Pravda.ru

Desporto

Futebol: Clássico uruguaio - Peñarol 3 x Nacional 0

01.05.2007
 
Pages: 12
Futebol: Clássico uruguaio - Peñarol 3 x Nacional 0

Silvio Mendes Bahiano é novo herói e artilheiro da torcida do Peñarol - O domingo 29 de abril de 2007 não vai ser mais uma data na gaveta das lembranças do centro-avante brasileiro Silvio Mendes nem para a torcida do Peñarol uruguaio pois o jogador ganhou carimbo de craque nesses jogos que precisa de raça para entrar na história do clube e no coração da Fiel da torcida.

O domingo 29 de abril de 2007 não vai ser mais uma data na gaveta das lembranças do centro-avante brasileiro Silvio Mendes nem para a torcida do Peñarol uruguaio pois o jogador ganhou carimbo de craque nesses jogos que precisa de raça para entrar na história do clube e no coração da Fiel da torcida.

No mês de fevereiro na hora que o gigante centro-avante argentino da cidade de Bahía Blanca ( casa do basquetebolista Manu Ginóbili ) Alejandro Delorte, foi embora para Itália o treinador Gregorio E. Pérez do Peñarol junto com seu colega no plantão Guillermo Sanguinetti, começaram trabalhar na procura do “desconhecido” artilheiro Silvio Mendes pois tinha caracteristicas semelhantes do argentino além de ótimas para o estilo de jogo do Gregorio dando uma de pivô na zona quente do futebol, a grande área.

Na partida da Libertadores Santos 1 ( Brasil ) x Defensor Sporting 0 ( Uruguai) que aconteceu no Estádio Vila Delmiro em fevereiro retrasado, o número um nas Pesquisas de Ibope quanto á narração de futebol no Uruguai se refer, Alberto Kesman junto com um dos responsáveis pelos comentários na Rádio Universal de Montevidéu, Enrique Yanuzzi, monstraram interesse ou apenas curiosidade pelas referências desse tal Silvio Mendes.e ficaram surpressos na hora que perguntaram para os colegas do ambiente pois na hora que ficaram na frente duma lista de 300 centro-avantes brasileiros, o nome do Silvio Mendes não tinha espaço nessa lista.

Mas o reconhecido treinador urguauio, Gregorio Pérez (ou apenas o Gregorio ) continuou “brigando” pela vinda do jogador pois sempre achou que poderia ser uma peça importante para sua engrenagem atual conheçendo a valia do artilheiro.

Mais logo a “grande história” foi a assinatura do contrato e nesse ida e volta que sempre acaba acontecendo com a “Diretoria” do clube ( numa fase de mudanças na imagem por conta da Ficus Capital ), o final foi com inúmeras risadas no escritorio do clube.

O contrato acabou sendo assinado com avaliação do Presidente, Contador José Pedro Damiani que acima do salário combinado ofereceu o prêmio de U$D 250 por cada um dos golos que o jogador conseguisse vestindo a camisa preta e amarela tentando desse jeito que o jogador ficasse sempre com extrema vontade de furar as redes.

Porém com meia dúzia de golos no decorrer do atual torneio as referências iam se confirmando só que o artilheiro camisa nove precisa “assnar contrato” com a torcida toda num Estádio Centenario lotado perante o Nacional, no Clássico com mais Taças do Mundo ganhas no relvado ( 6 ).

Tendo andando dois minutos da partida e mesmo que não foi ele quem deu a cabeçada para o primeiro golo, após a cobrança duma falta, o lance vindo da “beira” directa rumo a grande área do Nacional acabou caindo na cabeça do capitão tricolor, Marco Vanzini, que tentando que o brasileiro não desse essa cabeçada ótima, acabou fazendo explodir os torcedores do Peñarol, coloncando a bola fora o alcançe do goleiro do Nacional, Alexis Viera.

O Centenario todo achou que o Silvio Mendes foi o artilheiro nesse instante e só a tevê confirmou que os 250 dólares não iam para o bolso do Silvio mesmo que poderiam presenteá-lo com uns 200 pois foi super importante incomodando o Vanzini.

No minuto 29, o meia internacional uruguaio, Omar Pousso ( Peñarol ) foi expulso após uma falta que recebeu do Vanzini ( Nacional ) fora a grande área e na hora que os torcedores do Peñarol iam começar sofrer chegou o Silvio Mendes que com um poderoso míssil canhoto chutou com extrema precisão e força colocando a bola lá acima.

Todos aqueles “idosos” amadores do futebol presentes no Centenario acabaram se lembrando do grande Pedro Virgilio “verdugo” Rocha e seus “falcões” que adoraram peñarolenses, são-paulinos e uruguaios nas Copas do Mundo 1962, 1966, 1970 e 1974, sendo o jogador uruguaio com mais participações nas Copas no Mundo até hoje.

Mais oito minutos na frente após novo lance da faixa directa da grama feito pelo Nicolás Vigneri, o Silvio Mendes pulou mais alto na grande área, antecipando o zagueiro Diego Jaume e o goleiro Alexis Viera dando sua primeira cabeçada na bola no Clássico que acabou beijando á rede, gerando o “éxtase” da torcida “manya” que ainda não acreditava ter novo herói nestas partidas sempre especiais perante o Nacional.

Mais 500 dólares no bolso e o reconhecimento da torcida mais barulhenta do Uruguai, que já colocou o Silvio no pódio dos heróis clássicos, privilégio de alguns poucos escolhidos pelo azar.

O namoro do Silvio Mendes com a “fiel” do clube já deu início…só está faltando saber o tempo que ele vai ficar em Montevidéu pois mesmo tendo o futebol uruguaio em crise o Peñarol, assim com o Nacional continuam sendo essa grande vitrine que muitos jogadores procuram querendo aprimorar sua carreira nos clubes da Europa.

Aliás Montevidéu sem muita grana continua sendo uma conexão sempre ótima para os jogadores “desconhecidos” do ambiente.

Pages: 12

Loading. Please wait...

Fotos popular