Pravda.ru

Mundo

Tenente americano nega combater no Iraque

06.02.2007
 
Tenente americano nega combater no Iraque

Um tenente  do exército dos Estados Unidos declarou-se inocente diante da Corte Marcial que começou ontem a julgá-lo pelo facto de se ter recusado a lutar no Iraque. Watada recusou-se em Junho de 2006 a partir com a sua unidade para o Iraque por considerar a ordem ilegal porque a própria guerra é ilegal.

O tenente,Ehren Watada, de 28 anos , é o primeiro oficial a recusar-se a ir combater no Iraque, pode ser condenado a quatro anos de cadeia e a expulsão desonrosa do Exército.

O tenente Watada recusou-se a pedir o estatuto de objector de consciência, porque disse que não se recusaria a ir lutar no Afeganistão mas recusa-se a ir para o Iraque.

"Não tive outra escolha senão recusar a ordem", disse, explicando que ao ler a quantidade de mentiras que a administração Bush utilizou para detonar e levar a cabo a guerra do Iraque, ficou espantado. "Se o presidente Bush pode trair a minha confiança, este é o meu momento de rever o que ele me pede para fazer."

Segundo a Amnistia Internacional, três soldados rasos americanos foram já condenados a penas de 12 e 15 meses de prisão por se terem negado a ir para o Iraque.

Watada conta com o apoio de algumas personalidades como o Prémio Nobel da Paz sul-africano Desmond Tutu ou a actriz Susan Sarandon e o actor Martins Sheen, entre outros, como se pode ver no site de apoio ao tenente.

 Esquerda


Loading. Please wait...

Fotos popular