Pravda.ru

Mundo

Sistema Firjan divulga balança comercial do Rio de Janeiro

28.04.2008
 
Sistema Firjan divulga balança comercial do Rio de Janeiro

Rio, 28 de abril de 2008

As exportações do estado do Rio de Janeiro, em março último, somaram US$ 762,8 milhões, elevando o acumulado do ano a US$ 14,2 bilhões. De janeiro a março frente a igual período de 2007, as vendas externas fluminenses já diminuíram 1,5%. Contudo, desde o início do ano o ritmo de crescimento das importações, em alta de 34% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período de 2007, continuou bem superior ao das exportações. Só em março, as vendas externas recuaram 33,8% ante o mesmo mês do ano passado.

O valor exportado só não teve retração mais significativa porque os preços registraram alta. O índice de preços subiu 46,9% nos três primeiros meses deste ano ante igual período de 2007, enquanto o índice de quantidade exportada caiu 32,5%.

O setor extrativo mineral exerceu forte influência nesses dados, na medida que os preços avançaram 77,1% e a quantidade exportada teve queda de 44,4%, devido a paradas programadas para manutenção de plataformas na Bacia de Campos.

Os números são do Boletim RioExporta, publicado pelo Sistema Firjan, com base nos dados fornecidos pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), e divulgado nesta segunda-feira, dia 28.

As importações fluminenses, no valor de US$ 718,2 milhões, foram recorde para o mês de março, com alta de 10,4% sobre igual mês do ano passado. As importações da indústria extrativa impulsionaram as compras em março, com participação de quase um terço do total importado pelo estado. A Arábia Saudita foi o principal país fornecedor, com o total de US$ 196 milhões em importações de petróleo e gás natural.

O saldo comercial fluminense, com esse resultado, acompanha a tendência nacional de redução. Em março, o superávit comercial foi de US$ 44,6 milhões, menor valor desde março de 2006 e 10% inferior na comparação ao mesmo mês de 2007. O saldo acumulado no ano registrou superávit de US$ 272,3 milhões, com queda de 72,2% frente a janeiro-março de 2007 - em linha com a retração de 69,4% apresentada pelo saldo comercial do país.

Exportações

O setor automotivo fluminense se destacou na pauta exportadora de março, sendo uma das exceções, junto com o de borracha, à queda generalizada dos principais gêneros da indústria. Também nos últimos doze meses, encerrados em março, a indústria de material de transporte sobressai com o maior crescimento das vendas externas: 147,2%.

Os principais produtos nas exportações em março que registraram taxas de crescimento mais expressivas estiveram todos ligados à indústria automotiva, a exemplo de pneus e câmaras; automóveis, caminhões e ônibus; e peças e veículos.

Importações

O desempenho das compras externas continuou forte em março. Os maiores destaques na pauta importadora foram peças e veículos; máquinas, equipamentos e instalações de uso industrial; petróleo e gás natural; e outros produtos metalúrgicos.

No acumulado em doze meses, os principais produtos importados foram máquinas, equipamentos e instalações de uso industrial; elementos e compostos químicos não-petroquímicos ou carboquímicos; e petróleo e gás natural.

Principais parceiros

O principal destino das exportações do Rio de Janeiro, em março, foi Santa Lúcia, país situado na região do Caribe, com participação de 22,2% do total, ou seja, US$ 169 milhões, exclusivamente devido às vendas de petróleo.

Foi ainda o petróleo que influenciou as exportações para os EUA, que respondeu pela fatia de 15,6% do total vendido ao exterior em março. Para os países sul-americanos, Chile, Argentina e Peru se destacaram nas exportações de automóveis, caminhões e ônibus, inclusive carrocerias.

Entre os principais países fornecedores de bens e produtos para o Rio de Janeiro, em março, a liderança, com participação de 27,3%, equivalentes a US$ 196 milhões, foi da Arábia Saudita. Participações significativas também tiveram França e Alemanha.

Fonte: www.firjan.org.br


Loading. Please wait...

Fotos popular