Pravda.ru

Mundo

Manifestações exigiram libertação imediata de Ahed Tamimi

14.01.2018
 
Manifestações exigiram libertação imediata de Ahed Tamimi. 28031.jpeg

Este sábado tiveram lugar iniciativas em Lisboa, Porto e Braga pela libertação de Ahed Tamimi e de todas as crianças palestinianas. Centenas de menores estão detidos em Israel, por se insurgirem contra a ocupação israelita.

Foto de Shahd Wadi.

 

De acordo com Shahd Wadi, do Comité de Solidariedade com a Palestina e do Boicote, Desinvestimento e Sanções, o objetivo da vigília realizada em Lisboa, que contou com cerca de uma centena de pessoas, "foi de chamar a atenção para a prisão" de Ahed Tamimi, de 16 anos, "mas também a de outros detidos que estão em prisões israelitas, em particular meninos e meninas".

"Por ano, são 800 crianças que passam pelos calabouços israelitas", assinalou Shahd Wadi, avançando que Tamimi foi presente a julgamento a 8 deste mês, tendo sido confrontada com "coisas que tinha feito desde que tinha 11 anos, como a participação em manifestações" pró-palestinianas.

"Tamimi estava em casa quando os militares vieram e dispararam contra um primo. Ela não pertence a grupos políticos, não tinha armas, estava a resistir dentro da casa dela, conjuntamente com a prima, que foi já libertada", relatou, acrescentando que "a reação de Tamimi em agredir os militares, que queriam retirá-la da casa dela à força, foi feita em defesa e contra a violência dos soldados".

A ativista recordou ainda que permanecem presos cinco mil palestinianos por se insurgirem contra "a ocupação" israelita e afirmou que "Israel criou uma imagem estereotipada dos palestinianos e sobre a mulher palestiniana, que é oprimida ou terrorista".

A mãe de Ahed Tamimi encontra-se entre os palestinianos detidos, porque "foi apenas perguntar pela filha detida e ficou encarcerada".

Em Lisboa, os manifestantes ostentaram cartazes onde se liam palavras de ordem como: "Boicote a Israel" e "Free Palestine". No final gritou-se "Palestina Vencerá!".

O ex coordenador do Bloco Francisco Louçã, bem como o dirigente bloquista Luís Fazenda e os deputados Mariana Mortágua e Heitor de Sousa marcaram presença no protesto organizado pelos coletivos Palestina Não Tem Voz Usa A Tua, Comité de Solidariedade com a Palestina, Grupo Said, SOS Palestina e Pela libertação imediata de Ahed Tamimi.

A deputada Mariana Mortágua condenou as detenções por parte do exército israelita e do Estado de Israel, sublinhando que as mesmas configuram "uma flagrante violação dos direitos humanos", ainda mais quando estão em causa crianças.

No Porto, a iniciativa teve lugar na Praceta Palestina. "O meu coração é palestiniano", "Liberdade Ahed Tamimi" e a "A cada 12h uma criança palestiniana é detida, interrogada e encarcerada" foram algumas das frases trazidas pelos manifestantes.

Os protestos contra a repressão do Estado de Israel alastraram-se ainda a Braga. A Avenida central foi o palco da iniciativa convocada pelo Núcleo Antifascista de Braga. 

Fonte: Esquerda.NET

 


Loading. Please wait...

Fotos popular