Pravda.ru

CPLP » Brasil

Suzane será condenada ou absolvida?

21.07.2006
 
Suzane será condenada ou absolvida?

O advogado Mário Sérgio de Oliveira, um dos defensores de Suzane von Richthofen, disse hoje que conta com a absolvição da ré, acusada de envolvimento na morte dos pais, Manfred e Marísia, em 2002, em São Paulo. O júri, que entra na fase final, chega ao quinto dia.

Ao contrário da defesa de Suzane, o advogado Geraldo Jabur, que defende os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos também réus confessos do crime, afirma que os dois devem ser condenados, mas de acordo com a participação de cada um.

O promotor Roberto Tardelli defende que a pena seja igual para os réus. A Promotoria deve pedir 25 anos por homicídio ou seja, 50 anos de prisão para cada um dos acusados.

Ele descartou a possibilidade de absolvição. "Não tem a menor chance, nem o pesadelo mais sombrio, que os três sejam absolvidos", disse.

Referindo-se aos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, que constantemente choram durante o júri, Tardelli afirmou que arrependimento e desespero não diminuem a pena, comunicou AN Agora.

Para ele, o comportamento dos réus surpreendeu mais que o crime. Como exemplo, ele disse que Cristian foi a um churrasco, viajou e comprou uma moto após o crime, enquanto Suzane e Daniel, ainda na delegacia, protagonizavam cenas de amor.

"O crime foi inteiramente planejado. Ninguém foi induzido", disse. À Justiça, Suzane diz ter sido influenciada pelo então namorado a participar do assassinato, enquanto os irmãos assumem a autoria das mortes, mas acusam a jovem de ser a mentora.

O promotor também descartou a possibilidade de anulamento do júri. Réus condenados a mais de 20 anos de prisão em júri popular têm direito a um novo julgamento.

"A sociedade não espera 12, 19 anos [de prisão]. A pena que a gente [Promotoria] quer gira em torno de 25 anos para cada um. Um novo julgamento não é problema para a gente. Fazemos quantos forem necessários", disse.

O julgamento dos três acusados deve terminar hoje, segundo o juiz Alberto Anderson Filho, presidente do 1º Tribunal do Júri de São Paulo. Segundo ele, ontem foram realizadas apenas a leitura das peças processuais, conforme solicitações do Ministério Público e das defesas dos réus.


Loading. Please wait...

Fotos popular