Pravda.ru

CPLP » Brasil

Boeing 737: Nem tudo está perdido

30.09.2006
 
Boeing 737: Nem tudo está perdido

Um avião  da companhia  Gol, vôo 1907,  desapareceu no trajeto entre Manaus, no Amazonas,  e Brasília (DF). . O Boeing 737-800 deixou Manaus às 15h35 (horário de Brasília) com destino ao aeroporto internacional do Rio de Janeiro.A aeronave sobrevoava uma área a 207 km da cidade de Cachimbo, na região de São Félix do Araguaia, no sul do Pará.

 Na sexta-feira, o presidente da Infraero, José Carlos Pereira, disse em entrevista à rádio CBN que o avião sumiu do radar depois de um choque com um avião menor, um jato executivo Legacy, fabricado pela Embraer, que, apesar de ter sofrido avarias, conseguiu pousar na Serra do Cachimbo, no sul do Pará.


O ministro da Defesa disse que, embora não haja confirmação oficial de uma colisão do Boeing da Gol com o Legacy, os primeiros depoimentos do piloto desse jato sugerem que houve um choque. "O primeiro testemunho que nós temos do piloto (do Legacy) que está na base aérea de (serra do Cachimbo), é que ele praticamente não viu o avião, quando viu foi já uma sombra... e pressentiu o choque, no qual ele perdeu uma parte da asa", disse.


Já na madrugada de sábado, uma porta-voz da Infraero afirmou à Reuters por telefone que ainda não há informações sobre o que aconteceu com o avião da Gol

 Por meio de nota, a Gol confirmou que havia 155 pessoas a bordo - 149 passageiros e seis tripulantes. O avião era novo. Foi recebido há apenas 17 dias e tinha somente 200 horas de vôo. Não há informações sobre a causa do acidente. A Gol divulgou nesta madrugada a lista dos passageiros que embarcaram no vôo 1907. A relação está disponível no site www.voegol.com.br.

O coronel Ramón Bueno, chefe do Serviço Regional de Proteção ao Vôo (SRPV) de São Paulo, reafirmou que ainda não era possível falar nada sobre o motivo do acidente. "Por algum erro grave, não se sabe técnico ou operacional, houve a colisão. Esse é, talvez, o maior acidente aeronáutico brasileiro", contouO coronel Ramón Bueno, chefe do Serviço Regional de Proteção ao Vôo (SRPV) de São Paulo, reafirmou que ainda não era possível falar nada sobre o motivo do acidente. "Por algum erro grave, não se sabe técnico ou operacional, houve a colisão. Esse é, talvez, o maior acidente aeronáutico brasileiro", contou.

 
O acidente
Segundo a Gol e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac),  o avião deixou o aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus,  às 15h30  desta tarde. Ele devia pousar no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília , às 18h10. A aeronave perdeu contato com a torre de comando da FAB às 16:48, no horário de Brasília. O vôo havia partido de Boa Vista (RR), também com escala em Belém (PA) e com destino ao Rio de Janeiro.


Após a colisão, o Legacy conseguiu fazer um pouso forçado na base aérea de Cachimbo, no Pará. Ele teria chegado ao solo com parte da asa avariada.

O prefeito de Matupá, uma cidade no norte do Mato Grosso perto da fronteira com o Pará, disse à agência Reuters que  o avião teria caído em uma fazenda do município, perto da rodovia MT 322.

O presidente da Infraero afirmou que um fazendeiro do sul do Pará, onde aparentemente teria caído o Boeing, viu um avião de grande porte que voava muito baixo, perto da Serra do Cachimbo, no sul do estado. O momento em que o fazendeiro viu ao avião em vôo rasante coincide com a hora da colisão no ar.

Uma mulher disse à Efe que recebeu uma ligação do telefone celular de um parente, que ela ia buscar no aeroporto de Brasília. "Estava desesperado, gritava, e então a comunicação caiu", disse, entre soluços. O telefonema teria sido dado por volta das 16h45, mais ou menos a hora em que, segundo as autoridades, aconteceu o acidente.


Buscas
A região do sul do Pará é composta por uma densa formação florestal da floresta amazônica conhecida como "deserto verde". A Força Aérea Brasileira mobilizou cinco aeronaves para buscar um Boeing da Gol, com cerca de 150 pessoas, que desapareceu nesta sexta-feira quando sobrevoava a região Sul do Pará, nas proximidades do município de São Félix do Xingu (PA). A nova informação corrige dado de um comunicado conjunto da Infraero, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, divulgado anteriormente, que afirmava que o avião estava a 207 km ao sul da cidade de Cachimbo, no município de São Félix do Araguaia.


 "A Força Aérea mobilizou o serviço de busca com cinco aeronaves de diferentes portes", afirma a nota.
O ministro da Defesa, Waldir Pires, disse à TV Bandeirantes que no início da manhã helicópteros irão sobrevoar a área. Até o momento, segundo ele, estavam sendo utilizados aviões-radar, de alta capacidades.


 A Gol disponibilizou médicos e psicólogos para os familiares dos passageiros e, após a divulgação da lista de pessoas que estavam na aeronave desaparecida, levou os parentes a um hotel na região central da capital federal. A empresa também divulgou um número de telefone para dar informações aos parentes dos passageiros (0800-2800-749).

Reuters, Último Segundo



Loading. Please wait...

Fotos popular