Pravda.ru

Mundo

Casas 'Gospel': Mão da CIA Travestida de Deus

08.10.2019
 
Casas 'Gospel': Mão da CIA Travestida de Deus. 31875.jpeg

Casas 'Gospel': Mão da CIA Travestida de Deus

Militarização das escolas, criancinhas sensuais de Silvio Santos e "defesa da família" religiosa: retórica como parte do descaradamente feroz jogo político, casas bem menos transparentes que o próprio sistema politico corrupto. Essa classe de gente, milhões de mentes viciadas em religião e cúpulas financiadas historicamente pela CIA, nunca pode ser levada minimanente a sério

Edu Montesanti

"Não existe organização criminosa mais bem-sucedida, que a que conta com apoio estatal"
(Misha Glenny em McMáfia - Crime sem Fronteiras)

 

A tal "defesa dos valores da família" das confrarias religiosas brasileiras não deve fazer parte do debate entre cidadãos sinceros, ao menos não quando algum cérebro lavado ou lobo em pele de pastor em questão, está envolvido. Seria o que se diz no Brasil, "dar murro em ponta de faca" ou, nas palavras do próprio Jesus (com aspecto completamente distinto em relação a essas casas), "jogar perolas aos porcos". O proprio livro bíblico de Provérbios, aconselha que nao se discuta com imbecis e cínicos em geral, para que não se rebaixe ao mesmo nivel deles.

Ate porque diria o escritor israelense Amos Oz, muito apropriadamente: "Um fanático é alguém que não consegue mudar de opinião, e tampouco muda de assunto. É um ponto de exclamação ambulante: tem todas as respostas, e não está interessado nas perguntas." Algo poderia ilustrar melhor os milhoes de cerebros nervosamente lavados, cheios de fobias das confrarias religiosas?

A sucessão de eventos contradiz cada vez mais essa gente. Ultimamente, envolvendo o presidente Bolsonaro e a militarização das escolas brasileiras. 

Outrossim, o silêncio religioso e social em geral em relação à exposição sexual de meninas por parte de Silvio Santos,  tarado que carece de tratamento ou alguém que vê cifras até na produção de sensualidade de criancinhas de sete, oito anos (ou as duas coisas), revelando igualmente a fajutaiada religiosa brasileira (para dizer o mínimo).

Quem não se lembra do furor por parte de determinados setores da sociedade, liderada por Movimento Brasil Livre, quando obras de arte em São Paulo incluiam um homem nu no final de 2017? Por que nada agora, em relação a este reacionário bilionário, entusiástico apoiante do golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff e, posteriormente, propagandista barato de Michel Temer, do início ao fim do patético mandato presidencial daquele ser escroto? 

 

Ambos os casos acima mencionados, para nem se apontar a patética omissão contra a corrupção, a qual em tempos nada remotos foi motivo de histeria generalizada, hoje envolvendo Jair Bolsonaro e membros do seu governo com novos escandalos vindo à tona praticamente todos os dias.

Essa classe de gente, um dos pilares de areia do golpe contra Dilma Rousseff e da caótica situação que o Brasil enfrenta hoje, nunca pode ser levada a sério - embora este repórter tenha, desgraçadamente, frequentado por cerca de 15 anos tais casas.

Conhecendo-as como a palma da mão, há muito o que dizer sobre seus intestinos e vísceras, o funcionamento dessas fortemente verticalizadas confrarias de alta rentabilidade com seus bem conhecidos canalhas da estirpe de Estevam Hernandes, Silas Malafaia, Jonathas "Natinha" Liasch (um dos mais próximos deste repórter, cuja mera recordação causa náuseas: sua falida comunidade em São Paulo chamada Pedra Viva, terminou completamente vazia, seu "rebanho" partiu, escandalizado, no final dos anos de 1990), "missionários" norte-americanos na cidade de São Paulo, e muitos outros. 

Desgraça pouca, é bobagem: ter o cérebro lavado, mal menor nesses antros de corrupção, oportunismo, escolas de persuasão e da politicagem mais baixa.

Porém, a sucessão de acontecimentos - nem sempre difundidos nem minimamente discutidos pelos grandes meios de comunicação (confrarias religiosas - grande mídia - cúpula política: uma cadeia?) - torna desnecessário que se conheça de perto tais casas gospel, a fim de se constatar o que está em jogo em suas entranhas.

Escola sem Partido e Militarização das Escolas: Imbecilidade sem Limites

Projeto Escola sem Partido e militarização das escolas brasileiras: se não bastasse um absurdo cada proposta em si, contradiz-se o raciocinio quando colocadas em contexto pelas religiões dominantes e dominadoras, reverberando os podres poderes que têm Jair Bolsonaro como o palhaço de turno, cúmulo da mediocridade no Palácio da Alvorada.

Especialmente os negócios da fé protestantes, sempre exerceram enorme pressão a favor do moribundo Escola sem Partido (EP). O precário argumento dos donos dos templos, chefes de uma religião falida que apenas pode se sustentar nos frágeis alicerces psicológicos de suas multidões, para quem "pensar é perigoso", aponta no sentido de que os únicos responsáveis pela educação dos filhos são os pais, enquanto os professores devem limitar-se a "transmitir o conteúdo dos livros didaticos".

Sentido contrário ao de todo o mundo, desvirtuando completamente o papel do professor. Algo natural em uma sociedade profundamente reacionária como a brasileira.

Quando este "debate" esteve no auge da histeria e agressividade, por todos os lados incluindo a caricata "esquerda" tupiniquim, era comum ir-se a cultos gospel e deparar-se com "pastor" no meio do que deveria ser um "culto ao Senhor", defendendo o EP - em nome do direito, do bem-estar da família: "o Estado [neste caso professores, é claro] nao pode ser parte da educação dos nossos pequeninos". 

Conforme mencionado no início deste texto, nao é possivel falar sério com massas de manobra e seus mestres na arte de persuadir, escória da sociedade. Nem faz-se necessário: basta evidenciar a patologia do poder preponderante nestas redes de intrigas internas, vícios de uma religiao morta que quanto mais cresce, mais multiplica-se a corrupção no País.

Não deveria apontar ao sentido oposto este "fenômeno" apenas por uma questão de lógica, mínima que fosse, considerando o forte apelo moralista que as envolve? Caras de pau! "Cegos guiando cegos, e cairão todos juntos em um buraco", disse Jesus de religiosos exatamente dessa classe, em seu tempo.

Os latidos do brucutu Jair Bolsonaro - de estatura intelectual e moral ao mesmo nível dos "talibans evangélicos" tupiniquins, em geral - no início de setembro e o estrondoso silêncio dessa cafajestagem em pele de autoridades espirituais, revelam uma vez mais a quem servem os "religiosos" em questão, sempre mudando de posição facilmente de acordo com seus interesses e privilegios de um poder obscuro, descaradamente em nome do bem-estar social e de Deus.

"Me desculpa, não tem que aceitar não. Tem que impor. Se aquela garotada não sabe na prova do PISA regra de três simples, interpretar texto, não responde pergunta básica de ciência, me desculpa, não tem que perguntar ao pai e responsável nessa questão se quer escola com uma, de certa forma, militarização. Tem que impor, tem que mudar", disse Bolsonaro em 5 de setembro. 

Não apenas os donos dos templos não saem em favor dos "valores sagrados da familia", neste caso no direito dos pais de decidir sobre militarização nas escolas, como em muitos casos apoiam entusiasticamente que o Estado passe por cima da decisão familiar, impondo, desta maneira, milicos e toda sua truculência a la Jair Bolsonaro aos "nossos pequeninos". Hipócritas!

Conectando Fatos e Revelacoes Incontestes

"(...) O Estado de S. Paulo e O Globo, além da revista Veja, podem se dedicar a informar sobre os riscos que podem advir de se punir quem difame religiões, sobretudo entre a elite do país. Esta Missão [Embaixada dos Estados Unidos em Brasília] tem obtido significativo sucesso em implantar entrevistas encomendadas a jornalistas, com altos funcionários do governo dos EUA e intelectuais respeitados. Visitas ao Brasil de altos funcionários do governo dos EUA, seriam uma excelente oportunidade para pautar a questão junto à Imprensa brasileira. (...) Aumentar a atividade pela mídia e o alcance das comunidades religiosas parceiras [do governo de Washington]: até agora, nenhum grupo religioso no Brasil assumiu a defesa da difamação de religiões. (...) Essa campanha também deve ser orientada às comunidades religiosas que parecem ter influência sobre o governo do Brasil [grifos nossos]."

 

Telegrama secreto emitido em 22.12.2009 pela "Embaixada" (centro de espionagem) norte-americana ao Departamento de Estado dos Estados Unidos, em Washington, liberado por WikiLeaks à Imprensa em  6.2.2011

 

 

 

São vastas, especialmente nesta época de relativa revolução da informação através da Internet, as evidências que respondem a velha questão: a quem servem as confrarias religiosas ocidentais?

 

Conforme observou este autor em 11 de dezembro de 2018, no artigo Perfeito Idiota: O Capitalismo Tem um Mundo de Possibilidades para Você!, aqui em Pravda Brasil:

 

"O Relatório Rockefeller de 1975 substituiu na América Latina a Igreja Católica - parceira já não muito confiável entao - através da criação e financiamento de seitas evangélicas pela CIA, pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos e ONGs de fachada, a fim de combater ideais socialistas na América Latina e, consequentemente, em defesa do imperialismo norte-americano.

 

"Exercendo lavagem cerebral, manipulando, dominando e acumulando riquezas, tais seitas possuem uma acentuada capacidade de penetrar em setores populares que determinados movimentos não conseguem alcançar, sendo que muitas delas têm estado envolvidas até no tráfico de armas por meio de lideres supostamente religiosos de péssimo nível intelectual (marca registrada), o que pode muito bem explicar o "enigmático fenômeno" de "igrejas" multimilionárias e, automaticamente, a própria multiplicação de armamentos em territórios nacionais. Já houve denúncias por parte de indignado pastor evangélico brasileiro, de que alguns colegas participam da lavagem de dinheiro de políticos nacionais e do narcotráfico.

"Os autores do relatório, arquitetado e financiado pela Fundação Rockefeller que, historicamente, promove políticas de dominação e exploração global através sobretudo da lavagem cerebral induzindo medo às massas, reclamaram, então, do que denominaram "excesso de democracia" alegando que este sistema só funciona se houver apatia e desinteresse social. Em outras palavras: o capitalismo apenas se sustenta apoiado na alienação e despolitização dos indivíduos, na retirada de seu senso de cidadania e da noção de sua posição no mundo.

"Pois WikiLeaks liberou telegrama secreto revelando que realmente existe uma organização secreta, da qual a família Rockefeller é uma das 13 dinastias Illuminati atuando como governo global nas sombras, e estreitamente ligada ao governo dos EUA; o próprio Federal Reserve, banco central norte-americano, pertence a oito famílias-membro dos Illuminatientre elas os próprios Rockefeller."

 

Tambem aqui em Pravda, este autor publicou em 21 de janeiro de 2017 tradução de vídeo de treinamento de novos membros Illuminati, que em determinado ponto instruía os novos militantes secretos:

 "A religião tem servido aos nossos objetivos de uma maneira incrível. É a mais antiga e talvez a mais gloriosa forma de controle social utilizada pelo Corpo.


"A religião perdeu seu controle sobre as pessoas, de maneira que o fanatismo é resultado de tal declínio, o que ajuda o Corpo. Nossa influência invisível sobre as igrejas ajuda a criar cristãos fundamentalistas, para manipular suas opiniões sobre acontecimentos atuais de acordo com a política do Corpo. 


"Eles [líderes religiosos] são enviados a nossos ministros que lhes interpretam a Bíblia, e eles pregam isso a seus seguidores. A fé cega deles é utilizada para lhes transformar em soldados voluntários para defender nossa causa durante a catástrofe que está por vir.

"(...) "Os cristãos apoiarão nossas ações, visto que a crença deles será demonstrada como verdadeira para as profecias do fim do tempo, criadas pelo diretamente pelos lideres religiosos do Corpo Illuminati."

Igreja 'Made in USA': Território Estadunidense em Sao Paulo

Conforme dito no início do texto, este autor esteve em diversas confrarias em questão, por muitos anos. Além dos ambientes enfermantes, nem poderia ser diferente, o caráter de suas cúpulas não pode, realmente, ser classificada de outra maneira: nojenta!

Enquanto a imensa maioria de "pastores" e "missionários" em geral são financiados por "ONGs" norte-americanas, e possuem visto de entrada permanente aos EUA - para nem se falar das mansões na Flórida de Estevam Hernandes da Renascer em Cristo, Edir Macedo da Universal e Silas Malafaia, da Assembléia de Deus Vitória em Cristo - limitemo-nos, aqui, a mencionar apenas um pouco da experiência na comunidade norte-americana em São Paulo denominada Calvary International Church, no nobre bairro Campo Belo. De onde diversos individuos (conhecidos deste autor) saíram revoltados com Deus, e até ateus.

Há exatos 50 anos, seus donos - na prática - são o clã Fawcett: Mary e William (pastor "Bill") chegaram ao Brasil após o Golpe Militar de 1964, arquitetado e financiado nada menos que por ela, a CIA segundo documentos oficiais.

A própria década de 1960 assistiu a uma inundação de "missionários" gospel e jornalistas estadunidenses, fato registrado na "Embaixada" dos Estados Unidos em Brasília. O intuito? Conquistar mentes e corações dos brasileiros. Pois entre tais "missionários" estavam eles, Mary e Bill com os filhos, em 1969. 

Tudo ali e celebrado em inglês (até este ponto, nenhum problema). Norte-americanos - homens de negócios e "missionarios" - são as celebridades idolatradas na comunidade, que funciona clara e agressivamente como "grife religiosa" (crentes "chiques") a um bando de brazucas de baixa auto-estima, colonizados mentalmente.

Há um forte e generalizado tratamento disntinguido para gringos, inclusive por parte desses tapados brazucas que acabam adotando o inglês como primeiro idioma (mesmo falando português, alguns acabam "esquecendo-se" de determinadas expressões em língua matter, e "sem querer" ate nos locais de trabalho e na faculdade tais termos "escapam" em inglês), absorvem artificial e ridiculamente diversos costumes.

Enfim, o que se diz no Brasil especialmente entre os mais jovens, uma "pagação de mico total". O meio ali induz a isso. Roberto vira "Robert"; Heri torna-se "Eddie", e assim por diante (o inverso jamais, e certamente desagradaria). Certa vez este autor observou ao "Eddie" com aspecto de questionamento mesclado com assombro, ao que Eddie apressou-se a justificar, entendendo o ponto: "Para facilitar aos americanos...". São os alegres brazucas "tipo-exportação", que alugam a personalidade e negam as raízes para se parecer mais "chiques".

Algo muito nítido e algumas vezes observado pelos rincões da Calvary - até que um membro fazendo as vezes de inteligência local leva a informação aos chefes da religião, para que o "rebelde" seja devidamente "queimado" e deixe a comunidade (tachado de "rebelde" e outros adjetivos nada credenciadores que a diabólica criatividade local mandar, geralmente apoiados covardemente nos pontos fracos, potencializados, do ex-membro), acumulam-se com o passar dos anos. Impiedosamente.

A dominação, que se inicia no controle mental, mais descarada e opressora. Enfatize-se, por questão de justiça, que tal atmosfera não se restringe à referida comunidade norte-americana e seus capachos tupiniquins em São Paulo: é via de regra no meio gospel nacional, concentrador de poder e de bens materiais por natureza.

A propalada humildade que olha a tudo e a todos como superiores a si mesmo, vale apenas ao "povão".

Nao é bem recebida outra língua na comunidade norte-americana na maior cidade latino-americana, que não seja a dos gringos: o ambiente chega a ser tão agressivo inclusive neste sentido, que um músico de alto nível intelectual, Nander Novaes, então novato na casa, perguntou a este repórter: "Pode-se falar português aqui na Calvary?". Contrariando o espírito de barbárie cultural que ali impera, nitidamente, foi-lhe respondido: "Claro que sim: pode!".

Como se aquela confraria fosse um território norte-americano em solo paulistano.

Amazônia em Foco

No vinculo Missions da Calvary pode-se ler que uma de suas missões é atuar com os índios da nossa Amazônia (sempre ela, a região amazônica! Tão visada pela CIA - mera coincidência? -, amplamente citada nos documentos da inteligência estadunidense e do Departamento de Estados dos EUA, alem de livros didaticos estadunidenses que ja chegaram a ensinar que a mencionada zona tropical sul-americana pertence aos EUA).

Financiada majoritariamente pela organização norte-americana BEA Ministries (Brazilian Evangelistic Association), criada nos Estados Unidos também em 1969 com o intuito de atuar especificamente em territorio brasileiro, eventualmente trabalhando também na Bolivia e em Honduras.

Mary e Bill, assim como os altos-membros da Calvary, são os mesmos "missionarios" que atuam na BEA - para que se tenha ideia da centralização do poder religioso local, seguindo a regra geral. Enfim, Calvary e BEA: "amounts to the same thing!", ou seja, tudo a mesma coisa! 

Caixinha, 'Thank You'

Este aniversário de 50 anos da chegada do clã Fawcett ao Patropi não poderia ser comemorado de outra maneira: Nathanael Fawcett, filho do casal e hoje pastor titular da casa, bolou um "caixinha, thank you" na Internet para os sacros pais, através da página Blessing Bill and Mary Fawcett (Abençoando Mary e Bill Fawcett).

A arrecadação financeira para ajudar o casal, que recebe majoritariamente em dólares o salario mensal pelos cargos na igreja, já supera os 3.450 dólares, ao menos a quantia declarada publicamente na página pelos membros da comunidade, mas com certeza as doações feitas diretamente na igreja, nao publicadas na Internet, sã muito superiores a esse valor.

Em reais, apenas esta parcial quantia significa, para comemmorar os 50 anos da vinda do casal Fawcett ao Brasil, mais de 12 mil - em terra de gente miserável que e o Brasil de Bolsonaro hoje.

McCarthismo

No início de 2008, quando há um ano este autor ja realizava um chamado "discipulado" semanal (aulas bíblicas) com o pastor Nathanael Fawcett, eis uma grande surpresa no que deveria ser exposição da vida e dos ensinamentos de Jesus: em seu computador, o herdeiro do trono religioso - com todas as benesses, a comecar pelo status em contraposição absoluta ao aspecto de Jesus que dizem seguir - dos Fawcett, apresenta uma videochacotinha, com gargalhadas de auditório e o semblante alegre do pastor em questão, contendo erros de português de Luiz Inácio Lula da Silva, muitos causados pela língua meio presa do entao presidente do Brasil.

E desnecessário descrever aqui o contrangimento deste ex-pupilo bíblico dos ilustríssimos lords norte-americanos, ao mesmo tempo que desfaz o mito apolítico vendido por essa casta religiosa além de ser peça a se encaixar perfeitamente no complicado quebra-cabeçasbrasileiro de tempos atuais. 

Nunca este autor fora defensor do governo de Lula nem do PT, mas apenas o fato de possuir ideias progressistas (nunca discutidas dentro daquela comunidade), foi o suficiente para a local caça às bruxas... E mais tarde (coincidência?), viriam as "frituras" de Dilma e do mesmo Lula achincalhado pelos gringos, tudo isso com apoio decisivo e declarado desses mesmos setores sociais que, às surdinas (parecia, em análise retrospectiva hoje), já vinham trabalhando neste sentido.

Se assim foi, coordenado por quem, de onde? São questões fundamentais para se entender o Brasil de hoje, e que devem ser investigadas especialmente levando-se em consideração a sucessão de acontecimentos no País, particularmente a partir de junho de 2013.

Todo o contexto brasileiro torna, para este autor, impossível enxergar fatos como os acima descritos como isolados, tanta agressividade contra setores progressistas brasileiros nas confrarias religiosas do País já naqueles anos. Em análise retrospectiva, era como se algo já estivesse sendo perpetrado para desembocar no Estado autoritário de hoje. Cabos secretos e ultrassecretos liberados por WikiLeaks, amplamente publicados e comentados em Pravda Brasil, corroboram esta tese.

Outro ponto a ser seriamente considerado: não se vá, nas igrejas, uma ou outra liderança que possua ideias progressistas. São todos reacionários, forte e declaradamente reacionários - não por ausência de religiosos ou ex-religiosos com ideias à esquerda -, reforçando a tese de que existe uma mão controladora dessas casas. As quais cumprem, sim, uma agenda política muito clara (e fortemente elitizada), ao contrário do que alegam.

