Pravda.ru

Desporto

Mundial de Rúgbi da França 2007

07.01.2007
 
Mundial de Rúgbi da França 2007

De grão em grão a galinha enche o papo...esse é o ditado que “dança” nas cabeças dos portugueses que mexem com a bola oval.

No decorrer deste mês Portugal vai procurar ganhar o ida e volta perante os marroquinos para logo tentar derrubar a muralha uruguaia na procura de garantir a última vaga para o Mundial de Rúgbi da França 2007.

Na grande maioria dos casos, este evento terá como herança os Estádios da Taca do Mundo de Futebol 1998 na qual França ganhou da verde-amarela de 3 x 0 no jogo final.

Hoje estão faltando garantir apenas duas vagas sendo que a primeira comemoração vai ficar por conta do vencedor da Coréia e Tonga. Aliás Uruguai fica no aguardo do vencedor das duas partidas que vão manter Portugal e Marrocos.

Nestes jogos a importante vantagem de jogar a segunda das duas partidas em casa fica do lado daquele país mais perto do topo da grilha de classificação segundo a IRB ( International Rugby Board ).

Sempre tendo como referência a data de hoje.

Tonga (16 ) leva vantagem perante a Coréia ( 22 ).

Portugal ( 21 ) com vantagem do Marrocos ( 26 )

Uruguai está na posição 19, porém tem vantagem perante os lusos ou marroquinos.

O sábado 25 de novembro, tanto Japão ( 18 ) quanto a Geórgia ( 17 ) classificaram para o Mundial da categoria. Os japoneses obtendo seu triunfo perante a Coréia 54 x 0 tendo ganho pela sexta vez consecutiva a primeira posição no continente Asiático com classificação para o evento.

Por enquanto, o Portugal empatou 11 iguais perante os georgianos na cidade de Lisboa, tendo perdido logo em Tbilisi 17 x 3, deixando os lusos no aguardo de mais uma chance com duas valhas a pular por cima, Marrocos e Uruguai (caso vencer na primeira partida).

Porém Uruguai é o único em ficar de papo pro ar esperando lusos ou marroquinos, tanto faz, pois os treinos continuam além no verão uruguaio que bate forte, acima dos 40 ºC .

Uruguai tudo está torcendo pela terceira participação num Mundial. A primeira foi em Gales 1999 tendo ganho uma única partida perante a Espanha 27 – 15 logo ter conseguido dar uma virada histórica quando no início os vizinhos dos lusos iam na frente 12 – 10. Neste Mundial acabou-se despedindo como jogador desde deporto o grande Capitão uruguaio Diego Ormaechea ( 42 anos ). A segunda participação foi na Austrália 2003 também conseguindo uma vitória só perante a Geórgia 24 – 12 mesmo que as pesquisas davam vantagem para os “lelos”.

Foi fundamental o apoio da maravilhosa torcida uruguaia nas arquibancadas que no eixo dos 10 mil comemoravam abraçados com os “charruas da relva” que pulavam por cima das faixas das logomarcas famosas que foram os patrocínios do evento.

A ditadura que houve no Uruguai desde 1971 até 1984 fez com que inúmeros uruguaios “fugiram” para países como Espanha, EUA e Austrália.

Introduzido pelos ingleses no século XIX o Rúgbi de um jeito bem devagar continuou ganhando fãs no Uruguai na procura de uma data marcante que foi o 31 de janeiro de 1951 quando o Sr. Carlos E. Cat, com o carimbo de primeiro presidente, acabou fundando a URU ( Unión Uruguaya de Rugby ).

O Rúghi uruguaio é por sempre segundo em Sul-América um degrau por baixo dos famosos Pumas argentinos ( 6 ) com a perseguição por perto dos Condores chilenos.

A década dos 90 foi extremamente importante na decolagem do desporto pelo trabalho que encaminharam os presidentes da época, Sres. Atílio Rienzi, Andrés Sanguinetti, Antonio Vizintín e o atual, Pablo Ferrari quanto tem a ver com participação internacional das seleções (até os Juniors nos Mundiais FIRA) ou até organizando torneios no principal balneário sul-americano como é o caso de Punta del Este ( Uruguai ) que no início no 1989 receberam as principais seleções, com seu destaques como o neozelandês Jonah Lomu ou o fijiano Waisale Sareli.

Uruguai começou participar em muitos torneios internacionais porém ganhar experiência para concretizar esta realidade dum desporto que continua sendo amador.

É bom salientar que muito tem a ver como exemplo de vida para as novas gerações uruguaias tudo quanto aconteceu naquele 13 de outubro de 1972 na hora que uma turma de 45 pessoas do Clube Old Christians num avião da Força Aérea Uruguaia “batia as asas” na montanha caindo logo na neve que recebeu-os no decorrer de 72 dias.

Aqueles que conseguiram agüentar a batida, organizaram-se distribuindo tarefas, derrubando o medo, o desespero, a dor, o frio intenso ( -30ºC ), a fome, conseguindo o “try da sua vida”, vencendo à morte e valorizando sempre o sentido preciso desse desporto que baseia-se numa EQUIPA.

O PRAVDA em português agradece o apoio do Depto. de Imprensa da Unión de Rugby del Uruguay.

Em homenagem aos 45 heróis uruguaios daquele MILAGRE DOS ANDES, eis aqui os nomes dos 16 que resistiram tudo!!

José Pedro Algorta, Roberto Canessa, Alfredo Delgado, Daniel Fernández, Roberto François, Roy Harley, José Luis Inciarte, Álvaro Mangino, Javier Methol, Carlos Paez Rodríguez, Fermando Parrado, Pedro Sabella, Adolfo Strauch, Eduardo Strauch, Antonio Vizintín e Gustavo Zerbino.

Correspondente PRAVDA.RU

ESPIN ASISTENCIA COMERCIAL

Gustavo Espiñeira

Montevidéu – Uruguai

Quinta 04 de janeiro de 2007.


Loading. Please wait...

Fotos popular