Pravda.ru

Mundo

Um extraordinário feito patriótico cubano

18.03.2019
 
Um extraordinário feito patriótico cubano. 30637.jpeg

Um extraordinário feito patriótico cubano

 

Ilustración: Archivo de Granma

Com o Protesto de Baraguá, atingiu seu ponto mais alto, atingiu seu clímax, atingiu seu auge, o espírito patriótico e revolucionário de nosso povo; e... as bandeiras da pátria e da revolução, da verdadeira revolução, com independência e com justiça social, foram colocadas em seu lugar mais alto

Autor: Fidel Castro Ruz | internet@granma.cu

O mais dolorosao, o que surpreendeu e deixou profundamente magoado Antonio Maceo e suas forças, foi a notícia de que, nos momentos em que eles terminaram o combate no caminho de San Ulpiano, acabava de ser assinado em Camaguey o Pacto de Zanjón. E Maceo, irritado, amargurado, querendo saber o que seus homens diriam, o que fariam seus pares, como eles poderiam dizer aos feridos, como eles poderiam justificar aos seus mortos, que tiveram nessa luta, que estava sendo assinada a paz nesses momentos precisos sem independência.

E aquela paz sem independência fora realmente assinada, sem consultar todas as forças, já que as forças de Maceo, uma das mais importantes da Revolução, não haviam sido consultadas.

Foram esses fatores que levaram a um comportamento, uma atitude e um gesto que é um dos mais extraordinários feitos patrióticos das nossas guerras de independência, dos nossos combatentes revolucionários, que foi o Protesto de Baraguá (...).

Maceo se encontrou com o capitão-general Martinez Campos... para não concordar nada, porque não havia nada de acordo. Se algo foi acordado em Baraguá foi que oito dias depois as hostilidades se romperam novamente e a guerra continuou.

Maceo começou dizendo a Martinez Campos que não concordava com o que foi acordado no Zanjón, e continuou expressando pessoalmente ou através de seus parceiros de mais confiança que o que eles querem é a independência. Então Martinez Campos lhe disse que se ele soubesse que eles queriam uma reunião para pedir uma coisa impossível, não se teriam encontrado.

Mas há, no meio disto, algo que tem grande valor, porque um dos assistentes de Maceo, em seguida, explica a Martinez Campos. Disse basicamente: «Bem, você diz que não pode nos dar a independência. Poderiam dar a liberdade aos escravos? »(...).

E assim, uma bela trajetória a partir do momento em que Carlos Manuel de Céspedes libertou os escravos, até o minuto em que Antonio Maceo expõe a Martinez Campos em Baraguá a liberdade de escravos como condição mínima para que pudesse haver paz em nosso país!

Essa é a essência do Protesto de Baraguá. Maceo e os cubanos se propunham continuar a guerra e certamente concordaram com o início das hostilidades em 23 de março (...).

Com o Protesto de Baraguá, atingiu seu ponto mais alto, atingiu seu clímax, atingiu seu auge, o espírito patriótico e revolucionário de nosso povo; e... as bandeiras do país e da revolução, a verdadeira revolução, de forma independente e com justiça social, foram colocadas no lugar mais alto de honra.

Fonte: discurso na cerimônia comemorativa do centenário do Protesto de Baraguá, em Santiago de Cuba.

 

http://www.patrialatina.com.br/um-extraordinario-feito-patriotico-cubano/

 


Fotos popular