Pravda.ru

Desporto

Futebol - Boca Juniors

10.06.2007
 
Pages: 12
Futebol - Boca Juniors

Futebol – Boca Juniors

Do escritório da empresa com escala no congresso até o gramado da Bombonera de Buenos Aires, o Mauricio Macri perto de mais dois sucessos.

O Presidente do time Boca Juniors da Argentina, é finalista na política e na Libertadores 2007.

Os torcedores do Boca chamados de “bosteros” ou “xeneises” dizem que seu estádio La Bombonera não treme sinão que bate, do jeito que fazem cada um dos corações da torcida.

Esse mítico estádio sul-americano localizado na divisa dos bairros La Boca e Barracas foi sede de inúmeras partidas da alvi-celeste argentina até que o insucesso da Eliminatória para México 70 ( última vez que Argentina ficou fora duma Taça do Mundo ) perante o grande Peru da época marcou a mudança da sede definitivamente para o estádio Monumental do Bairro Núñez, propriedade do rival clássico de todas as horas, o River Plate, com design e cor da camisa igualzinha da peruana.

Feitiço e tanto né ?

Sempre de olho nessa seleção peruana, acabou perdendo de 4 x 2 nas Semis do México 70 perante o melhor Brasil da história, esse que ia obter o TRI da mão do Rei Pelé e sua turma inesquecível do Tostão, Jairzinho, Rivelino e o capitão Carlos Alberto quem arvorou o caneco naquele estádio Azteca após o 4 x 1 perante a Azurri do Gianni Rivera e Borisegna.

La Bombonera …puxa vida !!!

Provoca o respeito até dos vizinhos que respiram a mesma ar que o rodeia e bem mais dos turistas que alagam uma vizinhança absolutamente atraente em apenas duas cores, azul e amarela.

E só dar uma contornada pelo estádio até se deter na calçada tentando atingir o horizonte lá cima que deixa cair a cachoeira de cimento da arquibancada misturada com os epicínios da fiel.

Arquibancadas com declive perpendicular nas ruas que até da para imaginá-las empedrajadas e com os trilhos da maria-fumaça do lado das casinhas de Barracas que vestem a cidade dum jeito adorável.

Tendo raça qualquer um poderia pissar o tapete esverdeado dessa tal Bombonera e guardar a vitória no bolso mas a história fala mais alto e colocar o focinho na porta dos vestiários é quase cair na goela do lobo.

Trasandinos e cisandinos tentaram a proeça e na grande maioria das oportunidades jogaram sua grana em saco f urado.

O Cúcuta Deportivo da Colômbia perdeu-se na fumaça dos Deuses Maradonhanos e só tem muralha tricolor gaúcha na frente na procura de derrubar o mito de invensível.

Haverá campeão desses que curtem festas vip, salmão e scotch á vontade na mesa comprida mas o bolo e os parabéns vão ficar com aquele que consiga enterrar as garrafas devagarinho para continuar andando sem ziguezagues na história.

O barulho dos torcedores portenhos atinge como sempre o porto de Buenos Aires olhando o último “andar” da arquibancada mais alta lotada e tanto na hora que o navío sai rumo as cidades uruguaias de Montevidéu ou Colônia do Sacramento despedindo-se da Avenida 9 de Julho e seu Obelisco, e o árbitro apite o início duma das duas partidas perante o Grêmio Porto-Alegrense.

Um outro cenário, mesmo filme e destaques vamos ter logo no Olímpico de Porto Alegre, aí do lado do Guaíba, que espera o visitante com enchente de foguetes no decorrer da madrugada anterior oferecendo-lhe ternura típica das Taças sul-americanas não conseguindo dormir nem aquele que já alugou vaga na cova.

Daqui a poucos dias e pela primeira vez na história Porto Alegre todo poderia respirar aragem de vitória quanto tem a ver com o futebol internacional, sem piadinhas de colorados ou tricolores gaúchos encaminhadas para o vizinho do Conjunto pois todos eles poderiam pendurar suas flâmulas nas janelas que dão de f ace para a rua.

Os donos do Beira Rio já confirmaram sua festinha vencendo o Pachuca de México de 4 x 0 obtendo a Recopa ( vencedores da Libertadores e Sul-Americana 2006 ).

Os colorados já começaram torcer pelo Boca procurando que as cidades gaúchas ficarem vestidas só de terno vermelho, camisa social, sapatos e borboleta, também vermelhos, é claro !!

O Grêmio quer o TRI da Libertadores só que o poderoso Boquinha está esperando-o no ringue com as luvas arrumadinhas procurando ganhar meia dúzia deste caneco que acrescentou o nome para Toyota Libertadores mas continua sendo a mesma que no 1960 ganhou o Peñarol de Montevidéu na primeira edição.

Até hoje o Rei da Libertadores é o vermelho argentino, os diabos do Bairro Avellaneda de Buenos Aires, Independiente com sete canecos ganhos e dois degraus por baixo ficam o Boca Juniors e o Peñarol com cinco.

Caso o Boca vencer o Grêmio vamos ter escadinha nas primeiras vagas, 7,6,5…e o Boca mais uma vez ia ser Campeão da Libertadores e o Mauricio Macri como Presidente também nesta versão, ganhando também mais uma vez a liderança quanto a canecos ganhos no mundo todo logo ter ficado igualzinhos com o Milão faz duas semanas após vencer os ingleses.

Na vida política como Deputado argentino, fala-se que o Macri visitou o Congresso ( início da Av. Callao e Av. Rivadavia ) muito pouco mas sua imagen não emagreceu tanto assim pois mesmo que haverá segunda rodada nas eleições pelo Governo Portenho ficou com o Número UM ( 45,3 % ) no balotage perante o segundo Daniel Filmus ( 23;4 ) com importante vantagem.

Só parcerias do Filmus com o terceiro candidato, Tellerman ( raspado e sorridente – no eixo do 20% ), poderiam proibir que o Mauricio Macri consiga comemorar.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular