Pravda.ru

Mundo

Chávez congratula oposição

03.12.2007
 
Chávez congratula oposição

Numa lição em democracia para o resto do mundo, Presidente Hugo Chávez pediu para que os venezuelanos não utilizassem a vitória da oposição no Referendo (51% a 49%) para criar conflito, aceitando a derrota e apelando à oposição que saiba lidar com o seu sucesso.

Os venezuelanos decidiram por uma maioria escassa não aceitar as reformas propostas pelo Presidente Hugo Chávez, a saber:

Fim da autonomia do Banco Central

Termo de presidência alargado de 6 a 7 anos

Reeleição do Presidente por tempo indefinido

Reorganização dos distritos administrativos

Horário de trabalho reduzido de 44 a 36 horas/semana

Redução da idade mínimo legal para votar de 18 para 16 anos

Direitos de segurança social para trabalhadores do sector informal

No entanto, Hugo Chavez vai permanecer no seu posto ate Janeiro de 2013 e tem o direito sob a Ley Habilitante de emitir decretos sobre assuntos específicos no período de um ano, e tendo a Assembleia Nacional a seu favor, esta lei poderia ser renovada quantas vezes ele quisesse.

Hugo Chávez é Presidente de Venezuela desde 1998. Investiu milhões de dólares provenientes do sector de energia em programas sociais, subsidiando produtos básicos (café, feijão, leite em pó e açúcar) e protegendo os interesses dos mais pobres com uma redistribuição da riqueza nacional.

Conhecido o resultado, Presidente Chávez rapidamente aceitou a derrota, pedindo aos seus apoiantes para não ficarem tristes e congratulando a oposição com as palavras “Para aqueles que votaram contra a minha proposta, eu agradeço-lhes e congratulo-os. Peço que voltem agora pata casa e saibam lidar com a sua vitória”.

No entanto, prometeu “continuar a batalha” na senda de construir uma sociedade socialista na Venezuela e na América Latina, concluindo que “por agora, não conseguimos”. A conclusão será que o povo venezuelano, que votou claramente a favor de Chávez no ano passado dando-o 63% do sufrágio, embora ainda goste do Presidente, está reticente em dar-lhe demasiado poder.

A oposição tentará fazer muito da sua vitória, a sua primeira e única desde que Chávez foi eleito em 1998. Contudo na verdade, a política é constituída de altos e baixos e globalmente Chávez tem tido mais sucessos que insucessos. Porém deve pensar agora na velocidade das suas reformas e lembrar que é sempre responsabilizado perante o povo que o elegeu.

Timofei BYELO

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular