Pravda.ru

Mundo

Quirguistão contra base dos EUA

19.02.2009
 
Quirguistão contra base dos EUA

Parlamento de Quirguistão votou esmagadoramente na quinta-feira para aprovar uma proposta presidencial para fechar uma base aérea dos EUA utilizada para apoiar operações da OTAN no vizinho Afeganistão desde 2001.

A medida para fechar a base foi apoiada por 78 legisladores, com um contra. O partido pró-presidencial Ak Zhol tem 70 lugares na câmara única, do total de 90 membros. Presidente Kurmanbek Bakiyev anunciou planos de encerrar a base só Ásia Central após conversações em Moscou no início de fevereiro, quando ele garantiu mais de US $ 2 bilhões em ajuda e empréstimos.

Tanto a Rússia como Quirguistão negaram qualquer ligação entre o negócio e o fechamento da base, situada a pouca distância da capital, Bishkek. Bakiyev disse que Washington se recusou a pagar mais pela base. Ele também ligou a mudança ao comportamento dos militares norte-americanos, incluindo o assassinato de um nacional quirguize por um soldado dos E.U.A. em dezembro de 2006.

Kabai Karabekov, o chefe da Comissão dos Assuntos Externos do Parlamento, disse que o fechamento da base não significa que Quirgistão vai deixar de lutar contra o terrorismo. "Todos os países interessados provavelmente devem mudar sua atitude para o problema afegão. À medida que o tempo mostrou, uma doutrina militar para restaurar ordem no Afeganistão não funciona. O contingente militar dos EUA tem estado neste país por oito anos e a situação só está piorando, " o legislador disse.

"Existem muitas outras formas de resolver o conflito no Afeganistão, mas é impossível forçar o Afeganistão da ponta de uma arma a viver em conformidade com os padrões ocidentais", acrescentou. A votação para fechar a base vem na altura em que Presidente Barack Obama anunciou que iria enviar mais 17.000 soldados para o Afeganistão para lutar contra os Talibã e a Al-Qaeda. A passagem vai aumentar o contingente dos EUA para mais que 50.000 pessoas.

Olga SELYANINA

Foto: www.moscowtopnews.com


Loading. Please wait...

Fotos popular