Pravda.ru

CPLP » Portugal

ILGA Portugal atribui prémios Arco-Iris 2008

11.11.2008
 
Pages: 123
ILGA Portugal atribui prémios Arco-Iris 2008

REVISTA COM’OUT, FERNANDA CÂNCIO, RÁDIO CLUBE E SOLANGE F. distinguid@s pela Associação ILGA Portugal com o PRÉMIO ARCO-ÍRIS 2008

A Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero realizou ontem a cerimónia de atribuição dos Prémios Arco-Íris 2008 como forma de reconhecimento e incentivo a pessoas e/ou instituições que com o seu trabalho contribuíram de forma significativa para a luta contra a homofobia ao longo do ano anterior.

Na 6ª edição dos Prémios Arco-Íris -- que se realizou ontem, 8 de Novembro (Sábado), pelas 18 horas no Centro LGBT -- a Associação ILGA Portugal pode contar com as presenças de Elisabeth Barnard (Directora da Com’OUT); Fernanda Câncio; Luís Osório (Director do Rádio Clube); e Solange F..

Apoiada este ano pela Comissão Europeia através da campanha “Pela diversidade, contra a discriminação”, a cerimónia contou ainda com apoios da Terra Design, da GL Events e da Flower Power.

A descrição dos prémios atribuídos bem como os textos de apresentação de cada um dos prémios encontram-se em apêndice.

Podem ser vistas imagens gravadas na cerimónia em
www.youtube.com/ilgaportugal
(playlist Prémios Arco-Íris)


Lisboa, 9 de Novembro de 2008
A Direcção e o Grupo de Intervenção Política da Associação ILGA Portugal



Enquanto Associação de defesa dos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero (LGBT), a Associação ILGA Portugal tem sempre tido como causa primeira a luta contra a discriminação com base na orientação sexual e na identidade de género. Mas esta nossa causa não é, nem deve, nem pode ser só nossa.


Tal como outras formas de exclusão, a homofobia contribui para uma sociedade mais fracturada, menos saudável e menos funcional. Porque a homofobia é, afinal, um problema social, teremos tod@s que o resolver em conjunto. E porque a luta contra a homofobia não tem ainda um fim à vista, ela torna-se tanto mais urgente e merecedora do nosso esforço concertado. Na realidade, a nossa causa é – e deve ser – uma causa aberta.

Daí que a Associação ILGA Portugal atribua anualmente o seu Prémio Arco-Íris, como forma de reconhecimento e incentivo a personalidades e instituições que, com o seu trabalho, se distinguiram na nossa – e vossa – luta contra a homofobia.


O último ano foi marcado pela rejeição da igualdade no Parlamento português.

A reivindicação da igualdade no acesso ao casamento foi central durante 2008, desde a Conferência organizada pela Juventude Socialista na Assembleia da República até à publicação de dois livros de juristas sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo.


Mas o dia 10 de Outubro de 2008 foi um dia de vergonha histórica para a nossa democracia.
Em 2008, deputadas e deputados ignoraram a Constituição, confirmaram a menoridade da cidadania de gays e lésbicas e reforçaram o insulto às nossas relações.

Mas 2008 foi paradoxalmente o ano de reforço da nossa visibilidade e da nossa voz.

A Associação ILGA Portugal tornou-se uma Instituição Particular de Solidariedade Social, passou a integrar o Conselho Consultivo da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e tornou cada vez mais visível a prioridade da igualdade.

As nossas famílias – as famílias que somos – falaram de si numa brochura que editámos e distribuímos no Parlamento. Publicámos livros infantis para todas as famílias – incluindo as famílias que somos…

Reforçámos alianças na luta pela igualdade no Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia, no Congresso Feminista e nas comemorações do Orgulho LGBT. Tivemos a Marcha e o Arraial mais participados de sempre.

E mesmo com a rejeição no Parlamento, uma sondagem da Universidade Católica Portuguesa demonstrava um crescimento exponencial no apoio social à igualdade no acesso ao casamento. É que esta é uma discussão que se ganha inevitavelmente. E é fácil prever que um compromisso por parte de um partido do centro político seria suficiente para que esta reivindicação alcançasse uma maioria sociológica de apoio.

Não existiu esse compromisso mas existiu quem lutasse por ele, pela afirmação da nossa cidadania e pelo reforço da nossa visibilidade – e hoje celebramos essa luta com os Prémios Arco-Íris 2008.

Vamos por isso celebrar as galardoadas e os galardoados de hoje com o Prémio Arco-Íris 2008 que inclui o troféu Arco-Íris bem como o tradicional diploma, para além de instrumentos para a continuação da luta contra a homofobia: os livros infantis editados pela Associação ILGA Portugal com o apoio do projecto eraseunavez.com - “De onde venho?” de Javier Termenón e “Por quem me apaixonarei” de Wieland Pena e Roberto Maján; o livro do Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Tod@s em Portugal, editado pela respectiva Estrutura de Missão; e o livro “Casamento entre pessoas do mesmo sexo” de Carlos Pamplona Corte-Real, Isabel Moreira e Luís Duarte d’Almeida.


Revista Com’OUT

A Com’OUT é a grande novidade editorial de 2008. É hoje finalmente editada em Portugal uma revista LGBT de qualidade – que a população LGBT ambicionava e merecia.

Abrangente, diversa, com uma voz própria, afirmativa, com artigos de opinião fortes, é uma revista que não esquece as várias letras da sigla LGBT.

Com’OUT é o apelo desta revista que não se dá bem com silêncios e com silenciamentos: é um apelo à visibilidade LGBT, à afirmação da identidade LGBT, à denúncia da discriminação.

Pages: 123

Loading. Please wait...

Fotos popular