Pravda.ru

Desporto

Sul-americana: Candomblé uruguaio na vitória argentina – River Plate (UY) 0 x San Lorenzo (AR) 1 em Montevidéu

24.10.2009
 
Pages: 12
Sul-americana: Candomblé uruguaio na vitória argentina – River Plate (UY) 0 x San Lorenzo (AR) 1 em Montevidéu

Com cabeçada enxuta e gol do uruguaio Pablo «Bochita» Pintos, o Club Atlético San Lorenzo de Almagro venceu o River Plate de Montevidéu, 1 x 0 nas Quartas da Taça Sul-Americana no Estádio Centenario e posiciona-se ótimo para o segundo jogo no Estádio «Novo Gasódromo» de Buenos Aires encerrando o mata-mata na Terça 03 de Novembro.

Mais uma vez um jogo equilibrado entre uruguaios e argentinos no Estádio Centenario de Montevidéu, e do jeito que acabou acontecendo semana retrasada com o clássico mais antigo do futebol mundial entre as seleções de Uruguai e Argentina, os argentinos compram o molde da vitória perante os uruguaios. Visita perfeita, 1 x 0.

No decorrer dos quinze primeiros minutos do primeiro tempo, o jogo não foi bom mas á partir dessa marcação nos noventa, houve uma mudança e os dois times jogaram como costumam jogar. Sem aquelas tabelinhas lindas que predica o «tique-tique» do JOTA ERRE, o River Plate ia na frente na procura da vitória e o San Lorenzo, fazia sua tarefa em campo sem aprofundar demais mas com sobe e desce constante.

Sempre na primeira metade, as duas bolas mais perigosas para os goleiros, talvez foram no eixo dos 19´para o River Plate e quase no apito final do árbitro colombiano para os «Santos» argentinos. A primeira, foi uma bola vinda da faixa esquerda do ataque alvi-vermelho por conta do Jorge «Japona» Rodríguez que encontrou a cabeça do centroavante Richard Porta, quem desviou a bola desde o eixo central da grande área até a borda esquerda da área pequena e na hora que veio o mergulho do Jorge Córdoba tentando dar um toque nela para chutá-la dentro da cidadela argentina, fora ter esticado suas pernas, ele não conseguiu dar no alvo, ou seja, na bola. Já no final desses primeiros 45 minutos, um fugida do ponteiro direito Juan Carlos Monseguez pela faixa direita do ataque e dentro da grande área, encontrou a mão direita do goleiro Luciano Dos Santos que ia começar aumentar o tamanho.

A segunda metade foi bem mais interessante pois o tendo andado um minuto e vinte segundos, o centroavante do San Lorenzo sozinho e tanto na área pequena recebeu um lance vindo da faixa direita e na hora que os 3 mil torcedores do time argentino começar comemorar o gol, ele chutou por cima do travessão...incrível!!!

Três minutos depois, o maior destaque do River Plate, Jorge Rodríguez começou ziguezaguear rivais pela faixa central e entrando quase na grande área, ligou o pisca-pisca rumo á esquerda e na hora do chute para o gol, encontrou a perna de um zagueiro dando rebote para cobrança de escanteio.

Passaram oito minutos e quarenta segundos quando o San Lorenzo ficava com dez jogadores em campo. Após um ataque argentino, o River Plate conseguiu progredir no gramado pela faixa central na sua metade ainda, montando um contra-ataque com cheirinho a gol mesmo muito longe da área do goleiro Miglione. O camisa 17 dos Santos ia tomar banho mais cedo, foi expulso. O River Plate e San Lorenzo, deram início um jogo de pingue-pongue pois foram ataques e contra-ataques que mostraram o goleiro Luciano Dos Santos, com defesas ótimas e River Plate com chances mas sem aquela grande tarefa do goleiro argentino.

Tendo alcançado os 70´, após a cobrança de uma falta em favor do San Lorenzo, a bola desenhou uma parábola no ar desde o gramado até a cabeça do uruguaio Pablo «Bochita» Pintos, quem «cumprimentando alguém» como só os japoneses sabem, curvou-se no ar entrando pela faixa direita da área pequena e deu uma cabeçada perfeita encontrando a grama como primeira escala e depois de um quique, a rede do River Plate como destino final. A torcida argentina começava comemorar a vitória fora de casa, que na maioria dos casos é carimbar o passaporte para o próximo mata-mata no aguardo de mais um rival.

Chegando no minuto 78´, após a cobrança de uma falta, o canhoto uruguaio, Jorge Rodríguez, chutou a bola dentro da grande área e «arrumou» uma bagunça incrível, que encontrou dois ou três chutes uruguaios com possibilidades de beijar a rede argentina, mas as pernas dos argentinos foram a melhor barreira nessa oportunidade. Muito risco mas tudo continuou igualzinho. Vantagem para San Lorenzo.

Um minuto depois, uma outra chance para o River Plate. Entrando na grande área, na divisa do pênalti mesmo, um zagueiro Santo derrubou um ponta uruguaio. Ia ser muito perigoso mas a falta acabou resolvendo o sufoco dos argentinos. Cobrança muito fraca logo.

Foram mais dois minutos de tempo suplementar segundo o painelzinho eletrônico do árbitro uruguaio no plantão, Darío Ubríaco mas nada ia acontecer e o resultado final ia com vantagem para o San Lorenzo.

Caso fosse um outro rival uruguaio, poderíamos acreditar que a classificação dos «Santos» poderia ter sido ganha com a vitória em Montevidéu mas trata-se do time do JOTA ERRE, que joga do mesmo jeito perante o Barcelona da Espanha no Camp Nou ou tendo na frente o time dos «Coitadinhos» em Montevidéu. Tudo pode acontecer ainda, com chance privilegiada para o San Lorenzo, sem dúvida.

Na hora das reportagens com as faixas da Taça Sul-Americana nas costas dos destaques escolhidos e ainda no relvado, os dois goleiros e o negro uruguaio, Pablo Pintos, artilheiro do jogo, cativaram os fachos das camarinhas da FOX SPORT e os microfones do «Titi» Fernández e Marcelo Benedetto.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular