Pravda.ru

Mundo

Presidente da Polônia Condena Expressões da Ultra-Direita no Dia da Independência

25.11.2017
 
Presidente da Polônia Condena Expressões da Ultra-Direita no Dia da Independência. 27730.jpeg

Presidente da Polônia Condena Expressões da Ultra-Direita no Dia da Independência

Andrzej Duda afirmou que no país leste europeu não há lugar para xenofobia, antissemitismo e "nacionalismo doentio". Nada parece conter o terrorismo branco-religioso ocidental

Edu Montesanti

O presidente polonês tem condenado o ódio expressado na manifestação massiva do último dia 11 em Varsóvia pela independência da Polônia em 1918, organizada por grupos de ultra-direita em que prevaleceram, entre cerca de 60 mil participantes, discursos xenófobos, racistas e religioso-extremistas. 

Enquanto líderes e diplomatas poloneses em alguns lugares do mundo, inclsive no Brasil, tentam desmentir o caráter agressivo da manifestação pública baseada na supremacia branca e na aversão às diferenças étnicas e religiosas, a condenação do chefe de Estado da Polônia, o ultra-conservador Andrzej Duda, foram as mais duras até agora enquanto, em território polonês, a discussão segue intensa entre membros do governo e na própria sociedade em relação à natureza xenofóbica da passeata.

Embora tenha contado com a participação pacífica de famílias, a comemoração pelos 99 anos da independência dos impérios austro-húngaro, prussiano e alemão ao final da I Guerra Mundial, foi até o final coordenada por grupos declaradamente nazi-fascistas que, entre outras coisas, bradavam: "A Europa será branca ou inabitável", "Sangue puro, mente esclarecida".

Uma grande faixa trazia a inscrição "Deus Vult" em letra gótica que, em latim, significa "Deus quer assim", lema utilizado na Primeira Cruzada "cristã" no século XI quando o exército religioso europeu assassinou islamitas e judeus na chamada Terra Santa. Este brado tem sido constantemente repetido na Europa nos últimos anos pela direita radical, a fim de manifestar repúdio ao Islã.

Determinado manifestante entrevistado pela TVP, rede de TV estatal local conservadora e pró-governo Andrzej Duda, de ultra-direita, disse: "Tire os judeus do poder!", "Grande marcha de patriotas". Em suas transmissões, a TVP descreveu o evento como aquele que atraiu a maioria dos poloneses comuns expressando amor pela Polônia, não pelos extremistas.

Enquanto o presidente Andrzej Duda tem afirmado que não há, em seu país, lugar para xenofobia, nacionalismo patológico e antissemitismo, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores israelense, Emmanuel Nahshon, qualificou o evento de "perigosa marcha de elementos extremistas e racistas".

 


Loading. Please wait...

Fotos popular