Pravda.ru

Mundo

Governo cria fundos com participação majoritária no Mercosul

19.12.2008
 
Governo cria fundos com participação majoritária no Mercosul

Representantes de 33 países, reunidos na Costa do Sauípe (BA) nos dias 16 e 17, durante a 1a Cúpula da América Latina e do Caribe sobre Integração e Desenvolvimento (Calc), definiram um conjunto de propostas comuns para enfrentar a crise financeira internacional. Elas deverão ser levadas pelo Brasil, Argentina e México, em 30 de abril, à próxima reunião do G20 Financeiro, grupo que reúne presidentes de Bancos Centrais e ministros de finanças dos países desenvolvidos e dos principais emergentes.

O item central das propostas é o pedido para que sejam reformados os organismos financeiros multilaterais, como Banco Mundial (Bird), Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), além de outros bancos regionais. Os lideres latino-americanos e caribenhos vão recomendar também que seja evitado o ressurgimento do protecionismo e defenderão uma nova regulação dos mercados para coibir os abusos que levaram à atual crise financeira. Antes de serem entregues, porém, as propostas ainda serão revisadas em 16 de março, no Chile.

Além da Calc, foram realizadas em Sauípe a XXXVI Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul e reuniões do Grupo do Rio e da União de Nações Sul-americanas (Unasul).

Mercosul – O presidente Lula encerrou os seis meses na presidência pro tempore do Mercosul – a presidência rotativa será assumida pelo presidente paraguaio Fernando Lugo. Lula anunciou a criação de dois novos fundos com participação majoritária brasileira, o Fundo para Pequenas e Médias Empresas do Mercosul e o Fundo de Agricultura Familiar do Mercosul. O primeiro fundo, com cerca US$ 100 milhões, dará maior confiança aos empresários locais a buscarem parcerias “do outro lado da fronteira”.

O Brasil também entrará com maior parte dos recursos do fundo para a agricultura familiar do Mercosul, voltado ao financiamento de projetos de cooperação entre governos hoje bancados pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), em fase de extinção. O Fundo contará com uma cota fixa de US$ 15 mil por País, mais um montante de US$ 300 mil dividido em cotas.

Fim do embargo a Cuba – Os chefes de Estado presentes aprovaram um conjunto de declarações especiais que demandam, entre outras providências, o fim imediato do embargo econômico imposto dos EUA sobre Cuba, inclusive da aplicação da chamada Lei Helms-Burton, de forma a cumprir o disposto em 17 resoluções sucessivas aprovadas na Assembléia Geral da ONU.

Novo organismo regional – Aprovada, também, a proposta de criação de um novo mecanismo de articulação regional, nos moldes da OEA, mas sem a participação dos EUA e o Canadá. Esse novo organismo multilateral, já chamado de União Latino-Americana e do Caribe, deve ser lançado em fevereiro de 2010. A idéia foi apresentada pelo chefe de Estado do México, Felipe Calderón, que ocupa a presidência temporária do Grupo do Rio.

Conselho de Defesa Sul-Americano – No âmbito da Unasul, os presidentes aprovaram a criação de um conselho regional de defesa, que entre outros objetivos deverá reforçar a confiança entre as Forças Armadas do subcontinente. O novo órgão será o Conselho de Defesa Sul-Americano, formado pelos ministros dos 14 países integrados à União. O Conselho se reunirá pela primeira vez no início de janeiro, no Chile.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República


Loading. Please wait...

Fotos popular