Pravda.ru

Mundo

Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa: Situação nas zonas Geórgia-Abkhazia e Geórgia-Ossétia Sul

12.07.2008
 
Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa: Situação nas zonas Geórgia-Abkhazia e Geórgia-Ossétia Sul

Ataques repetidos com morteiros pela Geórgia causaram baixas civis na cidade de Tskhinvali, Ossétia Sul. Houve violações do espaço aéreo por caças e veículos sem tripulação, da Força Aérea da Geórgia. Houve um acto de terrorismo, em que foi assassinado um membro das forças armadas da Ossétia.

Tropas georgianas arbitrariamente montaram um poste numa altura estratégica perto da aldeia de Sarabuki. Sem concorrência da Força de Manutenção da Paz (JPKF), equipamento militar georgiano foi introduzido na zona de conflito, como registrado por observadores militares, incluindo da Missão OSCE em Geórgia. Todo isto aponta para um acto planificado de agressão contra Ossétia Sul.

Simultaneamente, uma série de explosões ocorreram na zona Geórgia-Abkhazia ferindo e matando vários civis, incluindo membros locais de pessoal da Organização das Nações Unidas (Missão Observador na Geórgia). As autoridades da Abkhazia designam estas explosões como actos terroristas. O lado georgiano, de acordo com evidência disponível, pode ter estado envolvido em organizar alguns deles.

Informações eventualmente confirmadas que a liderança de Geórgia planejava na primavera de 2008 executar uma operação militar para tomar Abkhazia é prova de um crescente perigo. Especialmente notável são materiais documentários mostrando do lado georgiano intenções de bloquear por força postes de observação, postos de controlo, e o quartel-general da CEI Força Coletiva da Manutenção da Paz (CPKF) na zona de conflito Geórgia-Abkhazia.

Há uma quantia crescente da evidência que confirma que a liderança da Geórgia tomou o caminho de deliberadamente aumentar a tensão nas relações entre Abkhazia e Ossétia do Sul. O objectivo disto é destruir a arquitectura de manutenção da paz que esteve em lugar na região durante uma década e meia a fim de substitui-lo com uma nova força, que serve o lado georgiano.

As ações de Tbilissi posam uma ameaça real à paz e segurança no Cáucaso sul e poderia colocar a região na iminência de novo conflito armado com conseqüências imprevisíveis. Os que tentam negar os factos e ignorar este perigo, e também proteger os provocateurs e culpar Moscou por tudo, fazem aumentar a tendência da liderança da Geórgia de permitir tudo. É assim que se deve interpretar os comentários recentes do Departamento de Estado dos EUA.

Nestas circunstâncias a Federação Russa vai submeter em Nova Iorque um esboço para uma resolução do Conselho de Segurança da ONU e em Viena um esboço para que o Conselho Permanente da OSCE assine sem demora documentos proibindo o uso de força nos conflitos Geórgia-Abkhazia e de Geórgia-Ossétia. As lideranças da Abkhazia e Ossétia do Sul estão prontas para assim fazer, mas a assinatura é bloqueada por causa de posição do Tbilissi.

Além do mais, o lado georgiano também deve trazer imediatamente a situação na parte superior do Vale de Kodori em conformidade com as provisões do acordo de Moscou na trégua e separação de forças de 1994, e resolução de UNSC 1716. Este meio prevê uma retirada completa de tropas georgianas do Vale de Kodori.

A Rússia está pronta para conscienciosamente e imparcialmente continuar os esforços para ajudar as partes para achar de uma solução política aos problemas de Abkhazia e Ossétia do Sul dentro da estrutura dos formatos multilaterais aprovados, incluindo o Grupo de Amigos do Secretário Geral da ONU na Geórgia.

Mas perante a nova epidemia de provocações nas zonas de conflito é apenas possível continuar "negócio como de costume". A coisa principal agora reside em receber compromissos firmes para não usar a força contra Abkhazia e Ossétia do Sul, juntamente com um decréscimo da tensão no Vale de Kodori.

Depois disso, será possível retornar ao diálogo em construir a confiança, reabilitação econômica e outros aspectos do acordo. Acreditamos que nesta fase a comunidade internacional deve concentrar na contenção das manifestações agressivas que podia causar acontecimentos na Abkhazia e Ossétia a desenvolver-se num cenário catastrófico.

Fonte: Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa


Loading. Please wait...

Fotos popular