Pravda.ru

Mundo

"Estudantes de Medicina pela Paz Internacional" condena assassinato de integrantes de Farc

21.01.2018
 

"Estudantes de Medicina pela Paz Internacional" condena assassinato de integrantes de Farc

Escrito por Estudantes de Medicina Pela Paz Internacional

 

"Fazemos um chamado enérgico aos estudantes da ELAM [Escola Latino-Americana de Medicina], ao povo cubano, ao povo colombiano, às nações do mundo a que fixem seus olhos sobre a crítica situação da Colômbia e unamos vozes e esforços para silenciar os ruídos dos canhões com os sons da esperança".


La Habana, Cuba, 18 de janeiro de 2018

"Ano 60 da Revolução''.

O coletivo de estudantes de medicina pela paz internacional nasce no seio da Escola Latino-Americana de Medicina, nutrido por estudantes da Colômbia e distintos países que marcam presença na alma mater e compartem ideias de progresso, desenvolvimento e paz. Entendendo esta última como a solução das condições que os conflitos originam.

A Colômbia tem uma história de violência recente. Com 60 anos de conflito interno, é uma nação devastada pela dor, a angústia e o futuro incerto; no entanto, as diferentes lutas sociais permitiram alcançar uma etapa de discussão e diálogos entre o governo nacional e as FARC-EP com vistas a obter uma saída negociada ao sombrio panorama da realidade conflitiva da nação, desembocando na firma de acordos de paz que se projetaram como elementos essenciais para o trânsito da guerrilha à vida política, a reconciliação do povo colombiano e a construção de uma paz estável e duradoura, que atuasse como legado memorável para as gerações vindouras.

Longe de se cumprir os objetivos, a realidade atual evidencia um desconhecimento dos compromissos assumidos por parte do governo da Colômbia, recria histórias obscuras do ontem como o genocídio da União Patriótica, o dos ex-combatentes do M-19 e outros processos de paz que finalizaram com o desaparecimento material de milhares de compatriotas e avivaram as chamas da guerra; dolorosamente é nosso presente.

Na terça-feira passada, num fato repugnante foi assassinado, pelos inimigos da paz, Vilmar Asprilla Allim, membro do partido FORÇA ALTERNATIVA REVOLUCIONÁRIA DO COMUM e estudante da Escola Latino-Americana de Medicina graças ao indelével apoio do povo cubano e a seu abnegado esforço por criar um exército de batas brancas para transformar as lutas da guerra pela luta da saúde do mundo. Os que pudemos compartir com Vilmar Asprilla o recordamos por seu caráter forte e sua cândida personalidade, sua permanente disposição por ajudar e guiar a quem podia necessitar de uma mão amiga, ou tão sequer de uma companhia discreta em momentos de crise, ensinando-nos que a reconciliação do povo colombiano é possível ao criar fortes laços entre as vítimas, ex-combatentes, membros de organizações sociais colombianas e os estrangeiros que compartiram seus espaços.

Ante estes dolorosos fatos, os ESTUDANTES DE MEDICINA PELA PAZ INTERNACIONAL rechaçamos energicamente esse desprezível intento por acabar com as ilusões de paz de todo o povo colombiano, rechaçamos as ações sistemáticas empreendidas pelos inimigos da paz para sabotar e desmoralizar aos que lutam pela consolidação e o sonho de um futuro diferente.

Fazemos um chamado enérgico aos estudantes da ELAM, ao povo cubano, ao povo colombiano, às nações do mundo a que fixem seus olhos sobre a crítica situação da Colômbia e unamos vozes e esforços para silenciar os ruídos dos canhões com os sons da esperança.

Exigimos ao governo colombiano chefiado pelo presidente da República Juan Manuel Santos Calderón que cumpra cabalmente com os acordos de paz e seu compromisso com a segurança dos ex-combatentes das FARC-EP, líderes sociais e defensores de direitos humanos; além disso, exigimos ações que respondam com resultados contundentes no desmonte das estruturas paramilitares e delinquenciais que atentam dia a dia contra as esperanças vivas de paz com as quais se abraça o povo colombiano.

"Há homens que lutam um dia e são bons, há homens que lutam muitos anos e são melhores, porém há aqueles que lutam toda a vida, esses são os imprescindíveis" - Bertolt Brecht.

 

ESTUDANTES DE MEDICINA PELA PAZ INTERNACIONAL

Escola Latino-Americana de Medicina - Cuba

 

Tradução > Joaquim Lisboa Neto

 


Loading. Please wait...

Fotos popular