Pravda.ru

Mundo

Coronavírus: Partidos Comunistas e Operários do mundo defendem medidas imediatas para proteger a saúde e os direitos dos povos

05.04.2020
 
Coronavírus: Partidos Comunistas e Operários do mundo defendem medidas imediatas para proteger a saúde e os direitos dos povos. 32976.jpeg

Coronavírus: Partidos Comunistas e Operários do mundo defendem medidas imediatas para proteger a saúde e os direitos dos povos

Desde a última quinta-feira (26), circula em páginas de partidos comunistas e operários na internet, blogs, listas digitais e redes sociais um manifesto dessas organizações defendendo medidas emergenciais para proteger a saúde e os direitos dos povos em meio ao agravamento da pandemia de coronavírus. O manifesto foi publicado originalmente na página Solidnet em inglês, russo, espanhol e árabe. Dezenas de partidos já assinaram. A  lista segue aberta para novas adesões. Leia a íntegra

Os partidos comunistas e operários se posicionam com responsabilidade diante de nossos povos. Estamos aqui! Presentes na vanguarda da luta para tomar medidas imediatas para proteger a saúde e salvaguardar os direitos da classe trabalhadora e das camadas populares, em todos os lugares!

Enviamos nossos mais sinceros agradecimentos aos médicos e enfermeiros, às equipes dos hospitais e das unidades de saúde que enfrentam grandes dificuldades.

Expressamos nossa solidariedade a todos os afetados pela pandemia de Covid-19 e lhes desejamos uma rápida recuperação da doença.

Saudamos os países que estão realizando ações de solidariedade com os países mais afetados, como o envio de materiais de proteção, ventiladores e profissionais de saúde por países como China, Cuba e Rússia, ações que estão em contradição com a ausência da União Europeia.

O perigo da pandemia de Covid-19 demonstra tragicamente as profundas deficiências dos sistemas de saúde pública em todos os países capitalistas que já eram conhecidas antes do surgimento do coronavírus. Essas deficiências não ocorreram por acidente, são o resultado de políticas antipopulares aplicadas pelos governos a serviço do grande capital para comercializar e privatizar a saúde, para apoiar os lucros dos grupos monopolistas. Essa política mina as grandes capacidades científicas e tecnológicas disponíveis hoje para satisfazer todas as necessidades de prevenção e atenção ao povo. 

A experiência atual põe em evidência a natureza antissocial e parasitária do capitalismo e destaca a superioridade e a atualidade do socialismo e do planejamento central científico, tendo como critério as necessidades populares, que podem fornecer atenção e prevenção primária, hospitais, médicos e enfermeiros, medicamentos, laboratórios, exames médicos e tudo o que for necessário para satisfazer as constantes e urgentes necessidades de saúde das pessoas.

A desaceleração da economia global preexistente é agora reforçada pela disseminação do coronavírus e aumenta o risco de uma nova crise no próximo período. Apesar da propaganda do "pacto nacional", os governos que servem ao grande capital concentram as medidas econômicas no apoio aos grupos monopolistas e mais uma vez descarregar o custo o custo da crise sobre os trabalhadores e as demais estratos populares. Os trabalhadores e os povos não podem e não devem pagar novamente!

A "responsabilidade individual" não pode ser usada como pretexto para encobrir a responsabilidade estatal e governamental. Hoje, tomar as medidas necessárias requer a luta dos povos contra a política de apoio aos grupos monopolistas, que sacrifica a satisfação das necessidades e a saúde dos povos em prol da lucratividade capitalista.

Os partidos comunistas e operários exigem que sejam tomadas todas as medidas necessárias para enfrentar a pandemia, que incluem as seguintes:

- Fortalecimento imediato dos sistemas públicos de saúde com fundos estatais, contratação de médicos e enfermeiros com plenos direitos. Atender a todas as necessidades das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e prover a infraestrutura necessária para o pleno funcionamento dos serviços de saúde pública e de pesquisa científica.

- Provisão imediata ao povo, gratuitamente, pelo Estado, de todos os meios de proteção necessários (máscaras, luvas, antissépticos etc.) e impedimento à especulação. Aqui e agora, dar todas as medidas de proteção aos médicos e enfermeiros que lutam nos hospitais com sacrifício e custo pessoal.

Proteção à renda dos trabalhadores e direitos populares. Parar a imunidade do capital que, sob o pretexto da pandemia de Covid-19, está realizando demissões extensivas e tenta esmagar ainda mais os direitos salariais, a jornada de trabalho, as licenças e outros direitos trabalhistas. Tomar medidas imediatas para proteger a saúde dos trabalhadores no local de trabalho.

- Nenhuma redução dos direitos democráticos dos povos sob o pretexto do coronavírus.

Fim a todas as sanções e medidas de bloqueio econômico que, nesta situação, são ainda mais injustas e criminosas e dificultam ainda mais a vida dos países afetados. Tomar todas as medidas necessárias para proteger a saúde e a vida dos povos.

Dizemos não às intervenções imperialistas e aos exercícios militares, como os da Otan, e exigimos o redirecionamento de recursos públicos para apoiar as necessidades dos povos, como o financiamento da saúde pública e dos sistemas de seguridade social.

Ver também em Marx 21 

Tradução da redação de Resistência

https://www.resistencia.cc/coronavirus-partidos-comunistas-e-operarios-do-mundo-defendem-medidas-imediatas-para-proteger-a-saude-e-os-direitos-dos-povos/

 


Fotos popular