Pravda.ru

Mundo

Eleição na Sérvia: O que acontece ao Kosovo agora?

05.02.2008
 
Eleição na Sérvia: O que acontece ao Kosovo agora?

Boris Tadic, reeleito no Domingo, favorece a assinatura de um acordo com a União Europeia, mesmo se esta assume a supervisão de Kosovo como um prelúdio para reconhecer a independência do território sérvio. Os meios de comunicação ocidentais dizem que se Nikolic tivesse sido eleito seria, "um regresso ao isolamento da década dos anos 1990."

"O nosso problema é que a UE não compreende quanto o Kosovo significa para nós", disse Nikolic numa recente entrevista. "Eu seria o primeiro a apoiar a adesão se nos tratassem como pessoas normais, sem condições que não foram estabelecidas para outros."

Nikolic diz, "não queremos mais promessas falsas", criticando os rivais que tentaram ser tudo para todas as pessoas. "Eles dizem ao Ocidente o que quer ouvir, e aqui eles fingem ser grandes patriotas", afirmou.

"Eles dizem que devemos aderir ao NATO, depois querem o veto da Rússia sobre o Kosovo, querem aderir à UE e também manter o Kosovo. Não estou disposto a mentir dessa maneira." Bem-vindo ao mundo maravilhoso do "superiores" valores ocidentais! É essencial que se se pretende ganhar uma eleição com a aprovação do Império, é preciso mentir entre os dentes.

Contrário aos meios de comunicação dos elitistas corporativos ocidentais, Nikolic não estava pensando em retornar ao isolamento. Nesta campanha, Nikolic foi dizendo aos eleitores que quer que a Sérvia seja um "elo entre o Ocidente e no Oriente" e favoreceu a promoção de uma política externa de "cooperação, não concessões."

Os Sérvios decidiram não fazer quaisquer mudanças no rumo atual do país, ainda estão dispostos a escutar as exigências da UE e dos Estados Unidos, apesar de quase 20 anos de serem pisados, vítimas de mentiras, serem demonizados , caluniados e depois bombardeado durante 78 dias.

Há informações que o primeiro-ministro do Kosovo, Hashim Thaci, prometeu atrasar qualquer proclamação da independência se o atual presidente (Tadic) venceu. Mas parece pouco provável que atrase por muito tempo, pois acredita-se quando o seu primeiro parlamento for convocada em 6 de fevereiro que a declaração teria lugar nessa altura. As grandes potências ocidentais estão "empurrando para Fevereiro", de acordo com alguns relatos.

Cabe ao Tadic agora manter a sua palavra aos eleitores porque senão ele se expõe como um traidor da Sérvia e dos interesses nacionais. Conhecendo o humor dos eleitores, ele não podia prometer aos Estados Unidos e à UE o impensável - abandonar o Kosovo. Na sua celebração da vitória, ele prometeu levar em consideração as opiniões dos Nikolic e os seus apoiantes.

O Ocidente está agora colocada numa posição difícil. Eles colocaram uma pressão enorme sobre os eleitores sérvios. Agora cabe-lhes apreciar o facto que a Sérvia demonstrou boa fé, que é uma verdadeira democracia, ao contrário de muitos dos regimes que o Ocidente actualmente apoia… como o regime mafioso albanês no Kosovo. Além disso, cabe ao Ocidente demonstrar respeito pela lei internacional e os acordos que eles fizeram, como a Carta das Nações Unidas, a Resolução 1244 da ONU e a Acta Final de Helsínquia. Kosovo é terra sagrada da Sérvia e sob a lei internacional Sérvia mantém soberania sobre a província - isso deve ser respeitado. O futuro do Kosovo deve ser uma preocupação da Sérvia e só da Sérvia.

Lisa KARPOVA

PRAVDA.Ru

USA/CANADA


Loading. Please wait...

Fotos popular