Pravda.ru

Mundo

As valas comuns da Colômbia

02.02.2010
 
As valas comuns da Colômbia

A história escura do presidente Álvaro Uribe é conhecida por suas ligações a narco-traficantes, terroristas e assassinos. Quando era prefeito da cidade de Medellín, esquadrões de morte narco-terroristas mataram milhares de civis. Agora, foram descobertas valas comuns com milhares de corpos.


A Colômbia está coberta por um pó fino branco. Chama-se cocaína. As folhas da planta de coca são esmagadas e demolhadas com um solvente. A cera é então removida da solução e ácido clorídrico é adicionado ao restante para separar os alcalóides da cocaína. Os cristais que restam são dissolvidos com álcool metílico, e recristalizados antes de serem dissolvidos em ácido sulfúrico.


Milhões de doses no valor de bilhões de dólares inundam as ruas dos Estados Unidos da América e outros países, todos os anos, destruindo famílias, aumentando os índices de criminalidade, rasgando a sociedade. Os E.U.A. apoiaram o prefeito de Medellín, na Colômbia, o epicentro do narcotráfico – Álvaro Uribe em sua candidatura à Presidência da Colômbia, apesar das suas alegadas ligações com a AUC, um grupo paramilitar classificado por Washington como uma organização terrorista.


Como prefeito de Medellín, no início de 1980, a cidade foi referida como "O Santuário" porque a administração da cidade dava protecção aos traficantes de droga como Pablo Escobar, cujos projetos Uribe (filho do conhecido narco-traficante Alberto Uribe Sierra) apoiou . Seu chefe de gabinete foi Pedro Juan Moreno Villa, que controlava não só a indústria química precursora da cocaína (produzindo substâncias necessárias para a produção de cocaína), mas também os paramilitares sob cujo reinado de terror no Departamento de Antioquia milhares de pessoas desapareceram, principalmente os adversários de Uribe. Durante a década de 1980, vigilantes pró-Uribe CONVIVIR massacraram milhares de civis, antes de se fundir com a organização terrorista AUC.


Como diretor da Agência Aeronáutica Civil da Colômbia entre 1980 e 1982, Uribe entregou certificados de piloto para membros do cartel de Medellin, para o qual, aparentemente, foi despedido. Quando senador, entre 1986 e 1994, ele consistentemente apoiou a legislação favorável aos cartéis de drogas.


Presidente da Colômbia desde 2002, Uribe teve a hipótese de esconder os esqueletos no seu armário. No entanto, no seu caso há tantos esqueletos que estourou a porta.


Na aldeia de La Macarena, a 200 km da capital, Bogotá, foi descoberta uma vala comum com 2,000 corpos. Os corpos, não identificados, foram depositados ali por membros das Forças Armadas colombianas desde 2005. Entretanto, houve milhares de rumores de líderes sindicais, líderes camponeses e ativistas políticos que de repente desapareceram na Colômbia sob o reinado de terror de Uribe.


As valas comuns foram descobertas depois dos relatos dos paramilitares, que admitiram que todos os combatentes nas suas unidades tiveram de aprender a desmembrar pessoas, “e isso foi feito muitas vezes quando as pessoas ainda estavam vivas". A organização do qual estes grupos paramilitares eram membros? AUC.


O Professor colombiano e sociólogo Alfredo Molano, declara "A própria Inspecção-Geral fala de 25,000 'desaparecidos', então eles tinham que estar em algum lugar. Há enormes cemitérios clandestinos na Colômbia. Também é possível que eles se livraram de um lote de corpos em fornos de estilo nazista".


Tráfico de drogas, terrorismo, assassinato maciço. Fornos de estilo nazista ... E os Estados Unidos da América apoiam Alvaro Uribe?

Timothy BANCROFT-HINCHEY

PRAVDA.Ru


Loading. Please wait...

Fotos popular