou trabalhadores, mas temos de pagar serviços como o site, conferências ou reuniões via zoom, cartazes, folhetos, etc. A defesa da nossa sobrevivência pode ser uma boa motivação.

 

FELIZ NATAL E BOAS FESTAS EM SERENIDADE

UM ANO 2020 DE ATAQUE À GUERRA E À NATO

 

Giuseppe Padovano

Presidente da APS "Per un mondo senza guerre"

Coordenador do Comitato No Guerra No Nato

Mobile/Telemóvel: 3939983462

Email: giuseppepadovano.gp@gmail.com

Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos 

Email: luisavasconcellos2012@gmail.com

https://nowarnonato.blogspot.com/2019/12/comitato-no-guerra-no-nato-votos-de.html

Foto: By Vasily Vereshchagin - CD-ROM "Государственная Третьяковская галерея". Издание 2-е; Допол. Издательство: AlexSoft, 2004, Public Domain, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=352722

 


Fotos popular