Pravda.ru

Mundo

Em termos de Direitos Humanos, ninguém ensina nada à Cuba

09.12.2008
 
Pages: 12
Em termos de Direitos Humanos, ninguém ensina nada à Cuba

Em declarações a PRAVDA.Ru, S.E. Jorge Castro Benitez, Embaixador da República de Cuba em Portugal, realça que os primeiros objectivos da Revolução Cubana há 50 anos foram precisamente a eliminação de todos os atentados contra os direitos humanos que existiam em Cuba, que a Revolução servia e serve para apoiar os direitos humanos não só em Cuba mas em muitos países em desenvolvimento onde Cuba presta serviços gratuitamente e aponta a Guantanamo como um exemplo bradante de tudo que contraria esses direitos.

PRAVDA.Ru Na ocasião do 60º aniversário da adopção e proclamação da Declaração Universal dos Direitos Humanos pela ONU (em 10 de Dezembro de 1948), há que lembrar que a Cuba foi convidada a integrar o Conselho de Direitos Humanos da ONU pela Assembleia-Geral das Nações Unidas em 9 de Maio de 2006, contra a vontade de Washington. Por alguma razão foi…

S.E. Jorge Castro Benitez (J. Castro Benitez) Sim, e precisamente esta questão dos direitos humanos tem sido sistematicamente manipulada pelos Estados Unidos da América contra Cuba. Ao longo de cinquenta anos os governos dos EUA têm lançado ataques diplomáticos, militares, comerciais contra a Cuba, uma agressão constante que não se viu em mais parte nenhuma do mundo. Manipulam as fontes de informação de tal modo que os organismos de informação raramente dizem toda a verdade sobre a Cuba.

Por exemplo, as grandes lacunas sociais que antes existiam em Cuba exigiam da parte da Revolução uma resposta muito forte em prol dos direitos humanos e da eliminação dos atentados contra a condição humana. A Revolução Cubana eliminou a discriminação racial que era fortemente enraizada na sociedade cubana, a Revolução Cubana eliminou o nepotismo, eliminou a discriminação contra a mulher, eliminou a corrupção política, eliminou o analfabetismo, eliminou a falta de cuidados de saúde e a falta de acesso a serviços públicos, eliminou o desemprego crónico em Cuba. Ora bem, e agora vão apontar o dedo à Cuba e falar dos direitos humanos?

PRAVDA.Ru Quem, na comunidade internacional, se lembra de referir estas grandes vitórias da Revolução Cubana? Pouco ou nada se diz na imprensa ocidental sobre o sistema político em Cuba por exemplo.

J. Castro Benitez Também não dizem nada sobre o apoio financeiro e logístico a organizações e atentados terroristas perpetrados pelos EUA contra Cuba ao longo dos anos, das centenas de atentados contra a vida de Fidel Castro, o uso de mercenários para destruir a vida social e civil em Cuba, para espalhar desordem, o bloqueio desumano e ilegal e o uso da máquina diplomática de Washington para influenciar os parceiros na comunidade internacional contra a Cuba, tudo por causa da primeira derrota militar sofrida pelos Estados Unidos da América na Baia dos Porcos em 1961.

Falam da repressão, falam da miséria…mas não dizem nada da repressão e a miséria que foram eliminadas pela Revolução, não dizem nada do sistema eleitoral cubano, que é único. É um processo de sufrágio plenamente democrático, é um processo muito participativo. Os candidatos não são propostos pelo Partido mas sim pelo povo. É um sistema de democracia participativa, justa e livre. A igualdade humana é um preceito básico em Cuba, instalada pela Revolução e a democracia em Cuba respeita os direitos humanos. É Governo pelo povo, do povo, para o povo, é um sistema social baseado em plenos direitos, que cria as condições sociais para o povo gozar dos seus direitos humanos.

PRAVDA.Ru Enquanto que em outros países há enormes lacunas em termos de direitos humanos, países apoiados por Washington ou até onde Washington está presente mas existe uma muralha de silêncio em torno dos acontecimentos.

J. Castro Benitez Os mesmos que falam de direitos humanos, falam das milhões de crianças no mundo que não têm acesso à eduação? Falam das milhões de crianças vítimas de violência ou exploração? Falam dos 250.000 crianças soldados? Falam dos mais que 2 milhões que morreram recentemente em conflitos armados? Falam dos 100 milhões de crianças mutiladas pela guerra? Estamos falando de crianças e estamos a falar de cifras providenciadas pela ONU (UNICEF)…e falam de direitos humanos em Cuba? Não se vai encontrar uma única criança nestas condições dentro da Cuba e isso posso garantir-lhe. Nenhum!

Há mais que 40 milhões de crianças com memos de 15 anos de idade, vítimas de abusos, há 246 milhões de crianças trabalhadores, e há 8 milhões de crianças escravos, trabalhadores forçados. Onde têm direitos humanos, estas crianças? E falam da Cuba? Repito, nenhuma destas crianças é cubana.

Se preocupam tanto em falar de Cuba mas sempre sem quaisquer provas porque não existem. Não há um único caso de tortura em Cuba, a não ser em Guantanamo. Se preocupam tanto com ideias nebulosas sobre a liberdade da imprensa mas 40 % da população em alguns países são analfabetas. Depois falam da liberdade da imprensa em Cuba,m onde todos sabem ler e têm acesso a informação.

Fala-se dos presos políticos em Cuba. Quais presos políticos? Os que lançam actos terroristas e subversivos a mando de Washington? Os que querem criar conflito social? E quê país se permite isso?

PRAVDA.Ru Washington fala muito mas em termos práticos, talvez seja dos piores exemplos em termos de direitos humanos

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular