Pravda.ru

Desporto

A «Santíssima Trindade» brasileira abençoou o River Plate uruguaio em 2009.

08.11.2009
 
Pages: 1234
A «Santíssima Trindade» brasileira abençoou o River Plate uruguaio em 2009.

O mineiro Gabriel Marques, o mato-grossense do sul André Lopes «Andrezinho» e o gaúcho Ronaldo Conceição estão escrevendo uma página na história do River Plate de Montevidéu até no ambiente internacional na Taça Sul-Americana.

Fora o Silas para o Central Español faz quase 20 anos e o goleiro Ayrton de Arruda «Manga» para o Nacional quase 40, na hora que foram craques nas seleções brasileiras são poucos os destaques verde-amarelos que fazem pouso no futebol uruguaio. Conhecer aos novos famosos brasileiros do RiverPlate uruguaio dos sucessos na Sul-Americana é a nossa sugestão agora.

PRAVDA: Me diga, quando e como começou sua carreira profissional?

ANDREZINHO: Comecei com 15 anos de idade a trabalhar juniores, fui morar no Rio de Janeiro, joguei no Campo Grande dessa cidade, depois voltei a minha casa no caso, joguei no time da minha cidade, no Cec, Chapadão do Sul, depois fui a Minas Gerais, no Atlético Mineiro com 16 anos mais ou menos, fiquei um ano lá e logo fui jogar no Juventude e praticamente minha base toda foi no Juventude, foram 3 anos, seleção peguei no Juventude, tudo. Com 21 anos fui pro Ceni de Campo Grande – Mato Grosso do Sul, de lá fui para o América de Rio Preto, em 2008 só que fiquei pouco tempo e acabei indo pro Japão também em 2008, até que em 2009 estava no Sportivo Roma de Apucarana em Paraná e tendo recebido esta proposta agora, vim agora no River Plate e estou tentando o meu espaço no futebol uruguaio.

P: Até quando tem assinado contrato com o River Plate? E até quando vai continuar o River Plate na Taça Sul-Ameicana agora que alcançaram as Semis 2009?

ANDREZINHO: O meu contrato é até Julho 2010 aqui e vou tentar ficar até essa data, senão talvez em Dezembro ou Janeiro já sai. A gente espera alcançar a final, a gente espera, a gente entra focado nesse trabalho para sempre vencer, o trabalho do Carrasco (treinador chefe) já é assim já. A gente vai procurar trabalhar certo para obter resultado certo.

P: Acha que com outro estilo de treinador vocês poderiam ter atingido as Semis? O Carrasco é um cara diferente ao resto dos treinadores, no mínimo dos uruguaios?

ANDREZINHO: Ele é muito diferente, nunca tinha pegado um treinador assim mas tem que salvar também a qualidade dos jogadores que aqui temos pois somos nos que jogamos fora que ele ajuda bastante com o sistema tático, né? Mas ele é um treinador muito bom e inteligente mas tem que salientar também o grupo que é focado no trabalho e graças a Deus está dando tudo certo.

P: Qual é o diferencial do Carrasco quanto ao resto dos treinadores que você teve na sua carreira?

ANDREZINHO: A disciplina tática. Até agora os treinadores, eles me deixaram mais....como é que vou falar....só mandavam jogar, não tinha muita disciplina tática nem nada. Aqui estou aprendendo a marcar também que eu não sabia, está dando tudo certo, estou aprendendo bastante aqui neste futebol.

P: Qual é sua posição no gramado? Meia, ponta, o que você é?

ANDREZINHO: Sabe, eu sou meia mas este ano estava improvisado no ataque e fui o vice-artilheiro da minha equipe agora no Brasil no Campeonato Paranaense

P: Qual foi seu sentimento na hora de chutar aquele primeiro pênalti que concretizou perante o San Lorenzo em Buenos Aires na quarta retrasada?

ANDREZINHO: Passa, passa tudo. Um filme na minha cabeça aquela hora andando ali para pegar a bola para bater...passa um filme, pensa na família, pensa tudo que está nessa volta, muita gente depende de min, não é? A minha família, a minha esposa, agora a minha filha que vai nascer em Janeiro, tudo depende de mim e eu procurei fazer o melhor e graças a Deus, Deus abençoou o nosso time e deu tudo certo.

P: Tua idéia original foi mesmo chutar desse jeito assim pois acabou interrompendo a carreira até a bola antes de chutar? O goleiro falou alguma coisa na prévia do chute pênalti?

ANDREZINHO: Foi sim, eu sempre bati assim e não teriam porque mudar naquele momento e fora isso o futebol desta região, no Uruguai e na Argentina pelo que eu vi na televisão, nos pênaltis ninguém faz isso. Eu sabia que fazendo isso o goleiro ia cair. Quanto ao goleiro, tudo quando ele falou foi normal, que ia pegar a bola, você sabe... mas isso não me abala não e deu tudo certo.

P: Tua esposa está grávida com bastante barriguinha? Já sabe o nome da sua filha? Vai nascer no Uruguai?

ANDREZINHO: O nome da filhinha vai ser Ana Luísa e vai nascer no Brasil, no Rio Grande do Sul e não no Mato Grosso do Sul.

Agora continua a reportagem com um zagueiro e tanto do River Plate vindo de Osório no Rio Grande do Sul, o Ronaldo Conceição.

PRAVDA: Seu nome, sua idade, onde você nasceu? Tudo quanto tiver para compartilhar com os nossos leitores é bem vindo.

RONALDO CONCEIÇÃO: Meu nome é Ronaldo Conceição Silveira, 22 anos e nasci em Osório no Rio Grande do Sul. Estou faz oito meses no River Plate. Eu veio ao Nacional de Montevidéu primeiro mas ai não tive muitas oportunidades não e o Juan (Carrasco) me deu a oportunidade de fazer um teste aqui no final de Dezembro e acabei aprovando, ele gostou e em quatro práticas que eu fiz em coletivo, logo fiz a pré-temporada com o grupo tudo, me enturmei mais com eles e daí comecei jogar, me deu confiança que para mim foi muito importante. E hoje temos a Semifinal da Taça Sul-Americana que é importantíssimo para a gente que não imaginava que esse ano ia ser tão, tão, produtivo para a gente, Isso é muito importante.

Pages: 1234

Loading. Please wait...

Fotos popular