Pravda.ru

Mundo

Bope prende 11 suspeitos de mortes de jovens no Rio

12.09.2012
 
Bope prende 11 suspeitos de mortes de jovens no Rio. 17275.jpeg

Uma operação especial da Polícia Militar realizada em conjunto com a Polícia Civil do Rio de Janeiro na favela de Chatuba, na Baixada Fluminense, após a chacina de 12 pessoas, no final de semana, prendeu até o momento 11 suspeitos. Dois deles foram detidos na segunda-feira (10). Os outros 9 foram presos nesta terça-feira, com a ocupação da favela, que teve a participação do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

Entre os mortos estão seis jovens, com idades variando de 16 a 19 anos, cujos corpos foram encontrados na manhã da segunda-feira (10) em um canteiro de obras da duplicação da Rodovia Presidente Dutra. O local fica a nove quilômetros do bairro onde os jovens moravam. Eles teriam ido até o Parque de Gericinó, no sábado (8), para tomar banho de cachoeira, nas informações de parentes. A polícia operação na favela foi desencadeada diante da suspeita da polícia de que poderia haver mais corpos na área onde os jovens foram encontrados.

Para a polícia, os crimes teriam sido cometidos por traficantes da região, embora não exista nenhuma informação até o momento de que os adolescentes tivessem ligação com o tráfico de drogas. A ocupação da Chatuba está sendo considerada por tempo indeterminado. Aproximadamente 250 policiais militares participaram da ação e outros 112 permanecerão na área. A comunidade é cortada pelo rio Sarapuí e fica nos municípios de Nilópolis e Mesquita, próxima ao Gericinó. A polícia avalia que os criminosos são egressos dos complexos do Alemão e da Penha, fugidos após a Polícia Militar ocupar as duas favelas.

Cadete - O local onde os seis jovens foram mortos é próximo ao que Jorge Augusto de Souza Alves Júnior, de 34 anos, cadete da PM, foi encontrado morto, também no sábado (8). O corpo do cadete estava no porta-malas de seu próprio veículo, um Fox, e apresentava sinais de tortura e marcas de tiros. Alves tinha saído de um baile e levado uma moça para casa, na Favela da Chatuba. A polícia trabalha com a hipótese de que ele possa ter sido identificado como policial, uma vez que a farda estava no carro, e por isso ter sido assassinado.

O pastor evangélico Alexandro Lima, de 37 anos, também foi morto na manhã do sábado (8). Segundo a polícia, ele teria sido atacado enquanto fazia uma caminhada e a suspeita é de que ele poderia ter testemunhado as agressões e a morte do cadete.

 

http://www.dgabc.com.br/News/5980269/bope-prende-11-suspeitos-de-mortes-de-jovens-no-rio.aspx


Loading. Please wait...

Fotos popular