Igrejas: Joia da Coroa para "Guerra ao Terror"

Alguns anos depois, a Calvary acrescentou a sua Escola (Biblica) Dominical nada menos que "aulas de Islã", segundo este autor verificou no sítio Internet da referida comunidade. Após comunicado por correio eletrônico deste repórter, questionando duramente a nova "matéria" de todas as manhãs de domingo, o informe sobre "aulas de Islã" saiu da página. 

Qual o interesse em Islã da comunidade norte-americana? Justamente a que discrimina árabes, e defende bombardeio indiscriminado sobre paises islamitas: é algo, no mínimo, bastante curioso. Que tipo de "aulas" eram ministradas? 

Este repórter nunca assistiu tais "aulas de Islã" na comunidade "cristã" norte-americana em São Paulo, as quais, certamente, nao se prestam (ou nao se prestavam, se nao existem mais) a contar a história de Maomé, da regiao árabe e seus seguidores tão somente, mas de pichá-los acirrando assim a infinita "Guerra ao Terror" (na verdade, contra árabes e islamitas em geral).

Sentimento de histeria e ódio que faz parte da casa, em alguns casos abertamente: chacotas contra árabes já foram presenciadas, incluindo gargalhadas por parte de líderes ali; Sobre a invasão dos EUA ao Iraque a partir de 2003, este repórter presenciou uma conversa, ao que discordou mais bíblica (em defesa da vida) que politicamente, pelo que acabou pessoalmente "admoestado"em um pateticamente pretenso "espírito de Cristo" por determinado "teacher" da Bible Study Fellowship (BSF International), curso bíblico exportado do Texas realizado todas as terças-feiras à noite na Calvary:

"Tem que soltar bomba e explodir todo mundo ali!".

Indignado, este autor respondeu discordando, ao que foi respondido:

"Lá [no Iraque] eles nao tem Jesus; e agora [o que voce vai dizer]?".

Este reporter tentou, ainda, argumentar que "quando os cristaos primitivos foram duramente perseguidos, nao havia um Bush Crente lá, para cuidar atraves de ataques a bombas, da manutencao do mundo gospel no planeta Terra".

Mas de nada adiantava tentar conter tanto odio contra às diferencas: acabava trazendo ainda mais odio, e ate contra este pobre autor tentando defender exatamente o que eles tanto reivindicam defender, monopolizando ate tal defesa: a da vida.

A demonizacao contra arabes, especialmente arabes islamitas, comeca nas igrejas cristas em todo o mundo -  estigmatizacao criada, exatamente, nos Estados Unidos.

Aquela foi uma das ultimas agressividades presenciadas por este autor, entao um estudante que buscava entender a Biblia e acabou "fritado" na Ïgreja do Calvario"e no "Estudo Biblico da Irmandade". Apos anos sofrer assedio por pensamentos de esquerda sem NUNCA ter levado tais assuntos ao local - apenas a presenca do "inimigo" incomodava...

Charlatanismo Reacionario

A quem servem essas "igrejas"? Como se multiplicam tantos, mesmo com lideres tao mediocres e repugnantes como Rinaldo Seixas (Publicitario; Igreja Bola de Neve; video: apoio descarado e cheio de persuasao a Bolsonaro nas ultimas eleicoes, valendo-se da auto-imposta posicao de "apostolo de Cristo"), Estevam Hernandes (ex-profissional de marketing; Renascer), Edir Macedo (ex-fuincionario de bar e de Loteria mais tarde; Universal), etc?

"[Devemos prezar por] Aqueles que não violam as leis, que pagam impostos e vão trabalhar, mandam suas crianças à escola, vão às igrejas [grifo nosso], gente que ama seu país", disse em campanha presidencial (pasmem!) Richard Nixon, que viria a ser um dos mandatarios mais baixos da historia politica de seu pais, cassado por espionagem contra adversarios politicos.

  

Como seria bom se tivesse sido verdade o que essas casas generalizadamente diziam, raivosamente, do Lula ao longo dos anos de 1990, a fim de enfraquece-lo politicamente, uma das tantas histerias anti-comunistas das "igrejas" ao longo da historia: se "o barbudo"vencesse as eleicoes presidenciais, o petista fecharia as igrejas para abrir mercadoes de comida para o povo. 

 

Foto:  Por Jim Sanborn - Jim Sanborn, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=8253447

 


Fotos popular