Pravda.ru

Mundo

Cristina Kirchner rejeitou as críticas à sua forma de vestir

26.10.2007
 
Cristina Kirchner rejeitou as críticas à sua forma de vestir

A poucos dias das eleições presidenciais na Argentina, a serem realizadas este domingo (28), pesquisas indicam que a primeira dama e senadora Cristina Kirchner (Frente para a Vitória) deve obter entre 42% e 43% dos votos, segundo várias sondagens.

A margem de erro é, em média, de 5% - o que abriria a possibilidade de a primeira-dama não vencer a eleição no primeiro turno e causa suor frio nos assessores da campanha do governo. Segundo a Constituição, vence o primeiro turno quem conseguir mais de 40% dos votos, desde que a diferença para o segundo colocado seja superior a 10 pontos.

 Elisa Carrió, da centro-esquerdista Coalizão Cívica, sobe nas pesquisas atraindo o voto útil dos eleitores anti-Kirchner. Uma sondagem divulgada ontem pela consultoria Giacobbe e Associados indica que Cristina teria 42,6% dos votos. Elisa contaria com 22,8%.

O ex-ministro da Economia, Roberto Lavagna, do partido Uma Nação Avançada (UNA), ficaria com 15,8%.

O quarto colocado é irmão do ex-presidente provisório Adolfo Rodríguez Saá, Rodríguez Saá, com 9,1%.

Pela internet circulam pesquisas que indicam que Cristina não passaria dos 33%. Uma delas, supostamente encomendada pela embaixada dos EUA, daria a Cristina com 31,3% dos votos, enquanto que Rodriguez Saá seria o segundo, com 18,5%. Carrió ficaria em terceiro com 16%.
O presidente Mestor Kirchner, num discurso em Pilar, Província de Buenos Aires, pediu apoio para a mulher e lembrou que seu governo resgatou a Argentina da crise: “Contra boa memória, nada pode”, disse.

Cristina rejeitou ontem as críticas à sua forma de vestir. “Não me fantasiarei de pobre”, afirmou. “Por que teria de fantasiar-me de pobre para ser uma boa líder política?”, perguntou, ante as observações de que usa vestidos caros e jóias.

 “Sempre gostei de me vestir bem e de me maquiar muito”, admitiu Cristina, que afirmou que as críticas em relação a isso partem de setores “machistas” e “misóginos”.


Loading. Please wait...

Fotos popular