Pravda.ru

CPLP » Brasil

Leituras e representações do ano de 1968 no Brasil – algumas anotações

23.10.2008
 
Pages: 1...3456789

No dia 8 de fevereiro foi levada a cabo pela Ala Vermelha, a expropriação, de uma perua Kombi do Banco da Lavoura de Minas Gerais, em Mauá (SP) que transportava dinheiro proveniente da Cia. Ultragás. Nesta ação foram expropriados aproximadamente NCr$ 23.280,00, equivalentes a R$-141.308,43 (Valor em 1º de Abril de 2008). Um mês depois, o mesmo comando volta ao local e repete a ação.

Além disto, podemos apenas citar o texto do coronel do Exército, Meira Matos, publicado em 14 de fevereiro, onde propõe o fechamento do refeitório estudantil Calabouço, no Rio, que classifica de "um foco de agitação". Registro cuja importância reside em suas conseqüências: mês e meio depois, em 28 de março, a polícia invade o local e assassina o estudante secundarista Edson Luís de Lima Souto.

Março

20 de Março

Bomba explode no Consulado dos Estados Unidos em São Paulo. A ação foi realizada por um Comando da Ação Libertadora Nacional – ALN.

28 de Março

O estudante paraense Edson Luís de Lima Souto, de 19 anos, é assassinado pela polícia no restaurante Calabouço, no Rio de Janeiro, Brasil. Secundarista e pobre, Edson estava almoçando no restaurante quando foi mortalmente baleado. Ao contrário do que o governo publicou na época, Edson não era líder estudantil nem participava de confrontos armados.

Abril

1º de Abril

A diretoria clandestina da UNE decreta greve geral (quatro anos do golpe). Manifestações estudantis são reprimidas em várias cidades. Choques estudantes-PM. Morrem os estudantes João Agripino de Paula no Rio de Janeiro, e Ivo Vieira em Goiânia. O Exército ocupa o Centro do Rio.

4 de Abril

Portaria 177: Costa e Silva proíbe a Frente Ampla.

4 de Abril

PMs atacam missa de sétimo dia de Édson Luís. Cavalarianos sobem a escada da Candelária, Rio; 600 prisões.

14 de Abril

15 mil metalúrgicos de Contagem (MG), fazem greve e conquistam aumento de 10%, fato inédito desde 1964.

17 de Abril

No Brasil, 68 municípios passam a ser consideradas áreas de segurança nacional, extinguindo-se, portanto, as eleições para prefeito nessas cidades

20 de Abril

Atentado a bomba da direita destrói a entrada do edifício do jornal O Estado de São Paulo. A bomba foi colocada por um grupo de direita liderado por um sujeito chamado Sábato Dynotos. Durante muito tempo a bomba foi atribuída à esquerda. De acordo com levantamentos iniciais, durante 1968 foram realizado pelo menos oito atentados (alguns dos quais a bomba) pela extrema-direita.

26 de Abril

Comando da Vanguarda Popular Revolucionária – VPR, explode carro bomba no quartel do 2º Exército, em São Paulo.

Maio

1º de Maio

Trabalhadores de S. Paulo jogam pedras no governador Abreu Sodré, tomam o palanque da Praça da Sé, colocam fogo e saem em passeata de protesto contra a ditadura. A passeata segue até a praça da República. Ao cruzar a São João com a Ipiranga, militantes, improvisando um aríete com um caibro, investem contra os vidros do City Bank, que quebram.

25 de Maio

O médico Euryclides Zerbini realiza em João Boiadeiro o primeiro transplante cardíaco da América Latina.

Junho

5 de Junho

Criado alguns meses antes, em São Paulo, o Comitê de Artistas, Jornalistas e Intelectuais em Geral contra a Censura e pela Liberdade de Expressão e Manifestação, inaugura em São Paulo a Feira Paulista de Opinião (mostra de artes plásticas, teatro, cinema e música) que itinerou por diversos teatros, como Ruth Escobar, Arena, Oficina, etc

21 de Junho

Sexta-Feira Sangrenta – Em protesto contra a repressão a estudantes em Belo Horizonte, os estudantes cariocas vão as ruas e sofrem violenta repressão em escaramuças que duraram todo o dia. E que resultaram diversas mortes (alguns jornais chegaram a falar em 27 manifestantes e um policial mortos).

23 de Junho

Estudantes da USP ocupam a faculdade de Filosofia Ciências e Letras, na rua Maria Antônia. Ao longo do mês e a partir de então, várias outras universidades seriam ocupadas em todo o Brasil.

26 de Junho

Passeata dos Cem Mil. Em protesto contra a brutal Sexta-Feira Sangrenta no Rio. Organizada por artistas, intelectuais, jornalistas, vários sindicatos e associações, a organização União das Mães, religiosos e estudantes, a Passeata dos 100 Mil lota a Av. Rio Branco e todo o Centro do Rio de Janeiro.

Protestos são realizados em todo o país.

Junho

Ainda em junho, o grupo de extrema-direita liderado por Sábato Dynotos, em São Paulo (SP) coloca uma bomba na Ponte de Ferro sobre o rio Tietê (por onde transitavam os trens da Santos-Jundiaí), e fizeram explodir um carro-bomba em frente ao Dops paulista, quebrando todas as vidraças do prédio.

Julho

4 de Julho

Passeata estudantil de 30 mil no Rio.

5 de Julho

Proibidas as manifestações de rua.

Mais de 300 mil estudantes protestam nas principais cidades do país.

17 de Julho

Greve em 6 metalúrgicas de Osasco, SP, com ocupação da Cobrasma.

O ministro do Trabalho, coronel Jarbas Passarinho, ordena intervenção no Sindicato.

18 de Julho

Jornalistas, artistas, intelectuais e estudantes organizam em São Paulo, Comitê de Apoio à Greve de Osasco que organiza várias manifestações e outras ações de propaganda e solidariedade aos grevistas. Sufocada dias depois a greve, vários mebros do Comitê de Apoio foram detidos ou passaram a ser procurados.

Pages: 1...3456789

Loading. Please wait...

Fotos popular