Pravda.ru

Desporto

Flu perde em Montevidéu

07.04.2011
 

FLU não consegue escalar o "MORRO" uruguaio e perde 0 x 2 em Montevidéu

O jogo dos tricolores montevideanos e cariocas ficou na gaveta dos uruguaios com extrema justiça. Primeira metade tendo o FLU melhor. Segunda tudo ficou de ponta cabeça para o FLU e o Nacional venceu sem sufoco com o Santiago "Morro" García sendo o artilheiro da noitada. Nos vestiários no decorrer da coletiva após a derrota houve reclamações dum dos fãs da Torcida "Young Flu" para o treinador sendo que os jornalistas brasileiros e parte da delegação calcularam as poucas chances de progredir na Taça Libertadores.

Quarta, 06 de Abril de 2011

Estádio Centenario de Montevidéu

21:50 h.

Clima: 16ºC. - Lotação: 50 mil

Árbitro central: Oscar Ruiz; Bandeirinhas: Rafael Rivas e Eduardo Díaz (colombianos). Árbitro no plantão: Advogado Líber Prudente (uruguaio).

Uniforme: Camisa e meias verde fluo, calção preto. Bandeirinhas: Xadrezada em quatro parcelas e cores alternadas, amarelo e alaranjado fluo.

ESCALAÇÕES

NACIONAL:  (25) Rodrigo "Popi" Muñoz ; (18) Gonzalo Godoy  (03) Jadson Viera; (19) Sebastián Coates (Capitão); (13) Gabriel Marques ; (08) Matías Cabrera; (22) Mauricio Pereyra, (23) Facundo Píriz , (20) Santiago "Morro" García, (09); (15) Tabaré Viidez; (07) Jonathan Charquero. e (11) Horacio «Chinês» Peralta.

PLANTÃO: (01) Leonardo "Cachorro" Burián (goleiro); (02) Alejandro Lembo; (16) Carlos Dutra "Carlão"; (10) Marcelo "Boneco" Gallardo; (17) Maximiliano Calzada; (09) Bruno "Tuna" Fornaroli e (06) Nicolás Vigneri.

TREINADOR CHEFE: Juan Ramón Carrasco (Jota Erre); Treinador Adito: Darwin Rodríguez; Treinador de goleiros: Omar Garate; Preparador Físico: Mauricio Marchetti. Delegada: Adriana Portas. Imprensa: Juan Pablo Sesto e Franco Pérez. Médicos: Carlos Suero, J. L. Luvizio e L. Salaverry. Massagistas: Walter Ferreira e Daniel Calimares. Roupeiros: Hebert Rodríguez, César López e Chin Lung Kobayashi.

Uniforme: camisa branca, calção e meias azuis. Números vermelhos. Goleiro: Calção azul, camisa também azul com ombreiras vermelhas e número branco.

FLUMINENSE: (12) Ricardo Berna (Goleiro); (02) Mariano Ferreira Filho; (03) Gum (Welington Pereira Rodrigues); (05) Edinho (Edimo Ferreira Campos); (08) Diguinho (Rodrigo Oliveira de Bittencourt); (09) Fred (Frederico Chaves Guedes - Capitão); (10) Emerson (Márcio Passos de Albuquerque); (11) Darío Leonardo Conca; (16) Júlio César Coelho de Moraes Jr; (17) Edwin Armando Valencia e (21) Souza (Williamis de Souza Silva).

PLANTÃO: (01) Diego Cavalieri (goleiro); (07) Marquinho (Marco António de Mattos Filho); (15) André Luis; (19) Rafael Moura (Rafael Martiniano Moura); (20) Deco (Anderson Luís de Souza); (23) Fernando Bob (Fernando Paixão da Silva); e (25) Araújo (Clemerson de Araújo Soares).

TREINADOR CHEFE: Enderson Moreira; Preparador Físico: Ronaldo Torres; Médico: Douglas Santos; Massgista: Pedrão.

Uniforme: camisa tradicional listrada. Calção e meias brancas. Goleiro: camisa, calção e meias verdes. Números: brancos.

Controle Anti-dopagem: Médicos José Veloso e Gonzalo Gaiero Genta.

Cheiro de pólvora após o apito inicial do colombiano Oscar Ruiz. Muito foguete colorido nas arquibancadas assim que a primeira chuteira dum jogador do Nacional pisou o gramado do Estádio Centenario.

A partida foi complicada no início para o Tricolor montevideano pois já nos primeiros minutos houve duas grandíssima defesas do goleiro Rodrigo "Popi" Muñoz (25) do Nacional que ajoelhado em duas oportunidade na divisa da grande área, conseguiu aliviar a situação de risco de gol que o Souza (21) após passes do Fred encaminhado desde a faixa central do campo, quase concretiza.

Do jeito que acontece sempre. Essas bolas no início das partidas são marcantes. Caso tivesse beijado as malhas do Nacional uma dessas bolas só o progredir do jogo tivesse mudado. O FLU sentindo-se mais descontraído com certeza poderia ter machucado o Nacional em mais oportunidades mas a realidade foi essa. As pernas do Rodrigo "Popi" Muñoz viraram imãs para as primeiras bolas chutadas pelos atacantes do FLU. Não dá para imaginar nem seque supor nada.

Mesmo que pareça incrível e após esse início interessante do FLU, gradativamente o time carioca foi "emagrecendo" em campo. Aliás, as maiores chances foram dele. Por enquanto, o Nacional só teve uma cabeçada em caída livre do Jadson Viera (nasceu na fronteira brasileiro-uruguaia - Santana do Livramento) sem risco nenhum após escanteio e acima do apito final do Ruiz, um outro escanteio vindo da direita do ataque uruguaio que o Matías Cabrera chutou quase grudando a bola à linha de fundo que ultrapassou a área pequena e acabou saindo pelo fundo.

Tentando e tentando o resgate de mais alguma jogada sequer interessante ou apenas bonita, a gente não consegue!!!

Na segunda metade, houve reviravolta no gramado do mítico Centenario de Montevidéu. Mais um fato marcante no progredir dos jogos aconteceu ontem alcançando os primeiros 5 minutos. Após cruzamento vindo da faixa centro-direita do ataque do Nacional desde a chuteira direita do Matías Cabrera, encontrou centroavante e artilheiro, Santiago "Morro" García indo por inúmera vez na procura de uma bola aérea. O parietal esquerdo dele curvou-se de lado dando uma cabeçada enxuta que passou por cima do braço esticado do goleiro fluminense Brena que não conseguiu mandar a bola para o escanteio. Ele só pus amortecer a caída no gramado olhando a trajetória da bola que foi encaçapada pelas redes.

O "Morro", com aquela barbicha desarrumada caindo do queixo é o grandíssimo destaque do Nacional na era Carrasco sendo que não se trata daquele jogador que leva o famoso tique-tique do treinador Jota Erre nas veias. É um jogador com jogo extremamente técnico mas que sempre está dando uma batida perante tudo aquilo que fique na frente e na grande maioria das oportunidades estragando o rival. Um jogador simples, que faz tudo bem mais simples até que o próprio estilo.

No Rio de Janeiro o Corcovado; em Montevidéu um "Morro" bem mais baixinho do que aquele ícone turístico carioca mas impossível de escalar para os tricolores fluminenses.

Aos poucos desse golaço do Santiago "Morro" García veio mais uma jogada carregada de eletricidade que começou mostrar o declínio da quadra para um lado só. O Nacional tentou arrematar o rival indo na frente com ritmo ímpar. Passaram mais 17 minutos da primeira grande novidade no painel eletrônico do Centenario localizado na cimeira da Arquibancada Colombes, e mais uma vez...o Morro trouxe manchetes para os jornais esportivos que acompanhamos a partida.

No epicentro do gramado do ataque uruguaio, o argentino Marcelo "Boneco" Gallardo que acabava de pular em campo, deu um passe mágico para o "Morro" que deu uma trepada maravilhosa pela faixa esquerda, entrando na grande área carioca e com chute canhoto e raso, enfiar a bola mais uma vez nas malhas. O estádio explodiu e a cortina caiu mesmo faltando 23 minutos para completar os 90.

O FLU sempre teve muita vontade de atingir a grande área uruguaia. Progrediu em campo mas sem idéias para deslocar a defesa dos alvos. O Fred só teve algumas jogadas no início da partida mas no final nem cobrou as faltas perto da divisa da grande área com certidão. O argentino Conca também não foi aquele grande jogador que a gente conhece porém o negócio virou difícil para os brasileiros.

Um dos privilégios que temos como jornalistas lusófonos no Uruguai e amantes do futebol e do histórico do próprio Estádio Centenario é ter tido a chance de acompanhar os responsáveis de IMPRENSA dos times brasileiros até as cabines e os camarotes levando conosco o material de divulgação que  trouxeram para o jornalismo esportivo uruguaio. Desta vez do lado do Erich Onida e Fernando Torres a gente fez a percorrida dando uma de guia para eles e poupando seu tempo.

Antes do início da partida no túnel que os jogadores têm como lugar para o aquecimento, houve encontro dos responsáveis de imprensa com os do Nacional, Sres. Juan Pablo Sesto e Franco Pérez. Foi a hora do intercâmbio de folders e escalações !!! E o PRAVDA ao vivo e as cores junto com esses quatro.

Um dos fatos a salientar foi que o meia-armador argentino, Marcelo Gallardo, ganho cartão amarelo alguns segundos antes de concretizar a cobrança duma falta no ataque. Que sabe o cara esteve fazendo cera para deixar o tempo escorregar até o apito do colombiano.

Uma falta quase na mesma faixa do gramado, idêntica situação, quase xerocada com a do primeiro cartão amarelo e o árbitro Oscar Ruiz que enfia a mão no bolso, segura o cartão amarelo e mostra na cara do "Boneco". Dois cartões amarelos, sinônimo de EXPULSO. Ninguém acreditava no Centenario mas o Boneco voltou nos vestiários do Nacional antes da campainha tocar.

Ele vai faltar para o último jogo do grupo que o Nacional vai ter também no Estádio Centenario perante o América mexicano e pode ser fundamental na hora de segurar a bola embaixo da sola das chuteiras caso o placar mostre vantagem para os uruguaios.

A reportagem ao vivo da tevê no próprio gramado do estádio foi com o MORRO e logo na hora de enfiar rumo ao túnel do vestiário e arvorando os braços para os torcedores, recebeu um bate-palmas estrondoso.

Meia hora depois do apito final do colombiano, houve rodada coletiva com a imprensa uruguaia dos jogadores do Nacional, Santiago "Morro" García, Rodrigo "Popi" Muñoz e Facundo Píriz que tem aquele jeitinho dos grandes méis históricos e bem sucedidos do futebol uruguaio. Elegância e ritmo de craque fora que o futuro vai falar mais alto.

Detalhes que aconteceram no decorrer do jogo:

50´- Gol do Nacional. Cabeçada do (20) Santiago "Morro" García na grande área rival.

53´- Alteração no Nacional. Pularam em campo o (16) Carlos Dutra "Carlão" e o (10) Marcelo "Boneco" Gallardo deixando as vagas o (07) Jonathan Charquero e (22) Mauricio Pereyra.

55´- Alteração no FLU. Pulou em campo o (20) Deco deixando a vaga o (21) Souza.

67´- Gol do Nacional. Chute canhoto raso do (20) Santiago "Morro" García.

70´- Alteração no Nacional. Pularam no gramado o (17) Maximiliano Calzada deixado a vaga o (08) Matias Cabrera. Por enquanto, no FLU, mergulhou no relvado o (25) Araújo deixando a vaga o (16) Júlio César.

78´- Alteração no FLU. Entrou no relvado o (19) Rafael Moura deixando a vaga o (08) Diguinho.

83´- Ganhou cartão amarelo o (10) Marcelo Gallardo no Nacional.

85´- Ganhou segundo cartão amarelo o (10) Marcelo Gallardo (Nacional) numa jogada quase xerocada com a do primeiro cartão. Dois cartões amarelos, virou cartão vermelho.

91´- Ganhou cartão amarelo o (19) Rafael Moura.

FNAL DO JOGO: NACIONAL de MONTEVIDÉU (2) X FLUMINENSE (0).

Sites de interesse envolvidos com o jogo:

CLUB NACIONAL DE FOOTBALL - www.nacional.com.uy

FLUMINENSE FOOTBALL CLUB - www.fluminense.com.br

TORCIDA YOUNG FLU - www.torcidayoungflu.com.br

PASIÓN TRICOLOR -  www.pasiontricolor.com.uy

CONFEDERAÇÃO SUL-AMERICANA DE FUTEBOL - www.conmebol.com

Gustavo Espiñeira

JORNAL PRAVDA

Montevidéu - Uruguai

 

 


Loading. Please wait...

Fotos popular