Pravda.ru

Mundo

União Europeia: O Sonho

25.11.2012
 
União Europeia: O Sonho. 17613.jpeg

Era uma vez, havia um grupo de agricultores, cada um produzindo suas frutas e legumes, alguns produzindo mais, alguns produzindo menos, vivendo em um lugar chamado Eurolândia e governados por uma classe chamada Eurocratas. Às vezes, havia brigas quando um agricultor decidiu expandir suas terras, mas de modo geral todos eles se deram bem.

Viveram assim durante milhares de anos, cada agricultor e seus clientes desfrutando das suas próprias tradições, leis e costumes.

Um belo dia, um dos Eurocratas teve uma idéia e chamou seus companheiros das outras terras. "Eu sei!", ele disse, "Por quê não criar um mercado comum?" Quando os outros Eurocratas perguntaram o que era aquilo, ele explicou: "Bem, por quê não vamos todos nos unir e, em vez de termos tantos mercados diferentes para os nossos clientes nas nossas aldeias, porquê não temos um enorme mercado e vender os nossos produtos para as pessoas que vivem nas outras aldeias? "

"Uau!" aclamaram os outros Eurocratas, "que bela idéia!" "Mas não fica assim", disse o primeiro. "Basta imaginar, como é que isto vai ser regulamentado? Temos de criar um Parlamento, uma Comissão e um Conselho!" "E como é que vai ser composto?", perguntaram os outros. "Bem, seu filho está encontrando dificuldade spara conseguir um emprego, não é?"

Um sorriso coletivo apareceu nos rostos agora entusiastas dos Eurocratas quando ficou claro para eles que nunca teriam falta de emprego, nem as suas famílias ou amigos. "Mas como é que vamos financiar isso?", perguntou o membro da Ilha, uma ilha triangular ao largo da costa oeste do norte da Europa, que gostava de gozar os seus companheiros (por trás das costas, claro) acusando-os de serem "Continentais" e de terem "hábitos Continentais" tais como comerem cebolas e dirigirem no lado errado da estrada.

"Bem", disse o primeiro, Klaus, "Nós vamos criar um imposto especial para pagar este Grande Projecto, que será de um por cento de tudo o que as pessoas compram. Vamos chamá-lo Imposto de Pudor Acrescentado, IPA".


E assim a festa começou. No início, houve um excesso de oferta de produtos em novos mercados e as pessoas riram por causa das montanhas de manteiga, lagos de vinho e pilhas de batata. Alguns perguntaram por quê tais produtos foram deixados para apodrecer, em vez de serem distribuídos entre os agricultores em desenvolvimento fora da Eurolândia. "Porque iria custar-lhes mais do que produzirem eles próprios", foi a resposta.

Logo havia limites impostos sobre os agricultores e as quotas foram impostas. Klaus e Françoise, antigos inimigos depois de Klaus invadir a fazenda de Françoise três vezes em poucos anos, mas agora, melhores amigos depois de Françoise permitir ao Klaus compartilhar sua cama, decidiram financiar os outros agricultores, em especial os do sul, não para produzirem. "Nós vamos pagar-lhes para sentarem-se ao sol coçando seus rabinhos", disse Klaus, frase recebida com acenos e gemidos ansiosos de excitação enquanto ele acariciou os agricultores do sul na cabeça, chamando-os "bons meninos" e lançando um punhado de "dog chocs" (chocolates para cães) do seu bolso.

Conforme o tempo passava, os três escalões da Eurocracia tinham-se expandido em centenas de organismos, cada um com milhares de funcionários e cada um deles com um exército de assessores.

 

O IPA foi aumentado para cinco por cento enquanto as despesas cresceram, em seguida, sete ponto cinco, depois nove, depois 12, depois 15, depois 17, depois 19, depois 21, depois 23 e, finalmente, 25. As reuniões e festas continuaram e o dinheiro acabou.

"Bem, que irresponsáveis foram as pessoas!", disse Klaus, com um olhar sinistro. "Algumas pessoas festejaram enquanto outros trabalharam! Gastaram mais do que ganhavam!" "Só um segundo aí", disse um agricultor do sul, "Temos vindo a fazer tudo o que você esperava de nós, agora não temos agricultura, indústrias e não há pesca porque você financiou-nos para destruír estes sectores e agora não temos empregos para os nossos filhos! E agora você acusa-nos de gastar o dinheiro? Quanto você e seus Eurocratas gastaram ao longo dos últimos 40 anos? E emquê?"

"Silêncio!" rugiu Klaus, "Como você se atreve a questionar o nosso plano! O caminho a seguir é... austeridade! "

E os eurocratas começaram a impor planos de austeridade. Tudo começou quando impuseram o mesmo conjunto de regras e medidas em todos na Eurolândia, apesar do clima diferente e as condições geográficas e esqueceram o fato de que as economias do sul tinham sido destruídas pelo Grande Projeto. Então, quando essas economias não conseguiram encontrar dinheiro para competir em igualdade de condições, Klaus e Françoise decidiram emprestar-lhes dinheiro, mas com enormes taxas de juros anexados.

Não só não conseguiram os agricultores do sul pagar o capital e a taxa de juros, para piorar as coisas, os juros que eles pagaram foram controlados por três agências na Grande Terra Ocidental, chamadas Standard and Poor, Moody e Fitch e segundo estes, quanto pior a sua situação económica, maior o fator de risco associado às suas fazendas e mais a taxa de juros que tinham de pagar.

As manifestações apareceram, alguns dos manifestantes lembraram-se de encher suas garrafas de cerveja com gasolina, alguns lembraram-se de trazer armas de fogo às manifestações e Eurolândia foi transportada para um planeta diferente. Roubos e crimes de rua aumentaram, as pessoas já não se sentiam seguras e a resposta das autoridades foi cortar o policiamento por causa da "crise", enquanto ao mesmo tempo as nomeações políticas continuaram inabaláveis.

 

Quando os setores da sociedade vêem outras secções como "eles", as autoridades podem exercer o poder simbólico. Quando os vários segmentos da sociedade se reúnem e consideram as autoridades como "eles", a regra é uma espécie de nova ordem.

Os eurocratas só viram isso quando era tarde demais ... algo tinha aparecido atrás dos olhos dos agricultores e seus clientes, algo diferente, algo escuro e algo perigoso.

Era uma vez, havia um grupo de agricultores, cada um produzindo suas frutas e legumes, alguns produzindo mais, alguns produzindo menos, vivendo em um lugar chamado Eurolândia e governados por uma classe chamada Eurocratas. Às vezes, havia brigas quando um agricultor decidiu expandir suas terras, mas de modo geral todos eles se deram bem.
...

Timothy Bancroft-Hinchey
Pravda.Ru

 


Loading. Please wait...

Fotos popular