Pravda.ru

Mundo

Kosovo: nação soberana ou base político-militar do imperialismo?

23.03.2008
 
Kosovo: nação soberana ou base político-militar do imperialismo?

Defendo que os povos são soberanos para definirem os seus destinos, mas o que se passa nos Balcãs não é uma expressão genuína da vontade popular. Trata-se, antes, de manobras do imperialismo norte-americano e europeu para imporem as suas estratégias de domínio sobre os povos.


Primeiro, foi a desagregação da Jugoslávia, sob o comando de norte-americanos e alemães, explorando os nacionalismos mais reaccionários, para conseguirem zonas de influência.

 Recorreram para isso à escumalha mais abjecta de dirigentes fascistas e nazis que, explorando as contradições no seio dos povos balcânicos, os conseguiram arregimentar para uma luta fratricida. No fim, esses mesmos dirige ntes, bastantes deles chefes do crime organizado, tomaram conta do poder e implantaram o capitalismo mais selvagem, com as máfias a dominarem quase todos os sectores da sociedade. É esta a democracia que os povos sentem na pele: enriquecimento brutal de uma minoria; miséria para os trabalhadores.

Depois, a pretexto de um nunca provado genocídio, bombardeiam a Sérvia e invadem o Kosovo. Aqui com a prestimosa colaboração dos governos cá do burgo, que têm mandado tropas invasoras para o Kosovo.


A NATO, o braço armado do imperialismo norte-americano, e dos seus lacaios europeus – Alemanha, França, Reino Unido, Itália – encontrou nesta questão do Kosovo uma forma muito hábil de afrontar a Rússia, porque se baseia nas aspirações de um povo a ser livre e nas contradições dos kosovares albaneses com os sérvios.


Mas sejamos claros: o que se prepara com esta pseudo independência não é a liber tação de um povo, mas a apropriação de um território, onde impera o crime organizado, para aí o imperialismo instalar as suas bases. Com duas finalidades: primeira, reforçar a sua posição de polícia dos povos e exploração das suas riquezas; segunda, ganhar terreno na disputa que trava com a Rússia por zonas de influência.


Duas notas finais. A burguesia está articulada a nível mundial por um organismo chamado ONU. É neste organismo que se discutem e votam as novas independências. Porque não sucedeu assim desta vez? Porque prevalece a posição unilateral dos dirigentes mafiosos do Kosovo? Porque o núcleo do imperialismo norte-americano e europeu assim o quer, passando por cima das normas que eles próprios aprovaram.


Este processo não acaba aqui. O passo seguinte é a anexação do Kosovo pela Albânia, sob os auspícios dos norte-americanos e dos alemães, pois não são eles que já começaram a dizer que o Kosovo não tem condiç� �es económicas para ser independente? A verificar-se isto nem de uma independência formal se tratou, mas de um roubo de território de uma nação soberana para o anexar a outro país.


Termino como comecei. Defendo a vontade soberana dos povos a escolherem a forma como querem viver. Não foi este o caso. O povo serviu aqui, como em tantas vezes mais, de carne para canhão do crime organizado e dos desígnios do imperialismo.


Manuel Monteiro
Mudar de Vida, 4 de março de 2008


http://www.resistente.org/portal/news.php?extend.275

Resistente Online


Loading. Please wait...

Fotos popular