Pravda.ru

Mundo

Maior incêndio em presídios na história do Chile deixa 83 mortos

08.12.2010
 


Por ANTONIO CARLOS LACERDA
Correspondente Internacional


SANTIAGO/CHILE (PRAVDA.RU) - Um incêndio na prisão de San Miguel, na região Sul de Santiago, no Chile, nesta quarta-feira, 08/12/2010, deixou um saldo de pelo menos 83 mortos e mais de 20 presos feridos no maior desastre no sistema penitenciário do país.

O incêndio começou por volta das 5h30 na torre cinco da penitenciária após uma briga em uma das galerias. As mortes foram provocadas em sua maioria por asfixia. Três funcionários da penitenciária e um bombeiro também ficaram feridos.

Os presos começaram a queimar colchões na Torre 5 da prisão e o fogo se espalhou rapidamente. A prisão de San Miguel está preparada para receber 1.100 mil presos, mas atualmente é ocupada por 1.961, uma circunstância que, segundo o diretor da Guarda de Prisões do Chile, Luis Masferrer Farías, "reflete a precariedade do sistema carcerário chileno".

Alguns prisioneiros acenavam através das barras das celas em uma das alas da penitenciária. Desesperados, os familiares gritavam e imploravam à polícia que lhes deixassem entrar para resgatar os parentes.

Um dos presos, pedindo socorro, mostra pela grade da janela da prisão a bandeira do Chile. O próprio governo do Chile declarou em nota oficial que o motim e o posterior incêndio ocorrido na penitenciária de San Miguel é "uma enorme desgraça, provavelmente a maior da história do sistema carcerário do país".

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, confirmou que já chega a 83 o número de mortos no incêndio, ocorrido após um motim de presos, que definiu como uma "tremenda e dolorosa tragédia".


Na porta de um dos hospitais para onde foram transferidos os presos feridos, Sebastián Piñera disse que "Não podemos seguir vivendo com um sistema carcerário que é absolutamente desumano".

Parentes dos 83 presos mortos agrediram as autoridades encarregadas de divulgar a lista de vítimas e lançaram garrafas e pedras nos funcionários da prisão.

Revoltados e em desespero, parentes dos presos chegaram a agredir as autoridades que foram ao local. Familiares dos presos entraram em desespero ao ouvir o anúncio dos mortos no incêndio.

Um dos mais atingidos foi o intendente metropolitano, Fernando Echeverría, a quem os parentes insultaram e lançaram ovos e outros objetos.

Echeverría disse antes de entrar em um veículo da Polícia para escapar da ira dos familiares que conseguiu resgatar cerca de 65 presos do quarto andar da Torre 5, onde começou o incêndio.

"Após uma rixa ocorreu o incêndio. Nesse momento no setor Sul havia 72 internos, foram resgatados cinco e há 66 mortos", enquanto no setor Norte "60 pessoas foram resgatadas e 15 morreram asfixiados", informou o intendente.

ANTONIO CARLOS LACERDA é Correspondente Internacional do PRAVDA.RU no Brasil. E-mail:- jornalistadobrasil@hotmail.com

 

 


Loading. Please wait...

Fotos popular