Pravda.ru

Mundo

Cientistas portugueses em campanha na Antártica

18.01.2017
 
Cientistas portugueses em campanha na Antártica. 25849.jpeg

Cientistas portugueses em campanha na Antártica

Voo do PROPOLAR para apoio à logística internacional na Antártida decorrerá no dia 19 de Janeiro de 2017

Pela 6 ª vez, Portugal contribui para a logística científica na Antártida fretando um avião que transportará cientistas e técnicos entre Punta Arenas no Chile e o aérodromo Teniente Marsh na ilha de Rei Jorge, na Antártida (ida e volta). A missão decorrerá no dia 19 de Janeiro e será a âncora da campanha antártica portuguesa 2016-17, que decorrerá até ao mês de Março com o apoio de vários países parceiros. Os voos transportarão 122 membros dos programas português, búlgaro, chileno, chinês, espanhol e sul coreano.

Uma vez que Portugal não possui infraestruturas permanentes na região antártica, as campanhas antárticas portuguesas são baseadas na forte cooperação internacional, estabelecida pelo PROPOLAR durante a última década, com países como a Argentina, Bulgária, Brasil, Chile, China, Espanha, Estados Unidos da América, Republica da Coreia e Uruguai, e na gestão e partilha de logística com os programas polares parceiros.

A Campanha Antártica Portuguesa 2016-17 que se desenrolará até Março 2017 é financiada pelo Programa Polar Português (PROPOLAR), através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES).

A campanha antártica PROPOLAR 2016-17 integra 7 projetos de investigação, levando 19 cientistas portugueses e 3 investigadores espanhóis, a várias áreas da Península Antártica, nomeadamente na ilha do Rei Jorge, ilha de Decepção e ilha Livingston (Arquipélago das Ilhas Shetland do Sul), na Caleta Cierva (Costa Danco), e na Ilha de Amsler (Arquipélago de Palmer).

Os projetos nacionais são coordenados por 6 universidades e centros de investigação públicos, principalmente nas áreas das ciências biológicas, da criosfera, do ambiente e da Terra, alguns visando estudar os efeitos das alterações climáticas. Os projetos são os seguintes:

ANTIMUNE - Evolução e constrangimentos da resposta imunitária em peixes nototenioides, Coordenador: Adelino Canário (Centre for Marine Sciences, Universidade do Algarve - CCMAR-UAlg), email: acanario@ualg.pt, link do projeto: http://www.propolar.org/antimune.html.

CIRCLAR - Cartografia e monitorização de círculos de pedras ordenados com imagens de ultra elevada resolução na Antártida Marítima, Coordenador: Pedro Pina (Centro de Recursos Naturais e Ambiente, Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa - CERENA/IST-ULISBOA, email:ppina@tecnico.ulisboa.pt, link do projeto: http://www.propolar.org/circlar.html.

CRONOBYERS - Deglaciação holocénica das áreas livres de gelo na ilha Livingston (ilhas Shetland do Sul, Antártida), Coordenador: Marc Oliva (Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do território, Universidade de Lisboa - CEG/IGOT-ULISBOA), email: oliva_marc@yahoo.com, link do projeto: http://www.propolar.org/cronobyers.html.

GEOPERM III - Estudo geológico, geoquímico e do permafrost nas Penínsulas de Fildes e Barton, Ilha King George, Antártida, Coordenador: Pedro Ferreira (Laboratório Nacional de Energia e Geologia - LNEG), email: pedro.ferreira@lneg.pt, link do projeto: http://www.propolar.org/geoperm-iii.html.

Hg-PLANKTARCTIC -  Interações entre fito- e zooplâncton e o ciclo do mercúrio, em águas da Ilha de Decepção com fontes vulcânicas de mercúrio, Coordenador: Carla Gameiro (Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa - MARE/FC-ULISBOA), email: clgameiro@fc.ul.pt, link do projeto: http://www.propolar.org/hg-planktarctic.html.

PERMANTAR 2016-17 - Permafrost e alterações climáticas no ocidente da Península Antártica, Coordenador: Gonçalo Vieira (Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do território, Universidade de Lisboa - CEG/IGOT-ULISBOA), email: vieira@campus.ul.pt, link do projeto:http://www.propolar.org/permantar-2016-17.html.

PERMATOMO -  Estudo geoeléctrico da evolução do permafrost nos sítios CALM e Papagal junto à Base Antárctica Búlgara (Ilha Livingston) e junto à Base Antárctica Coreana (Ilha King George) Antártida, Coordenador: António Correia (Institute of Earth Sciences, Universidade de Évora ‑ ICT-UEvora), email: correia@uevora.pt, link do projeto: http://www.propolar.org/permatomo.html.

Portugal beneficia assim das excelentes condições das regiões polares como pontos de vantagem para o desenvolvimento da ciência portuguesa, da investigação e de tecnologias de ponta, em áreas e temas científicos que permitem realizar ciência de excelência, num contexto de cooperação e colaboração internacionais.

O Programa Polar Português - PROPOLAR é coordenado pelo Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa e gerido por uma comissão composta por membros de 5 instituições de investigação (Gonçalo Vieira, CEG/IGOT, ULisboa; Adelino Canário, CCMAR, UAlgarve; José Xavier, MARE, UCoimbra; João Canário, CQE/IST, ULisboa; e Catarina Magalhães, CIIMAR, UPorto) e financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).


O PROPOLAR apoia o desenvolvimento da ciência polar portuguesa, facilitando a cooperação internacional e proporcionando condições logísticas que permitam o acesso dos cientistas portugueses ao Ártico e à Antártida. O PROPOLAR incentiva e apoia a investigação multidisciplinar, de modo a promover o conhecimento das regiões polares e o seu papel na dinâmica da Terra. O PROPOLAR financia projetos em diversas áreas científicas, que permitem anualmente o acesso de mais de 20 cientistas e jovens investigadores às regiões polares.

Para mais informação, visitar http://www.propolar.org/.

 


Loading. Please wait...

Fotos popular