Pravda.ru

Mundo

Ahmadinejad: Irão tem direito a programa nuclear pacífico

03.09.2006
 
Ahmadinejad: Irão tem direito a programa nuclear pacífico

Presidente Mahmoud Ahmadinejad reiterou a posição do Teerão no Sábado, dois dias depois do prazo dado pela ONU para providenciar uma resposta às exigências da comunidade internacional e parar com o programa de enriquecimento, afirmando que a República Islâmica do Irão tem o direito inalienável de proceder com o seu programa nuclear para fins pacíficos.

Dirigindo suas palavras a uma enorme multidão na cidade de Shahindej, Azerbaijão Ocidental, disse que “As potências arrogantes não conseguem impedir a nação iraniana de conseguir o progresso” e disse que os EUA perdem prestígio e as posições de vantagem no Mundo.

Acusou os países que se pronunciem contra armas nucleares mas que mantêm arsenais destas armas de serem mentirosos e reiterou a posição do Teerão que tem o direito de seguir o ciclo completo de energia nuclear, sendo esse seu direito inalienável sob a lei internacional.

Kofi Annan em Teerão

Numa visita à cidade capital do Irão no final de semana, Kofi Annan afirmou a disposição deste país a negociar o programa de enriquecimento de urânio mas disse que não vai suspender os trabalhos antes das negociações.

Entretanto os EUA se preparam para consultar as nações europeias para a imposição de sanções punitivas sobre Teerão.

Presidente Ahmadinejad também afirmou a Kofi Annan que o Irão irá apoiar todas as condições da resolução 1701 sobre o cessar-fogo no Líbano.

A posição da Federação Russa

Mikhail Kamynin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Federação Russa, declarou na sexta-feira que Moscovo está desapontado que o Irão não parou com os trabalhos de enriquecimento de urânio, de acordo com as exigências na Resolução 1696 do 31 de Julho.

Afirmando o apoio da Rússia à posição de Mohamed El-Baradei, Mikhail Kamynin disse à imprensa que “Partilhamos a posição dele e exprimimos o nosso desapontamento que o Irão não cumpriu com a Resolução 1696”.

A Federação Russa e a RP China afirmaram também que querem uma abordagem cautelosa e que não irão concordar com sanções, acreditando que há uma variedade de maneiras a resolver a questão.

Sergei Lavrov, MRE da Federação Russa, considera que é importante manter o regime de não-proliferação e tomar em conta o direito das nações desenvolverem energia nuclear para fins pacíficas.

No dia 6 de Setembro haverá uma reunião do grupo 5+1 em Viena para coordenar as acções sobre a questão iraniana.

Timothy BANCROFT-HINCHEY

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular