Pravda.ru

Mundo

Mercosul lança parlamento permanente em Montevidéu

12.05.2007
 
Mercosul lança parlamento permanente em Montevidéu

Mercosul lança parlamento permanente em Montevidéu

Sessão “estréia” histórica no palácio legislativo na terça 7 de maio. O Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, Deputados e Senadores da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela participaram desse evento. O encerramento foi por conta do Presidente da Comissão de Representantes Permanentes do Bloco e ex Vice-Presidente argentino Carlos “Chacho” Álvarez.

No Palácio Legislativo, um dos ícones arquitetônicos da capital uruguaia constuido na segunda década do século passado ( 25 de agosto de 1925 foi a estréia ) que é ponto dos ônibus turísticos que fazem o roteiro pela cidade aconteceu um fato histórico-político fundamental desse processo de integração duma importante região do continente sul-americano como é o Mercosul.

Esse mesmo Palácio que fora nos anos das ditaduras foi a “residência” dos deputados e senadores uruguaios com celebridades da política internacional que visitaran-no alguns 1º de março do passado sempre por causa das posses dos presidentes.

Do lado brasileiro os últimos presidentes que estiveram nessa jóia da arquitetura uruguaia foram o Luis Inácio “Lula” da Silva o 1º de março de 2005 e regredindo de cinco em cinco anos também foi o Lula quem esteve no 2000, o Fernando Henrique Cardoso ( FHG ) em duas oportunidades, Fernando Collor de Mello e José Sarney.

Por enquanto as duas Câmaras uruguaias ficam com suas bancadas lotadas a cada oportunidade com antecedência de quinze días dessas posses, ou seja os 15 de fevereiro.

Só alguns dessa turma uruguaia atual ( 18 ) ficaram nas suas poltronas nessa Sessão estréia do Parlamento Mercosul, pois o resto deixaram suas vagas para os 72 congressistas vindos dos outros quatro países que fazem parte do bloco ( 18 cada ) que deram um colorido especial ao hemiciclo pelas pequenas flâmulas dos cinco países do lado e na frente dos 90 históricos participantes rente aos braços corrugado metálicos que sustentam os microfones que recebem inúmeras vezes os “lero-leros” respeituosos mas moles encaminhados para o No. 1 da Sessão, o Sr. Presidente…

Fica claro que falando dum jeito devagar o espanhol e português poderiam ficar sendo um linguagem “única” mas assim que as sessões progredirem e até “esquentarem” quem sabe se der para os colegas se entenderem.

Sem as diferentas dos Parlamento Européio na hora de se comunicar o Parlamento Mercosul tem o portunhol como linguagem “oficial” que acaba dando um jeito sempre que for preciso, raro privilégio deste continente sul-americano.

Se por acaso tivesse acontecido alguma dúvida no decorrer dos discursos desses colegas houveram alguns tradutores simultâneos ligados contornando as cabeças daqueles que falam essa linguagem semelhante mas não idéntica.

O presidente pelos próximos seis meses é o senador paraguaio Alfonso González Núñez que vai ser substituído pelo deputado uruguaio Roberto Conde por mais seis meses logo.

O anfitrião lembrou-se do escritor uruguaio Eduardo Galeano e um dos seus melhores livros: As veias abertas da América Latina.

Mais logo falaram o Ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Ruben Ramírez Lezcano, seus colegas brasileiro Celso Amorim e uruguaio Reinaldo Gargano além do Vice Ministro da Integração Financeira e Mercosul da Argentina, Dom Eduardo Sigal.

Também foram parte desse discurso histórico os outros vice presidentes deste parlamento.

Do lado do Brasil, o deputado Dr. Rosinha, o presidente da Câmara dos deputados da Argentina, Roberto Balestrini e o deputado venezuelano Saúl Ortega.

O resto dos palestrantes foram:

O senador Enrique González Quintana como presidente do Congresso paraguaio e o senador Renán Calheiros como presidente da Câmara alta.

Continuaram logo Dom Sergio Souza Pinto como presidente da Representação para América Latina do Parlamento Européio, Dom Luis Fernando Duque, Presidente do Parlamento Andino e Dom Amilcar Figueroa como representante do Parlamento Centro-americano.

O presidente da Comissão de Representantes Permanentes, Sr. Carlos “Chacho” Álvarez que foi vice-presidente do ex presidente argentino De la Rua renunciando antes do final do periodo fez um pequeno discurso de apenas três minutos marcando o encerramento oficial dessa Sessão histórica do bloco.

Sendo ás 18:21 da tarde ( quase noite ) da terça 7 de maio de 2007, no eixo dos 13°C nas ruas montevideanas, os alto-falantes da Sala convidavam aos presentes para o Coquetel da bemvinda que ofereceu o vicepresidente uruguaio e presidente da Assembléia Geral uruguaia Rodolfo Nin Novoa no Salão dos Passos Perdidos cujo design foi por conta do arquiteto italiano Cayetano Moretti.

Além de avisar aos participantes para a próxima Sessão convencional no prédio anexo do Palácio Legislativo na Sala Paulina Luisa á partir das 10 da manhã do dia 8 de maio.

A bancada brasileira ficou contornada pela venezuelana e paraguaya que junto com os argentinos e uruguaios trataram os assuntos marcados na agenda.

Os brasileiros presentes neste instante histórico foram os seguintes:

Sérgio Zambiasi (PTB-RS), Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC), Aloizio Mercadante (PT-SP), Inácio Arruda (PCdoB-CE), Romeu Tuma (DEM-SP), Marisa Serrano (PSDB-MS), Pedro Simon (PMDB-RS), Cristovam Buarque (PDT-DF) e Adelmir Santana (DEM-DF) - suplente do senador Efraim Morais (DEM-PB).

Correspondente PRAVDA.ru

Gustavo Espiñeira

Montevidéu – Uruguay


Loading. Please wait...

Fotos popular